Arquivo

Textos com Etiquetas ‘Abiplast’

Cresce 6,74% produção de transformados plásticos em 2013

O setor de transformados plásticos totalizou produção de R$ 64,7 bilhões em 2013, com aumento nominal de 6,74%, abaixo do registrado pela indústria de transformação, de 7,82%, somando R$ 2,072 trilhões. A participação do setor nesse universo foi de 3,12%. Os dados foram divulgados pela Associação Brasileira da Indústria do Plástico – Abiplast.

O consumo aparente aumentou 9% em termos nominais. As exportações inverteram a tendência de queda dos últimos anos e tiveram alta de 3,36%. Já as importações, que registraram média anual de crescimento de 7%, subiram 3,39%. O déficit comercial foi de R$ 5,3 bilhões.

A parcela de produtos importados foi de 11,7% do total, contra 10,8% em 2012, e o coeficiente de exportação ficou em 4,6%, próximo dos 4,3% registrados no ano anterior.

O nível de emprego do setor de transformados plásticos ficou 1,4% superior em 2013, com 358 mil trabalhadores empregados, porém a produtividade não evoluiu, houve queda de 1,76% no índice no período.


Vagas de emprego no setor de transformados plásticos aumentam 39% até setembro

De janeiro a setembro deste ano foram criadas 9,3 mil vagas no setor de transformados plásticos, alta de 39% em relação ao mesmo período de 2012. Em setembro de 2013, foram gerados dois mil postos de trabalho, totalizando 357 mil empregos, aumento de 0,58% em comparação ao total registrado em agosto. Esse setor tem 4% de participação nos empregos da indústria de transformação. As informações são da Associação Brasileira da Indústria do Plástico – Abiplast.

Segundo José Ricardo Roriz Coelho, presidente da Abiplast, o crescimento do total de vagas de emprego nesse setor segue alinhado com o aumento da produção, porém, infelizmente, o investimento não está no mesmo ritmo, o que potencializaria ainda mais a produtividade.


Produção de transformados plásticos tem alta de 4,6% no semestre

A produção do setor de transformados plásticos cresceu 4,6% no primeiro semestre de 2013 em relação ao mesmo período do ano passado, índice 2,2% acima do aumento médio da indústria de transformação. A alta da produção de veículos automotores puxou os resultados do segmento de artefatos plásticos. Os dados são da Associação Brasileira da Indústria do Plástico – Abiplast.

O setor com melhor desempenho foi o de laminados, 7,5% maior que nos seis primeiros meses de 2012. Já o de embalagens, que registrou os melhores números no ano anterior, cresceu 2% em 2013.

A entidade trabalha com a perspectiva de crescimento de 1,5% até o final de 2013. Entretanto, diferentemente do primeiro semestre de 2012, a base de comparação também aumentará, já que no ano passado a indústria esboçou recuperação a partir de agosto.

No período, foram geradas 7,8 mil novas vagas de empregos, totalizando até junho 355,6 mil trabalhadores registrados. Com esse aumento, o emprego no setor se recuperou e ultrapassou o valor registrado em 2012.

A produtividade cresceu 3,7%, ficando acima do 1,4% registrado no mesmo período do ano passado. O resultado também sobrepujou o apurado pela indústria de transformação, que foi de 2,8% nesse intervalo. De acordo com a entidade, o aumento da produtividade só não foi maior devido ao impacto do crescimento do nível de emprego.

O consumo aparente brasileiro chegou a R$ 29,3 bilhões, valor 6,7% superior ao registrado em 2012. Os produtos importados representaram 13% do mercado. Já as exportações, 5% do volume produzido.

Os investimentos em máquinas e equipamentos, apurados de janeiro a abril, também aumentaram. Os recursos aplicados chegaram a R$ 733 milhões, alta de 40%. De acordo com a Abiplast, essa alta significou retorno aos níveis médios de aquisição de máquinas e equipamentos e também foi influenciada por expectativas mais positivas dos empresários para o desempenho da economia para 2013.

A associação informou ainda a alta dos preços ao produtor de 3,92% (o indicador utilizado agrega também borracha – IPP/BIGE – Borracha e Plástico). No acumulado dos últimos 12 meses, esse percentual subiu para 7,24%. Já quando se observam os aumentos nas resinas termoplásticas, principal componente do custo do transformado plástico, os aumentos acumulados nos últimos 12 meses foram de 15%.


