Arquivo

Arquivo da Categoria ‘Tecnologia da Informação’

ABB comemora 105 anos no Brasil e lança ABB Ability

Em evento que marcou seus 105 anos no Brasil, a ABB lançou o ABB Ability, oferta digital de produtos e soluções que possibilita às empresas otimizar a análise de dados de suas operações e obter ganhos de eficiência, melhorando simultaneamente sua produtividade. A nova solução também permite reduzir manutenções e prolongar a vida útil dos ativos, resultando em eficiência de custos e operações mais sustentáveis e seguras. A ABB estima que as soluções digitais possam adicionar US$ 20 bilhões em sua receita anual.

Com o ABB Ability, a ABB oferece uma transição significativa da conectividade para digitalização, automação e robótica, um diferencial para a indústria. “A ABB está presente no Brasil há mais de cem anos e vem contribuindo de forma inovadora para alguns dos projetos de infraestrutura mais icônicos, como Itaipu e Belo Monte”, afirmou o CEO da companhia, Ulrich Spiesshofer, no evento que aconteceu no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro. “Nós fornecemos os primeiros equipamentos elétricos para o Bondinho do Pão de Açúcar, o primeiro teleférico da América Latina, inaugurado em 1912”, acrescentou.

A ABB é ainda uma das principais fornecedoras do S11D, o maior projeto de mineração do mundo, localizado no sudeste do estado do Pará. A empresa desenvolveu uma solução única para gerenciamento de ativos em tempo real e forneceu tecnologia de automação para as esteiras transportadoras, permitindo o sistema truckless.

foto ABBComo parte das celebrações dos 105 anos da ABB no País, o YuMi, robô colaborativo industrial de dois braços desenvolvido pela ABB, e o renomado artista plástico Caio Chacal criaram uma obra de arte juntos, demonstrando que a interação entre máquinas inteligentes e humanos não é mais uma projeção para o futuro. A peça ficou como legado para o Museu do Amanhã.

A ABB opera em mais de 100 países e conta com cerca de 136 mil colaboradores.


IoT pode impulsionar o setor de logística em US$ 1,9 trilhão

Segundo informações da 2S, pioneira em soluções IoT no Brasil, um Relatório de Tendências da DHL, com foco em Internet das Coisas, revela que na próxima década o setor de logística pode alavancar níveis mais elevados de eficiência operacional à medida que a IoT conecta (em tempo real) os milhões de embarques deslocados, rastreados e acondicionados diariamente.

O estudo, apresentado em 2015 na Conferência Global de Tecnologia da companhia em Dubai, mostra que a Internet das Coisas pode impulsionar o setor de logística em US$ 1,9 trilhão. No setor de armazenagem, paletes e itens conectados serão diferenciais importantes na gestão inteligente de estoques, mostra o relatório.

No setor de transporte, onde a conexão de sensores e atuadores é bastante difundida com o rastreamento e a telemetria, a novidade está nas novas tecnologias, que podem extrair diferentes informações e, principalmente, na camada de inteligência – que reúne a leitura de todos os dispositivos embarcados em uma única plataforma. Por meio desse recurso, é possível processar, analisar e fornecer ao decisor informações completas.

Renato Carneiro, presidente da 2S Inovações Tecnológicas, afirma que a Internet das Coisas permite a transformação de dados absolutos em conhecimento integrado e útil para a operação de transporte e logística. “As vantagens podem ir além: quando os veículos se conectam ao ambiente (estradas, sinais, outros veículos, relatórios de qualidade do ar e sistemas de inventário, etc), os custos caem e a segurança e a eficiência aumentam”, avalia.

Desde 1992, a 2S é uma integradora de soluções de infraestrutura Cisco para o mercado corporativo. Entre as áreas em que atua, os destaques são as soluções Internet of Things (IoT), Colaboração, Mobilidade, Datacenter e Segurança. Acesse www.2s.com.br/iot para mais informações

 

 


Entra em vigor norma sobre computação em nuvem

Desde 7 de janeiro vigora a norma ABNT NBR ISO/IEC 17788:2015 – Tecnologia da informação – Computação em nuvem – Visão geral e vocabulário, que traz uma visão geral sobre a computação em nuvem, termos e definições sobre o tema. Criada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), o Serpro e a Anatel, é uma versão em português de um trabalho realizado em cooperação com a International Telecommunication Union (ITU), que coordena padrões internacionais para telecomunicações, e a International Organization for Standardization(ISO), organização internacional para padronização.

