Arquivo

Arquivo do autor

FLC lança aplicativo gratuito, que calcula e compara eficiência entre lâmpadas

O Ministério de Minas e Energia, o Ministério de Ciência e Tecnologia e o Ministério de Indústria e Comércio regulamentaram a portaria que proíbe a venda de lâmpada incandescente a partir de 2016. Para atender essas exigências, muitas indústrias já estão substituindo suas lâmpadas incandescentes por outros tipos de lâmpadas, como a LED.

Pensando em facilitar a escolha da nova lâmpada, a FLC lançou o aplicativo “Calculadora Econômica FLC LED”, que permite ver o quanto cada tipo de lâmpada consome de energia e qual modelo resultará em maior economia na conta de luz de uma indústria.

Desenvolvido no Brasil, o aplicativo sugere a substituição de lâmpadas não eficientes por modelos eficientes, que economizam até 90% de energia, duram até 30 vezes mais do que as tradicionais, não aquecem o ambiente e são sustentáveis.

Gratuito, o aplicativo está disponível na App Store, em: http://goo.gl/Av9ihi.


Taiwan traz ao Brasil 39 empresas de diversos setores

O objetivo principal do evento é fortalecer as relações comerciais entre os dois países

O Conselho para Desenvolvimento do Comércio Exterior de Taiwan (Taitra) traz ao Brasil 39 empresas de diversos setores. Os empresários estarão reunidos em 1 de setembro no Hotel Maksoud Plaza, em São Paulo. A ideia é fortalecer as relações comerciais entre Brasil e Taiwan. As reuniões entre os empresários serão individuais e todas as empresas brasileiras interessadas em participar devem confirmar presença. Não há custo de participação.

A iniciativa é do governo de Taiwan, que pretende difundir os produtos (principalmente aqueles com tecnologia de ponta agregada) para o restante do mundo. De Acordo com Krist Yi Bin Yen, diretor do Taitra, o Brasil atualmente é o maior parceiro comercial de Taiwan na América do Sul.

O mercado de Taiwan
Com cerca de 23 milhões de habitantes e PIB de US$ 489.2 bilhões (2013), Taiwan exportou no ano passado cerca de US$ 305 bilhões e importou US$ 269 bilhões. Considerando somente a relação comercial entre Taiwan e Brasil, em 2013, o Brasil importou US$ 2.937 bilhões e exportou US$ 2.341 bilhões. Atualmente, os principais parceiros econômicos de Taiwan são China, Hong Kong, Estados Unidos, Japão e Cingapura.

Taiwan Rodada de negócios
1 de Setembro de 2014, segunda-feira, das 10h às 17h
Hotel Maksoud Plaza – Sala Brasil
Alameda Campinas, 150, Cerqueira César, São Paulo, SP
Informações e confirmações:  (11) 3283-1811,  taiwan.sp2014@gmail.com
http://mission.taiwantrade.com.tw/TT1423


Congresso e seminário brasileiro sobre manutenção e gestão de ativos acontece em setembro

De 29 a 3 de outubro acontece no Mendes Convention Center, em Santos (SP), o 29º Congresso Brasileiro de Manutenção e Gestão de Ativos – Expoman 2014 e o 3º Seminário Nacional de Manutenção e Gestão de Ativos do Setor Elétrico – Expomase 2014. O tema principal deste ano será o lançamento nacional da nova NBR ISO 55000.

Entre os palestrantes confirmados, estão: Leonam dos Santos Guimarães (Eletronuclear), Márcio Zimmerman (Ministério Minas e Energia), Marco César Castella (Itaipu) e Steve Wyton (Corporate Project & Asset Management). O evento, organizado pela Associação Brasileira de Manutenção e Gestão de Ativos – Abraman, contará ainda com workshops internacionais, debates sobre inovação tecnológica, minicursos sobre gestão de ativos, apresentações de trabalhos técnicos, conferências e mesas redondas.

Para baixar a programação preliminar do evento, clique aqui.


NEI Soluções lança serviço de perguntas e respostas

nei_respostas_home

 

NEI Respostas é o novo espaço digital dedicado aos  profissionais da indústria e aos especialistas, professores, consultores e estudantes de engenharia. O objetivo é simples: o profissional da indústria pergunta e quem puder  ajudar responde.

O novo espaço se propõe a trazer respostas técnicas rapidamente, poupando tempo de pesquisas na busca de soluções que já foram encontradas. Para os especialistas, professores e consultores, o NEI Respostas traz  reconhecimento profissional e networking.

Mais de 30 perguntas e 30 respostas já estão no ar, desde perguntas simples, como “Alguém conhece um conversor de medidas online?” até perguntas mais complexas como “O que fazer para escarear as duas extremidades de um furo 8,0 mm (Ø) que tem um canal no centro de 7,0 mm (Ø)?”.

