Página Inicial > Pesquisa & Inovação, Produtos & Serviços > Automação industrial – novas tecnologias para acelerar a modernização do parque fabril

Automação industrial – novas tecnologias para acelerar a modernização do parque fabril

1, novembro, 2016

Imprescindível para as indústrias que buscam maior competitividade num mercado globalizado e cada vez mais exigente de soluções eficientes, a automação industrial é decisiva para acelerar a modernização do parque fabril em todas as etapas de produção. Ela introduz no chão de fábrica a necessidade de adoção de novas tecnologias, capazes de proporcionar mais eficiência, produtividade, exatidão, qualidade e segurança, além de contribuir com a redução de custos e eficiência energética.

Por isso, reunimos na seção “Automação Industrial”, da Revista NEI de novembro/dezembro de 2016, algumas novidades em automação industrial pesquisadas nos mercados nacional e internacional que podem ajudá-lo a incrementar os processos produtivos de sua empresa.

Para conhecer as novas soluções apresentadas na edição de nov/dez da Revista NEI, incluindo as de automação industrial, acesse a seção “Lançamentos de Produtos” do NEI.com.br, clicando aqui.

 

Panorama da automação industrial

Os modos de produção vêm se transformando nos últimos anos, impactados pelos avanços da quarta revolução industrial.  Segundo Renato Ely Castro, professor da Faculdade SENAI de Tecnologia de Porto Alegre/RS, a Indústria 4.0 está associada a um novo modelo de negócio que, no âmbito da automação, demanda capacidades de operação em tempo real, virtualização dos processos, distribuição (descentralização) das funções de controle, orientação a serviços, “eficientização” dos processos produtivos, estruturação e modularização das aplicações, ou seja, produzir mais, melhor, mais rápido e com menos impacto energético. O tema eficiência energética, de acordo com o professor, está em evidência e a automação desempenha importante papel nesse contexto.

Nessa área, as inovações acontecem com rapidez. Renato Ely destaca o crescimento consistente da rede Ethernet Industrial que, por sua natureza padronizada, aberta e com múltiplos fornecedores, facilita a monitoração e o controle de processos, otimizando o tempo de produção. Com o avanço da Internet das Coisas no meio industrial, cresce em importância a automação baseada em PC (IPC), afirma o docente, agregando novas possibilidades ao já consagrado controlador programável (PLC), como, por exemplo, maior flexibilidade, conectividade e desempenho, mídias variadas de armazenamento e novas soluções de interfaces de operação (HMI).

No âmbito do desenvolvimento de programas aplicativos, Renato Ely ressalta o conceito de programação modularizada e estruturada preconizado pela IEC 61131, que enfatiza o uso de blocos funcionais (FBs), facilitando a reutilização, portabilidade e validação da aplicação, incluindo a redução no tempo de comissionamento dos sistemas.

O avanço das novas tecnologias aplicadas à automação industrial também vai exigir profissionais bem preparados. O perfil do engenheiro que trabalha nessa área, por exemplo, deve ser multidisciplinar, como sugere o professor, agregando competências que incluem a gestão (liderança) de projetos de sistemas automatizados, o conhecimento das novas tecnologias, tanto de hardware quanto de software, e a busca de soluções inovadoras em automação industrial. Sem contar, é claro, do domínio de ferramentas de tecnologia da informação e comunicação (TIC).


  1. J. David Mita Montero
    30, novembro, 2016 em 16:22 | #1

    Os sistemas produtivos desde o início com H. Ford não pararam de produzir melhor, mais rápido e com o menor esforço possível até hoje com o início da Industria 4.0 trazendo a automação, onde empresas que não visualizem este novo conceito não terão vez, como é muito bem demonstrado pelo Prof. Renato Eloy; não entanto é prudente revisar as leis do Brasil sobre as atividades automatizadas. Apesar do custo de implementação de máquinas e softwares serem muitas vezes elevados, os resultados permitem que o investimento seja recuperado em um curtíssimo espaço de tempo pois a automação industrial obviamente possui vantagens competitivas essenciais para o cada vez mais exigente mercado globalizado. Chegar ao grado de automação não é fácil, pois deverá ser encarado como um novo projeto industrial com as fases e ciclos de uma implantação do sistema, sugerindo seguir o PMBOK e prevendo que muitas das teorias Japonesas e a mão de obra profissional devem ser revistas. Agradeço pelos artigos que publica NEI trazendo sempre última tecnologia.

  1. Nenhum trackback ainda.