Programa de financiamento para a cadeia produtiva do plástico terá R$ 1,3 bi

Renovado, o Programa de Apoio ao Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Plástico do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES Proplástico terá orçamento de R$ 1,3 bilhão e prazo de vigência até 30 de junho de 2017.

Os beneficiários serão empresas da cadeia produtiva do plástico. Serão passíveis de financiamento empreendimentos com enfoque em produção e modernização, inovação, fortalecimento de empresas e atuação socioambiental. As operações, no valor mínimo de R$ 5 milhões, poderão ser feitas diretamente com o banco ou por meio de agentes financeiros intermediários.

O custo financeiro para projetos de implantação, expansão e/ou modernização de capacidade produtiva terá como base a TJLP (atualmente em 5% ao ano), mais remuneração de 0,9% do BNDES. As taxas de risco de crédito serão de 0,5% ao ano para micros, pequenas e médias empresas e de 1,5% ao ano para empresas com faturamento bruto até R$ 300 milhões. Operações com demais tipos de empresas seguirão as políticas operacionais.

“Vemos essa aprovação de forma muito positiva”, disse José Ricardo Roriz Coelho, presidente da Associação Brasileira da Indústria do Plástico – Abiplast. “O setor de transformados plásticos é um dos cinco maiores empregadores do País, com uma das melhores remunerações. Por isso, é muito importante contar com o apoio de uma instituição desse porte.”

Criado em 2010, o programa está em consonância com as medidas estabelecidas pelo governo federal por meio da Política de Desenvolvimento Produtivo, de maio de 2008, e com o Plano Brasil Maior, lançado em agosto de 2011, visando fortalecer e modernizar as empresas do setor. Atualmente o Proplástico conta com 25 projetos, entre contratados, aprovados, em análise, enquadrados e em consulta, no valor de R$ 727,4 milhões em investimentos e cerca de R$ 571,6 milhões em financiamentos.


Indústria de transformados plásticos comemora alguns resultados

Longe das metas ambicionadas, a indústria de transformação de plásticos comemora contudo, alguns números de 2012. Segundo a Associação Brasileira da Indústria do Plástico – Abiplast, o setor faturou US$ 52,52 bilhões, aumento de 4,5% em relação a 2011, e foram gerados cerca de 3.200 empregos – aumento de 1% em comparação com 2011.

A produção física registrou queda de 0,4% em 2012. O índice, porém, é menor do que o da indústria de transformação como um todo, que registrou recuo de 2,8% no período, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE.

Além disso, a Abiplast informou que a produção física de embalagens plásticas (rígidas e flexíveis) teve praticamente os mesmos níveis de 2011. Já os artefatos plásticos diversos alcançaram crescimento de cerca de 2%.

“Notou-se redução na produção de laminados plásticos de 6,2% frente ao ano anterior, o que pode ser atribuído ao avanço das importações de transformados plásticos, que teve incremento de 6% no mesmo período”, disse José Ricardo Roriz Coelho, presidente da Abiplast.

O presidente revelou sua receita para um ano e um futuro melhor: “O retorno a um crescimento vigoroso exige um ataque frontal ao problema da competitividade. Esse ataque engloba duas vertentes: a pública e a privada. O governo deve concentrar as políticas na melhora da infraestrutura, na redução dos custos sistêmicos e na construção de um ambiente de estímulo ao investimento. As empresas (…) devem investir em inovação e no aumento da produtividade. O Brasil já tem o diagnóstico para se tornar uma economia competitiva. O desafio é avançar com celeridade na agenda da transformação”.


Plástico espera gerar mais 3% de novos empregos este ano

O ano de 2012 fechou com taxa média de desemprego de 5,5%. É a menor de toda a série histórica da Pesquisa Mensal de Emprego – PME, realizada desde 2002 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. A indústria de transformados plásticos é um dos setores que tiveram aumento no nível de empregabilidade ao longo dos últimos anos. Em 2012, foram gerados 3,2 mil novos empregos, alta de 1% em relação ao período anterior. Os dados são do balanço anual realizado pela Associação Brasileira da Indústria do Plástico – Abiplast.

“Para 2013, projetamos crescimento de 3% na geração de empregos”, afirmou José Ricardo Roriz Coelho, presidente da entidade. “Hoje, essa indústria emprega 354,5 mil pessoas”.