Segundo Fernando Gebara Filho, coordenador da Comissão de Estudo de Plataformas e Serviços de Aplicativos Distribuídos (ABNT/CE-21:038.00), essa norma vai permitir que empresas, usuários, associações de indústria, legisladores, reguladores e membros dos setores de TI e Telecom trabalhem com uma base sólida e comum de entendimento sobre o que é a computação em nuvem, o grupo de participantes e que tipo de benefícios dela podem ser obtidos. Além disso, diz Gebara, essa norma permite que todos trabalhem sobre definições válidas internacionalmente, o que habilita empresas brasileiras a exportar seus serviços e a consumidores brasileiros a utilizar adequadamente os serviços oferecidos tanto por empresas nacionais quanto estrangeiras.

A expectativa é de que a norma seja amplamente adotada pelo mercado, facilitando o comércio de serviços baseados em computação em nuvem. Para mais informações acesse o site da ABNT: http://www.abnt.org.br/


Sonda compra CTIS por R$ 400 milhões

14, março, 2014 Deixar um comentário

Com a compra, a Sonda, empresa latino-americana de serviços de Tecnologia da Informação, transforma o Brasil em sua principal operação na América Latina

A Sonda anuncia a aquisição de 100% da CTIS Tecnologia, empresa brasileira reconhecida pelo fornecimento de serviços de Tecnologia da Informação – TI no Brasil. O valor da transação é de R$ 400 milhões. Esta operação não inclui o negócio de varejo da CTIS, dedicado a comercialização de produtos tecnológicos através de suas lojas.

Com mais de 30 anos no mercado, a área de serviços de TI da CTIS, atingiu uma receita líquida em 2013 de R$ 837 milhões. Atualmente, a CTIS mantém escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte e na região Nordeste do Brasil, atendendo clientes, principalmente, dos setores financeiro, de energia e público. Outsourcing e outsourcing de impressão, suporte de infraestrutura e service desk são os principais serviços da empresa.

Com esta aquisição, a Sonda pretende se consolidar como a principal provedora latino-americana de Serviços de TI no Brasil – país que agora representará 47% da receita líquida da Sonda, tornando-se sua maior operação na América Latina. “Esta aquisição permitirá a Sonda incorporar uma excelente base de clientes com contratos de longo prazo, uma oferta complementar e aumentar a cobertura em localizações como Brasília e o Nordeste do Brasil, potencializando significativamente nossas operações no maior mercado de TI da América Latina”, comemora Mario Pavón Robinson, presidente da Sonda.

Para Avaldir Oliveira, presidente e fundador da CTIS, “o ingresso da Sonda na propriedade da CTIS é uma excelente notícia para clientes, colaboradores e fornecedores, pois a Sonda é uma empresa de reconhecido prestígio e liderança na região, que dará um grande impulso ao crescimento da CTIS a partir de suas experiências e capacidades regionais, sua oferta integrada de TI, sua base de clientes e sua solidez financeira”.

O fechamento e pagamento desta transação estão sujeitos, entre outras condições precedentes, à aprovação do CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). 


Após suspeitas de espionagem, Petrobras anuncia investimentos de R$ 4 bilhões em segurança da informação ainda em 2013

22, setembro, 2013 Deixar um comentário

Durante audiência pública no Senado Federal, a presidente da Petrobras, Maria das Graças Silva Foster, informou que a gigante do petróleo investirá R$ 4 bilhões em 2013 e R$ 21,2 bilhões no período de 2013 a 2017 em Tecnologia da Informação e Telecomunicações. “Temos na Petrobras, desde o momento em que entramos na companhia, a cultura da segurança da informação”, disse a presidente.

Durante audiência conjunta da Comissão Parlamentar de Inquérito da Espionagem e das comissões de Assuntos Econômicos e de Relações Exteriores do Senado, Foster explicou que a companhia realiza um trabalho constante de monitoramento e proteção de suas informações. “Entre nove de agosto e nove de setembro recebemos 195,9 milhões de e-mails. Destes, 16,5 milhões chegaram aos destinatários”, exemplificou Foster, destacando o filtro rigoroso instalado pela Companhia.