Serviço gratuito
Para perguntar ou responder, basta acessar respostas.nei.com.br e se cadastrar.


Lean Manufacturing: qual é seu nível de aplicação na indústria brasileira?

27, junho, 2014 1 comentário

A filosofia Lean (produção enxuta) ganha cada vez mais espaço nas indústrias e nas operações logísticas da indústria brasileira. Como são diversas técnicas, com aplicações diferentes e variáveis em cada situação, nem sempre a aplicação do Lean é feita de maneira eficiente ou adequada.

A IMAM Consultoria realizou uma pesquisa para medir qual é o nível de aplicação da filosofia enxuta nas empresas e quais as técnicas aplicadas, as vantagens e dificuldades para essa implementação.

De imediato, o resultado mostrou que o método Lean Manufacturing ainda tem muito espaço para conquistar na indústria brasileira. Com base nas 230 empresas pesquisadas, de segmentos como alimentício, de saúde e higiene, construção e varejo, foi apurado que apenas 55% delas aplicam o Lean.

Segundo a pesquisa, 37,7% dos entrevistados elegeram a falta de metodologia de implementação como a principal dificuldade em adotar o Lean. Em seguida, com 36,3%, está a falta de conhecimento sobre o que é e quais os benefícios da metodologia. E, 32,9%, culparam o fato dos colaboradores não se envolverem em um projeto complexo como esse. Uma pequena parcela (13,8%) justificou a não aplicação pela falta de apoio da diretoria. Falta de mão de obra qualificada, falta de tempo devido o acumulo de funções, necessidade de mudança de cultura e pouca disseminação do tema foram outros empecilhos citados.

O resultado mostra ainda que o Lean Manufacturing é pouco conhecido entre os profissionais da indústria. Apenas 27,3% dos funcionários ouviram falar a respeito e 15,1% nunca ouviram falar sobre o tema. Entre aqueles que tem noção sobre o assunto, 50,2% conheceram na faculdade, 48,9% em empresas que trabalham e/ou trabalharam, 38,5% leram livros técnicos e 34,6% viram em artigos de revistas. Treinamentos fora da empresa serviram como fonte de conhecimento para 29,9%, feiras e seminários 23,4% e consultorias 17,3%. MBA, pós-graduação, treinamentos internos e a própria IMAM Consultoria foram outras fontes citadas pelos participantes.

Por que adotar o Lean?
Minimizar ou eliminar perdas é a promessa do método Lean Manufaturing. Segundo o levantamento, minimizar refugos e retrabalhos foi citado por 49,8% dos entrevistados como o principal motivo para buscarem o Lean Manufacturing, 43,7% citaram a não utilização da plena capacidade das pessoas e 34,6% indicaram a falta de processamentos e métodos. Esperas (29,4%), distâncias percorridas por conta do layout (28,6%), quebras de máquinas (24,7%) e a superprodução (10,0%) complementam a pesquisa. Alguns citaram ainda o tempo de setup, os fornecedores externos, estoque e falta de espaço como problemas que geram perdas e estimulam a adoção do Lean.

As ferramentas de Lean
A principal ferramenta de aplicação do Lean Manufacturing é o 5“S”, citada por 80,1% dos entrevistados. Em seguida aparece a Kanban, com 50,7%. A terceira ferramenta mais utilizada é o Kaizen, com 46,8%. Logo depois vem a troca rápida (setup) de ferramentas com 36,8%, as células de manufatura com 34,6% e o A3 com 21,7%. Lean inventory, Jidoka, Poka Yoke, Manutenção Produtiva Total – MPT, Just In Time e gerenciamento visual são outras ferramentas indicadas pelos participantes.

Implementação
É preciso que alguém, um colaborador ou uma equipe, gerencie todo o processo de implementação do Lean, garantindo que as ferramentas sejam bem executadas por todos e traga resultados concretos. A pesquisa indicou que em 36,8% dos casos, quem ficou responsável pela gestão foi a área industrial. Em segundo lugar (19,9%) foi criada uma coordenação de Lean, seguida pela área de qualidade (13,9%) e da área de projetos (10,0%). A área administrativa foi responsável em 7,8% das vezes e o RH em apenas 4,8%.

A execução das tarefas de Lean é responsabilidade da gerência em 26,4% dos casos. Supervisores (23,8%), diretoria (18,6%) e operadores (13,0%) também assumem o gerenciamento. Mas, na maioria das vezes, a responsabilidade por gerenciar o Lean é de todos, sendo citado por mais da metade dos entrevistados (50,7%).

Vale enfatizar que 81,8% dos casos aplicaram o Lean Manufacturing não só no chão de fábrica ou nos armazéns, mas em escritórios e outras áreas da empresa.


