Página Inicial > Economia > Faturamento da indústria cresceu 5,3% no primeiro semestre, aponta CNI

Faturamento da indústria cresceu 5,3% no primeiro semestre, aponta CNI

12, agosto, 2013

De acordo com a Confederação Nacional da Indústria – CNI, o faturamento da indústria brasileira aumentou 0,5% em junho na comparação com maio, na série livre de influências sazonais. No mesmo período, as horas trabalhadas na produção cresceram 2,2% e o emprego e a utilização da capacidade instalada ficaram estáveis. Ainda segundo a pesquisa da CNI, a massa real de salários teve queda de 0,7% e o rendimento médio real dos trabalhadores ficou estável em junho frente a maio.

Somado o desempenho de junho, o faturamento da indústria acumula alta de 5,3% no primeiro semestre em relação ao mesmo período de 2012. No mesmo período, o emprego aumentou 0,5%, a massa real de salários cresceu 1,9%, o rendimento médio real teve expansão de 1,4%, as horas trabalhadas na produção ficaram estáveis e o nível de utilização da capacidade instalada aumentou 0,8%. “O segundo semestre deve ser “moderadamente” melhor do que o primeiro. Apesar do aumento da inflação e dos juros,  que comprometem a demanda interna,  a valorização do dólar deve estimular as exportações de manufaturados”, disse Flávio Castelo Branco, gerente executivo da Unidade de Política Econômica da CNI.

Setores
Segundo os indicadores da CNI, comparando o primeiro semestre de 2013 com o mesmo período de 2012, o faturamento da indústria cresceu em 15 do 21 setores pesquisados. As horas trabalhadas na produção aumentaram em 12 setores e a massa real de salários cresceu em 13 setores.

Entre os resultados negativos está o setor “outros equipamentos de transportes”, cuja produção inclui reboques, elevadores, bicicletas e navios. Nesse segmento, quase todos os indicadores recuaram no primeiro semestre. O faturamento caiu 10,3%, as horas trabalhadas na produção recuaram 24% e o emprego teve queda de 3,6% no primeiro semestre frente ao mesmo período de 2012.

Já o desempenho das indústrias do vestuário aumentou seu faturamento em 9,3%, as horas trabalhadas na produção cresceram 2,4% e o emprego teve expansão de 3,4% na comparação com os primeiros seis meses do ano passado.


  1. Nenhum comentário ainda.
  1. Nenhum trackback ainda.