A presidente da Petrobras também ressaltou o Centro Integrado de Processamento de Dados, ao qual o acesso é restrito, e que as informações estratégicas da Companhia não transitam pela internet. “No Centro de Processamento de Dados está o conhecimento de nossa companhia. As informações críticas estão armazenadas em sistema fechado, com criptografia. O acesso ao centro é controlado com biometria, pesagem e monitoramento com câmeras”, afirmou. Além disso, foi informado que, mesmo trabalhando com empresas parceiras e fornecedores, apenas a Petrobras tem acesso as informações, tendo ainda contratos de confidencialidade.


Governo federal inicia uso de computação em nuvem

O Serviço Federal de Processamento de Dados – Serpro disponibilizará em setembro computação em nuvem (cloud computing) para uso do governo federal. A tecnologia envolverá as áreas de ouvidoria, saúde, educação, gestão escolar e comunicação para cerca de 200 municípios. Segundo Marcos Mazoni, presidente do Serpro, a computação em nuvem brasileira está preparada para acesso três vezes maior que o previsto.

Entre os desafios a ser enfrentados estão a necessidade de profissionais para a construção de sistemas no novo modelo e a troca de informações entre diferentes nuvens que evite o rompimento entre ambientes.

Fonte: com informações da Agência Brasil.


Com investimento de quase R$ 15 mi, parque tecnológico da economia criativa será implementado em Recife

24, maio, 2013 Deixar um comentário

Conhecido como Convento, no centro histórico da capital pernambucana (Recife), o Núcleo de Gestão do Porto Digital terá a fachada restaurada e a parte interna reconstruída, além de receber o Porto Mídia e um núcleo de empreendedorismo e tecnologia dedicado à economia criativa. O Porto Mídia é o ponto de partida para a implementação das ações do Porto Digital — parque tecnológico do centro histórico do Recife — no campo da Economia Criativa.

O imóvel terá espaço para exposições, centro de formação, incubadora de empresas e laboratórios de edição e pós-produção distribuídos em três pavimentos, que somam uma área de 1.500 metros quadrados. A operação contempla ainda a adaptação de um prédio vizinho para instalação provisória do Porto Mídia, que será transferido para o Convento após a conclusão do restauro.

O projeto já criou 41 postos de trabalho e deverá empregar mais 50 trabalhadores durante as obras. Após a conclusão, está prevista a geração de 25 empregos permanentes.

Com 10 anos de atividade, o local reúne atualmente 150 empresas de TI (juntas, faturaram R$ 1 bilhão em 2012), duas instituições de ensino, duas instituições de pesquisa, 20 empresas incubadas de base tecnológica, 14 empresas incubadas de economia criativa, oito empresas de serviços associados e quatro entidades empresariais de classe. No total, 200 instituições ocupam os 40 mil metros quadrados do Porto Digital e geram mais de 6,5 mil empregos diretos.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES apoiará com o financiamento de R$ 8,8 milhões, que corresponde a 60% do orçamento total do projeto.


TOTVS terá Centro de Excelência para Agroindústria

Devido à compra da PRX, a TOTVS criará o Centro de Excelência para Agroindústria com o objetivo de reunir tecnologias e serviços voltados para esse mercado, já que a PRX é especializada no fornecimento de soluções para agronegócio. As empresas já trabalhavam juntas antes da aquisição.

Segundo a TOTVS, atualmente 60% das usinas sucroalcooleiras do País são atendidas pela empresa, que também atua com culturas como grãos e frutas cítricas. A PRX teve faturamento líquido de R$ 21 milhões em 2012 e cresceu à taxa anual média de 47% nos últimos quatro anos. Trabalham na PRX, sediada em Assis-SP, mais de 180 colaboradores.

A TOTVS pagará inicialmente R$ 11 milhões por 60% do capital social da PRX. A compra da participação remanescente está prevista para acontecer até fevereiro de 2015, por valor que será fixado de acordo com métricas definidas no contrato e baseadas no desempenho da PRX.

Em 2013, a TOTVS comprou a PC Sistemas, desenvolvedora de soluções de gestão empresarial para os segmentos de distribuição, atacado e varejo, e adquiriu participação de 20% da uMov.me, fornecedora de plataforma de mobilidade corporativa na nuvem.


Informação sempre disponível

A eletrônica e sua filha mais influente, a tecnologia da informação, provocaram na indústria uma revolução, tantas e tão diversas são as transformações introduzidas, tão radicais as suas consequências. Elas estão presentes, visíveis e dramaticamente críticas em todas as indústrias, sejam grandes corporações ou pequenas empresas. Com uma agravante – esta revolução ainda está em curso, com uma velocidade obviamente eletrônica.

