Arquivo

Textos com Etiquetas ‘2014’

Setor em números

13, abril, 2014 1 comentário

Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos – Abimaq, no primeiro bimestre, o consumo aparente apresentou retração de 1,3% sobre o mesmo período de 2013 em valores constantes e o faturamento teve queda de 3,8%. Ainda no bimestre, as exportações tiveram crescimento de 41,4% em relação ao ano anterior, observado em todos os setores, e as importações superaram em 0,26% o resultado de fevereiro de 2013, o que sinaliza, para a entidade, tendência de estabilização das importações e dos investimentos. Por fim, a balança comercial do período apresentou queda de 17,1% em relação ao anterior.

Em 2013, o consumo aparente foi de R$ 122,279 bilhões, 5,6% superior ao ano de 2012, e o faturamento, de R$ 79,079 bilhões, foi 5,7% inferior ao valor registrado no ano anterior. Apesar do forte resultado das exportações em dezembro, de US$ 1,335 bilhão, em 2013 o valor de US$ 12,475 bilhões é 7% inferior ao resultado registrado em 2012. No ano, a importação acumulada superou em 7% o resultado de 2012, totalizando US$ 32,617 bilhões.


Mercedes-Benz investirá R$ 1 bi no Brasil em 2014 e 2015

O plano de investimentos da Mercedes-Benz do Brasil engloba cerca de R$ 1 bilhão no setor de caminhões e ônibus em 2014 e 2015, nas fábricas de São Bernardo do Campo-SP e de Juiz de Fora-MG. Entre 2010 e 2013, foi aplicado R$ 1,5 bilhão no setor de veículos comerciais.

“Dos R$ 562,3 milhões financiados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, mais de 60% serão destinados para projetos de pesquisa e desenvolvimento de produtos, sendo grande parte para nacionalização do caminhão extrapesado Actros fabricado em Juiz de Fora”, afirmou Philipp Schiemer, presidente da Mercedes-Benz do Brasil e CEO para América Latina.

De acordo com o executivo, o plano prevê ainda recursos para outros desenvolvimentos no setor de caminhões e ônibus, como atualizações tecnológicas. Diversas iniciativas nas áreas ambiental e social também compõem o plano.


Sobratema aponta aumento de 8% na compra de máquinas para construção a partir de 2014

A comercialização de equipamentos para a construção até 2017 deve ter aumento médio de 8% a partir de 2014, de acordo com estimativas do Estudo de Mercado da Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração – Sobratema. Para Hugo Ribas Branco, diretor executivo da Sobratema, esse crescimento, que está estimado, segundo a pesquisa, em torno de 455 mil com até dez anos de idade e 315 mil com até cinco anos de idade, demandará novas tecnologias para gestão, diagnóstico, serviços de pós-venda, peças e insumos que contribuam para a manutenção da produtividade dos equipamentos.

A entidade prevê que até 2014 o aumento será maior em decorrência da retomada das obras do Programa de Aceleração do Crescimento – PAC e das possíveis concessões previstas para os setores rodoviário, ferroviário, portuário e aeroportuário.

A associação informou que o volume de negócios envolvendo peças de reposição, suprimentos e serviços nos dois setores no Brasil é estimado em mais de R$ 12 bilhões por ano. São mais de 12 mil oficinas de manutenção de máquinas e equipamentos no País.


As tecnologias mais recentes das empresas que conquistaram a preferência dos profissionais da indústria

Nesta seção estão reunidos 76 produtos recentes de algumas das empresas que conquistaram o selo NEI Top Five 2013/2014, que indica os fornecedores preferidos pelos leitores e usuários das mídias de NEI Soluções em 439 categorias de produtos. Todas as empresas NEI Top Five deste ano foram convidadas a enviar seus lançamentos para esta edição. Os produtos recebidos em tempo hábil e aprovados pela área editorial podem pertencer a uma categoria diferente daquela em que a companhia foi contemplada como NEI Top Five 2013/2014.  

As notícias apresentadas nesta seção complementam e enriquecem a Revista NEI Top Five 2013/2014, publicada também em outubro. A relação completa das cinco preferidas por categoria já está disponível no NEI.com.br/topfive desde 1º de outubro, com mais informações sobre os fornecedores NEI Top Five.

Os cinco fornecedores preferidos por categoria foram identificados na 31ª Pesquisa Nacional de Preferência de Marca, estudo único no mercado industrial brasileiro realizado anualmente por NEI Soluções com profissionais envolvidos com o processo de compras nas indústrias de diversos setores.

Esta seção e NEI Top Five 2013/2014 vão ajudá-lo a encontrar produtos, serviços, empresas e parceiros atestados pelos próprios atuantes da indústria. NEI Top Five é a principal referência industrial para os próximos meses, reconhecida como importante guia para a busca de novos fornecedores.

Para Afonso Carlos Braga, professor de gestão empreendedora e marketing business to business – B2B do Instituto Mauá de Tecnologia, rankings elaborados com seriedade e critérios oferecem parâmetros em mercados por vezes com poucas informações disponíveis. “Destacam empresas que vêm apresentando as melhores práticas na respectiva categoria e, por consequência, acabam sendo mais lembradas”, disse. “É motivo de orgulho para as equipes que levaram as empresas a essa posição de destaque e útil para profissionais que estão comprando serviços e produtos.”