A 1º China Machinex Brazil vai reunir mais de 300 fabricantes em São Paulo

20, junho, 2014 4 comentários

Entre 29 e 31 de julho acontecerá no Transamérica Expo Center, em São Paulo, a China Machinex Brazil 2014, que promete reunir mais de 300 fabricantes de máquinas e equipamentos para, principalmente, os segmentos de plástico, embalagem, equipamentos elétricos, processamento de alimentos, tratamento de água, soldagem, CNC e autopeças. De acordo com a organização do evento, mais de 1.000 produtos devem ser apresentados em uma área de exposição de 8.000 m².

Brasil – China. As relações comerciais (importação e exportação) entre Brasil e China atingiram US$ 83,3 bilhões em 2013 – principalmente devido o crescimento contínuo de importação de máquinas chineses. No ano passado, o Brasil importou US$ 37,3 bilhões da China, sendo mais da metade (US$ 19 bilhões) somente em máquinas e aparelhos elétricos e mecânicos, segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

O evento conta com o apoio da Secretaria Municipal de Comércio de Wenzhou.

China Machinex Brazil 2014
29 a 31 de julho de 2014 das 14 às 20 horas
Transamérica Expo Center
Para mais informações, acesse www.chinamachinex.com.br


Empresa multinacional chinesa busca representante de vendas no Brasil

A Xiamen Hongfa, fabricante chinesa de relês, está buscando um gerente de vendas para representar a empresa no Brasil. O interessado deve morar em São Paulo, ter ensino técnico e/ou superior de curta duração, experiência mínima de três anos com vendas de componentes eletrônicos e domínio escrito e falado da língua inglesa. Experiência com vendas de relês será um diferencial. A empresa pretende contratar alguém até o final de 2014.

O candidato deve enviar seu currículo em inglês, contendo salário atual, pretensão salarial e disponibilidade, para intl@honfa.com ou nick-chen@hongfa.com

Sobre a empresa
A Xiamen Hongfa produz uma série de produtos, tais como: reles, dispositivos de baixa voltagem, painéis elétricos, componentes de precisão e linhas de produção automatizadas. É a maior fabricante de relês da China, oferecendo mais de 160 séries em mais de 40.000 tipos de padrões de especificação. Com 28 fábricas em uma área total de 330.000 m², em 2013 faturou US$ 705 milhões.

Mais detalhes em www.hongfa.com


Em evento, Petrobras revela demanda por equipamentos e necessidade de capacitar 17 mil pessoas até 2016

“Dezessete mil pessoas serão capacitadas para trabalhar na indústria de petróleo e gás natural até 2016”, revelou Paulo Sérgio Rodrigues Alonso, assessor da presidência da Petrobras para conteúdo local e coordenador executivo do Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural – Prominp, durante evento sobre a indústria petrolífera, em Houston. A necessidade foi identificada pelo executivo após analisar demandas para os 45 projetos mais importantes da Petrobras e dos principais estaleiros brasileiros. Alonso lembrou ainda que entre 2006 e 2013, o Prominp capacitou 97 mil pessoas, entre técnicos e engenheiros.

Demandas por equipamentos da Petrobras
No mesmo evento, o engenheiro Ronaldo Martins, gerente de Desenvolvimento de Mercado da área de Materiais da Petrobras, revelou que até 2020 serão necessárias 24 novas unidades de produção para o pré-sal brasileiro, tanto na Bacia de Santos quanto na de Campos.

Apontando o Plano de Negócios e Gestão 2014-2018, Martins lembrou que a companhia demandará, entre outros itens, 873 mil toneladas de tubos. Bombas e árvores de natal molhada (conjunto de válvulas instalado em poços marítimos) também foram citadas pelo engenheiro. “São quantidades muito expressivas”.

A importância de parcerias entre Petrobras e fornecedores foi também destacada por Martins. “Essa parceria resulta em tecnologia de ponta. Hoje temos tecnologia de risers (tubos) flexíveis para até 2.200 metros e queremos ir mais fundo. Estamos sempre trabalhando em conjunto com os fabricantes de risers flexíveis, há três no mundo e todos estão no Brasil”, informou.

Fonte: Agência Petrobras


AGC Vidros inaugura fábrica em Guaratinguetá

Com investimentos de R$ 900 milhões, é a primeira planta da multinacional japonesa na América Latina, que atenderá, principalmente, os setores automotivo e de construção civil

Recentemente a empresa japonesa AGC Vidros inaugurou às margens do quilômetro 55 da rodovia Presidente Dutra sua primeira fábrica na América Latina. Ao todo, a AGC, que contratou mais de 500 profissionais, espera produzir cerca de 220 mil toneladas de vidro plano por ano e processar mais de 500 mil car sets no mesmo período. O objetivo da empresa é abastecer 80% do mercado de vidros planos no setor da construção civil e aumentar em 20% as vendas voltadas à indústria automotiva. “Além disso, a nossa unidade brasileira terá como premissa cuidar do meio ambiente, aplicando tecnologia de ponta para cuidar de recursos hídricos”, disse Kasuhiko Ishimura, o CEO da AGC Américas.