Um exemplo bem recente desse estado de “revolução permanente” está na evolução do wireless no chão de fábrica. Aumentou significativamente a confiabilidade do sinal entre máquinas emissoras e receptoras com a transformação de pontos de reflexão e deflexão do sinal em estações repetidoras que reforçam o sinal e o reenviam ao seu destino, onde um software reagrupa todos os fluxos para integrar a mensagem como foi originalmente emitida. Em outras palavras, as mensagens “dobram esquinas” e chegam íntegras ao destino.

Dentro ou fora desse ambiente, ganhou importância a disponibilidade da informação de que os profissionais da indústria precisam para alcançar seus objetivos. NEI Soluções tem acompanhado de perto as mudanças, e a edição em papel do Top Five – Diretório de Fornecedores Qualificados, que circulou em outubro, por exemplo, pode ser acessada no NEI.com.br, com a mesma qualidade da edição em papel e conteúdo ampliado.

As edições de NEI – Noticiário de Equipamentos Industriais e o Top Five também já podem ser acessadas nos tablets, via plataformas IOS se você tem iPad ou Android no caso de outros fabricantes. Não importa onde nem em qual circunstância você precise de informação atualizada e confiável, as mídias de NEI Soluções “dobram esquinas” para chegar a você, íntegras e com a confiabilidade garantida pelos 39 anos de experiência no campo da informação industrial.


Cloud Computing como um facilitador de segurança

29, outubro, 2012 Deixar um comentário

Assim como acontece com as tecnologias implantadas em ambientes locais, desde a integração com outras atividades de Tecnologia da Informação – TI até a preocupação com o vazamento de informação, existem riscos a ser considerados antes de se optar pela utilização da Cloud Computing (computação em nuvem). Porém, um aspecto pouco destacado é que operações baseadas em nuvem podem ser facilitadoras para a segurança de TI.

A força massiva dos ambientes de TI, a alta capacidade de armazenamento e uma infraestrutura compartilhada são três possibilidades da computação em nuvem que melhoram e modernizam a segurança da informação. Combinadas, podem aprimorar as práticas tradicionais de segurança e criar benefícios significativos para profissionais e fornecedores de TI, como por exemplo:

• Melhor performance. Computação em nuvem aceita aplicações mais robustas, típicas em soluções de segurança em TI. A transferência do processamento de informação para ambientes em nuvem, além de agilizar os sistemas, facilita o uso de múltiplas ofertas de segurança simultaneamente.

• Informação centralizada. Com capacidade de armazenamento ilimitada, com a nuvem é possível, de forma centralizada, criar, manter e compartilhar um número maior de informações sobre ameaças na rede, malwares, listas de reputação de arquivos, serviços de geolocalização, entre outros dados de segurança.

• Rápida defesa. Combinando a força de processamento e armazenamento dos ambientes em nuvem com a inteligência adquirida das comunidades de usuários, é possível aplicar técnicas de data mining em larga escala para identificar padrões anormais de comportamento do sistema, criando mais rapidamente novas detecções e proteções para a rede. Além disso, a computação em nuvem fornece plataformas para testar proteções utilizando dados reais.

• Proteção flexível e inteligente. A computação em nuvem permite implantar somente as proteções adequadas ao perfil de risco da empresa, protegendo a rede de forma mais rápida e específica.

Tendências
Inicialmente, o benefício da alta capacidade de armazenamento da nuvem é utilizado para voltar no tempo e identificar o “paciente zero” – o primeiro infectado –, sendo o passo inicial para impedir a propagação de um malware. Além disso, a análise retroativa possibilita identificar apenas os dispositivos e os programas infectados, dispensando verificação completa do sistema. Também pode-se esperar que usuários identifiquem, em tempo real, um IP ou arquivo malicioso e se já há vacina disponível para manter seu ambiente protegido.

Aproveitar o potencial da computação em nuvem para melhorar a segurança da rede pode ser o primeiro passo para estar à frente dos invasores nessa guerra cibernética, cada vez mais sofisticada e implacável.

O artigo “Cloud Computing como um facilitador de segurança” foi editado pela Central de Geração de Conteúdo de NEI Soluções com base nas informações de Ricardo Dias, engenheiro de segurança da Sourcefire, empresa especializada em tecnologia e segurança da informação.