Realizados por NEI Soluções em 2012, o Estudo de Hábitos aponta que 89% dos profissionais da indústria consideram a marca importante na hora de selecionar o fornecedor e tomar a decisão; e o Estudo de Feiras de Negócios revela que 70% dos internautas clicam primeiro nas marcas que conhecem. “A marca tem muito valor para qualquer negócio, não importa o tamanho ou o ramo, pois protege, representa e personifica o fruto do trabalho das pessoas que se uniram para atuar na prosperidade de sua respectiva empresa”, comentou Braga.

Pesquisa Nacional de Preferência de Marca

Esse estudo anual realizado por NEI Soluções, único feito no País sobre a preferência de marcas no setor industrial brasileiro, é a base da edição NEI Top Five.

A 31ª Pesquisa Nacional de Preferência de Marca foi realizada de setembro de 2012 a abril de 2013. Mais de oito mil profissionais, de diversos setores, que especificam e/ou fazem a compra em suas empresas participaram dessa pesquisa, divididos em direção geral, 20%; produção, 23%; compras, 18%; manutenção industrial, 13%; direção industrial, 12%; engenharia, 12%; e direção comercial, 2%. Desta vez, foram pesquisadas 439 categorias.

Sete entre dez participantes atuam em empresas fabricantes de produtos industriais. Entre os segmentos nos quais trabalham destacam-se na primeira colocação, com 17%, consultoria, engenharia industrial e manutenção; e na segunda, com 12,5%, máquinas, motores e equipamentos mecânicos. A pesquisa abrangeu profissionais de todas as regiões: Sudeste, 55,03%; Sul, 26,70%; Nordeste, 10,24%; Centro-Oeste, 4,67%; e Norte, 3,36%.

Para chegar aos cinco fornecedores, somaram-se as marcas preferidas de uma mesma empresa em cada uma das categorias de produtos contempladas na pesquisa. Todas as empresas foram contatadas para confirmar as informações e atualizar os dados. A metodologia adotada para identificar os fornecedores NEI Top Five está explicada na própria edição NEI Top Five.


Previsão de aumento de mais de 10% da produção de cana na Região Centro-Sul

As unidades produtoras do setor sucroenergético da Região Centro-Sul do País estimam crescimento de 10,67% para a safra 2013/2014, de acordo com levantamento divulgado hoje pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar – Unica. A projeção indica moagem de 589,60 milhões de toneladas neste ciclo. Na safra anterior, foram processados 532,76 milhões de toneladas. As associadas à Unica, localizadas na Região Centro-Sul, são responsáveis por cerca de 50% da produção nacional de cana e 60% da produção de etanol.

Entre os fatores que favorecem o aumento está a expansão de 6,5% da área disponível para colheita. Além disso, a expectativa de aumento significativo da produtividade agrícola é devido à redução da idade da lavoura e à melhora da condição climática verificada nos últimos meses, que favoreceu o crescimento da produção. Segundo a Unica, a alta de 7,67% na produtividade deve resultar em aumento de 14% na disponibilidade de cana para a produção de açúcar e etanol.

Fonte: com informações da Agência Brasil.


Brasil recupera em 2014 a suficiência em petróleo. Palavra da Petrobras

A partir do ano que vem a produção de petróleo no País voltará a atingir a autossuficiência volumétrica, ou seja, volumes iguais de petróleo produzido e de derivados consumidos, contando a produção da estatal, de seus parceiros e de outras produtoras, informou a Petrobras.

De acordo com a empresa, a autossuficiência em petróleo tinha sido atingida em 2006, mas, entre 2007 e 2012, a demanda por derivados cresceu 4,9%, enquanto a produção aumentou 3,4%.

A previsão é de que a curva de produção da Petrobras no Brasil apresentará crescimento contínuo até atingir a meta estabelecida pelo Plano de Negócios e Gestão 2013-2017, que é 2,5 milhões de barris por dia em 2016, 2,75 milhões em 2017 e 4,2 milhões em 2020.

Em 2020, a companhia estima que terá capacidade de refinar 3,6 milhões de barris por dia, enquanto o consumo deverá ficar em torno de 3,4 milhões de barris diários. “A produção brasileira de petróleo passará, então, a superar a produção de derivados, o que também dará ao País a autossuficiência em derivados”, afirmou a empresa, em nota.

Fonte: com informações da Agência Brasil.


Nova cervejaria no PR terá capacidade inicial de 7 milhões de hectolitros

A Ambev construirá nova cervejaria no Paraná com investimento de R$ 580 milhões. Serão criados mil postos de trabalho durante as obras e cerca de 500 empregos diretos e indiretos após o início da operação da unidade, previsto para 2014, produzindo cerveja e refrigerante. Inicialmente, a capacidade total será de sete milhões de hectolitros.

A empresa já investiu aproximadamente R$ 2 bilhões em 2012, sendo que cerca de 75% desse valor foi aplicado no Brasil. O aporte foi destinado para obras de ampliação e aperfeiçoamento operacional de suas fábricas e centros de distribuição espalhados pelo País. Só na região Sul, a companhia investiu R$ 85 milhões na ampliação da capacidade produtiva da fábrica de Sapucaia do Sul e R$ 8,9 milhões na construção de um novo Centro de Distribuição Direta (CDD) em Santa Cruz do Sul, no Estado gaúcho.