Página Inicial > Pesquisa & Inovação > Indústria integrada: Soluções para permitir e intensificar a comunicação no chão de fábrica

Indústria integrada: Soluções para permitir e intensificar a comunicação no chão de fábrica

1, março, 2016

A Indústria 4.0 está em curso e promete revolucionar os processos produtivos, com sistemas, máquinas, sensores e dispositivos integrados que “conversam” entre si, colaborando para o aumento de eficiência, produtividade e flexibilidade, além de redução de custos, entre outros benefícios. A comunicação em rede será capaz de gerar dados e informação para apoiar decisões numa indústria, permitindo melhor interação entre as várias áreas, como engenharia, produção, vendas e manutenção. Esse é o futuro, cedo ou tarde essas soluções chegarão à sua empresa. 

Sabemos que a conjuntura atual tem dificultado a modernização tecnológica da indústria nacional. A boa notícia, segundo Renan Billa, professor titular da Faculdade de Engenharia Mecânica da Universidade Federal de Uberlândia, é que não precisamos passar por todo o processo de modernização fabril ocorrido nos países desenvolvidos nas últimas décadas para então abraçar as tecnologias da Indústria 4.0. Segundo o docente, podemos e devemos queimar etapas. O que não podemos é ignorar essa revolução se quisermos preservar a indústria no Brasil e prepará-la para esse novo panorama competitivo. Nesse novo cenário, afirma Renan, as tecnologias de informação e de automação – e não a mão de obra de baixo custo – serão as responsáveis por gerar as vantagens competitivas para as nações com setor de manufatura relevante.

De acordo com o professor Renan, o termo Indústria 4.0 já tem sido abordado com mais frequência no Brasil, mas com aplicações mais restritas nos bastidores da tecnologia da informação. “É importante ressaltar que o maior benefício que esta mudança proverá é a disponibilidade de grandes quantidades de dados, em qualquer dispositivo e em tempo real. A Indústria 4.0 pode nos levar a uma harmonização heterogênea de arquitetura dos sistemas legados, onde diferentes sistemas conversam e se integram a outras centenas de aplicações, reduzindo, assim, custos de operação, iniciando investimentos pendentes e instalando conceitos de longo prazo, além de proporcionar aumento de segurança em processos de gestão de risco, com mais transparência e estabilidade.”, afirma.

O professor doutor Rene F. B. Gonçalves, da engenharia mecânica da Universidade Federal do Pará também afirma que o conceito da Indústria 4.0 representa uma evolução natural e que os avanços tecnológicos serão constantemente aplicados em processos produtivos para aumento de velocidade e qualidade de produtos e processos. Além disso, diz o docente, as fábricas serão mais enxutas e compactas; e os profissionais poderão ter acesso e controle total das operações de qualquer lugar por meio de smartphones ou qualquer aparelho com acesso à internet. Isso fará com que o custo e o preço de insumos sejam reduzidos, acarretando desenvolvimento mais rápido das cidades e dos profissionais.

Na opinião de Valder Steffen Jr., professor doutor da engenharia mecânica da Universidade Federal de Uberlândia, o conceito de Indústria 4.0 envolve uma mudança de paradigma na indústria; os sensores inteligentes passam a orientar as máquinas e os sistemas de engenharia quanto ao seu funcionamento, de maneira autônoma ou descentralizada, com grandes reflexos na produção, na segurança e nos custos operacionais de forma geral. Exemplo dessa evolução pode ser visto no setor aeronáutico, informa o docente, que tem registrado desenvolvimentos no monitoramento da integridade estrutural das aeronaves a partir da introdução de sensores atuadores inteligentes distribuídos convenientemente. Com isso visa-se à redução de custos de inspeção e manutenção, assim como ao aumento da segurança da estrutura.

Segundo Valder Steffen, existem grupos de pesquisa no Brasil que vem trabalhando no desenvolvimento de tecnologias para o monitoramento da integridade estrutural de aeronaves. Como exemplo, citou o INCT-EIE de Estruturas inteligentes para Engenharia, que reúne vários laboratórios universitários no Brasil e no exterior. “Penso que é inevitável a utilização de novas tecnologias e materiais na indústria conforme já se pode identificar em diversos projetos de inovação tecnológica. Algumas dessas inovações já são realidade e muito está por acontecer nos próximos anos”, prevê o docente.

Acompanhar as inovações tecnológicas é fundamental para que você conheça soluções que vão ajudá-lo a produzir melhor. A Indústria 4.0 está em curso, e cada vez mais vai se aproximar do seu, do nosso dia a dia. Por isso preparamos uma seção especial na na edição de março/16 da Revista NEI, reunindo produtos que podem contribuir para proporcionar maior integração e comunicação entre processos nos ambientes fabris, selecionados pela área editorial de NEI nos mercados nacional e internacional.


  1. Nenhum comentário ainda.
  1. Nenhum trackback ainda.