Para Davide Cappellino, presidente da AGC no Brasil, o país é hoje um dos principais mercados do mundo e será fundamental para o crescimento da empresa globalmente. Segundo ele, os principais eventos esportivos organizados pelo Brasil, foram decisivos para a construção da nova fábrica. “Estaremos presente na Copa do Mundo e caminharemos junto com o País rumo ao crescimento sustentado”, disse Cappellino, informando ainda que a AGC é a fornecedora oficial da cobertura de vidro para o banco de reservas de todos os estádios que sediarão os jogos do maior evento esportivo do mundo.

Parceria com a Investe SP
Atendida pela Investe SP desde setembro de 2010, a AGC escolheu a cidade de Guaratinguetá a partir do mapeamento de municípios sinalizado pela Agência Paulista. “A prefeitura tem trabalhado para o desenvolvimento do município e a parceria com o Governo do Estado vai fazer com que a cidade de Guaratinguetá seja conhecida como a terra de Frei Galvão e, agora, a capital brasileira do vidro”, avaliou o prefeito do município, Francisco Carlos Moreira dos Santos, durante a inauguração.


Incentivos fiscais para carros elétricos prometem aquecer o mercado brasileiro

Entre as medidas anunciadas pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores – Anfavea,  estão a redução do IPI, a nacionalização de componentes e, no longo prazo, a fabricação desses veículos no país

Segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores –Anfavea, o Brasil receberá incentivos para a difusão dos veículos elétricos ainda neste primeiro semestre. Entre os principais benefícios, estão a redução do Imposto sobre Produto Industrializado – IPI, a nacionalização de componentes e o início da produção desses veículos no país.

Essas medidas abrirão as portas do mercado nacional para países pioneiros em mobilidade elétrica, como Estados Unidos, Japão, Alemanha, Portugal, Suíça, Holanda e Noruega.

De acordo com a Associação Brasileira de Veículos Elétricos – ABVE, 3 milhões de veículos leves elétricos deverão circular pelo mundo em 2020. Em 2025, serão 10 milhões e, e em 2030, esse número deve chegar a 19 milhões de unidades.

No Brasil, além dos modelos que já estão sendo comercializados para o público em geral, cidades como São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba já possuem serviços de táxi beneficiados com modelos Eco-elétrico. Vale destacar também os veículos pesados, como os ônibus que já comportam a tecnologia dos veículos elétricos há mais de dez anos. Também equipadas com a tecnologia, as cadeiras de rodas motorizadas têm expandido seu uso em shoppings centers, feiras de negócios, supermercados e outros estabelecimentos.

Já as bicicletas elétricas são recém chegadas ao Brasil, mas muito populares em outros países. Em Portugal, os Correios de Portugal (CTT) utilizam as bicicletas como uma aposta ecológica aliada ao aumento da eficiência na distribuição das correspondências. Na China, já são mais de 120 milhões de bicicletas elétricas circulando e, na Holanda, 1 milhão.

Pouco utilizadas no Brasil, as motocicletas elétricas já estão em uso pelo exército americano nas operações logísticas e estratégicas. As vantagens são a ausência de ruído no funcionamento do propulsor elétrico, permitindo um rodar quase que “invisível” durante ações táticas e especiais, sobretudo nas operações noturnas.

Diante dessa tendência, a análise e a evolução do cenário de possibilidades, da troca de informações tecnológicas, de esclarecimentos de mitos e fatos em torno da questão do fornecimento, duração e abastecimento de energia, além da performance de tais veículos se tornam urgentes, tanto para o benefício ambiental, quanto para que esse tipo de tecnologia seja cada vez mais acessível à população.

10ª Salão Latino Americano de Veículos Elétricos, Componentes e Novas Tecnologias
O evento, que acontece de 4 a 6 de setembro de 2014 no Expo Center Norte, em São Paulo, objetiva ser o principal ambiente de negócios da América Latina para o fomento da inovação no campo dos veículos elétricos, e trará, nos três dias de evento, novidades do setor, como carros, ônibus, motos, bicicletas, patinetes, cadeiras de rodas, empresas de tecnologia, equipamentos e peças.

Além disso, acontecerá o Congresso de Veículos Elétricos, evento paralelo ao Salão, que pretende debater sobre os principais temas que permeiam o setor dos veículos elétricos no Brasil e no exterior. O evento contará com a participação de especialistas do setor, autoridades, representantes de montadoras e formadores de opinião.

Mais informações, clique aqui.