O nível de emprego no setor tem mantido crescimento desde 2008. A maior alta ocorreu em 2010, com incremento de 6,8%.


Nova análise do setor de transformados plásticos inova com dados de reciclagem

No Perfil 2011 – Indústria Brasileira de Transformação de Material Plástico pela primeira vez foram incluídos dados sobre a reciclagem de plásticos pós-consumo. O estudo, produzido pela Associação Brasileira da Indústria do Plástico – Abiplast, mostra que o segmento é constituído por 801 empresas, que, somadas, têm capacidade instalada para processar 1,2 milhão de toneladas de material, faturamento bruto de pouco mais de R$ 2 milhões, e empregam mais de 21 mil pessoas. No ano passado, o consumo foi de 804,7 mil toneladas de resíduos e a produção, de 724 mil toneladas de matéria-prima reciclada.

A análise também aponta que o setor criou em 2011 quatro mil empregos em relação a 2010. Traz ainda informações sobre consumo aparente, produção, faturamento, exportação e importação. Clique aqui e conheça todas as informações.

Para incentivar o desenvolvimento sustentável do setor de transformados plásticos e reciclagem, a entidade criou recentemente a Câmara Nacional dos Recicladores de Material Plástico, cujo objetivo é lutar pela competitividade e o fortalecimento da imagem do material reciclado.


Produção da indústria do plástico cai 1,5% em 2011

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria do Plástico – Abiplast, houve queda de 1,5% da produção física do setor em 2011 em relação ao ano anterior, passando de 6 milhões para 5,9 milhões de toneladas. “O grande vilão de nossa indústria é o valor dos insumos, em especial das resinas, pelas quais pagamos mais caro do que nossos concorrentes”, disse José Ricardo Roriz Coelho, presidente da entidade. “Além disso, há excessiva carga tributária, câmbio desfavorável e juros muito altos, a despeito da retração para 11% da Selic.”

Ainda no comparativo 2011 e 2010, o estudo apresentou suave aumento de 2% nas exportações dos produtos transformados, enquanto as importações cresceram 20%. Segundo o presidente da Abiplast, há perda de mercado e haverá maior dificuldade de exportar, não só pela baixa competitividade endêmica do Brasil, como pela retração econômica mundial. Ele refere-se ao déficit da balança comercial do setor, que dobrou entre 2009 e 2011 e cresceu 40% em 2011 em relação a 2010, saltando de US$ 1,36 bilhão para US$ 1,89 bilhão.


Categories: Economia Tags: , , ,

Feiras de máquinas e equipamentos para embalagem projetam crescimento de 20% em 2012

17, janeiro, 2012 Deixar um comentário

As feiras Brasilpack, Expográfica e Flexo Latino América devem receber 520 expositores de 28 países

Dados da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast) projetam crescimento de 2% na produção para 2012 e de acordo com a Associação Brasileira da Indústria Gráfica (Abigraf), as exportações de produtos gráficos totalizaram US$ 175,50 milhões nos primeiros oito meses de 2011. E foi justamente o setor de Embalagens que mais contribui para esse faturamento, sendo responsável por 35,7% do total exportado de produtos gráficos. Para a organizadora, os números do setor justificam as expectativas para a Semana Internacional de Máquinas e Equipamentos para Embalagem e Impressão de 2012.
Comparando o 3º trimestre de 2011 com o mesmo trimestre de 2010, a produção da indústria gráfica cresceu 9,1%.  E no acumulado dos  doze meses,  contados  de outubro  de  2010  a  setembro  de  2011,  a  produção  da  indústria  gráfica  brasileira  apresentou crescimento de 2,3% em  relação aos doze meses que o antecederam. Este resultado supera o verificado para a indústria em geral, cuja atividade apresentou crescimento de 1,6%.

No caso do mercado brasileiro de flexografia, o crescimento anual ficou em torno de 6% e 8%, nos últimos quatro anos, inclusive, durante a crise financeira internacional, foi mantido 6% – percentual que representa a média nos últimos dez anos. A  Associação Brasileira Técnica de Flexografia (Abflexo), promotora da Feira Flexo Latino América, projeta crescimento de 30% de área e 25% de expositores na edição de 2012.


Fique por dentro das notícias do Blog NEI:
Acompanhe-nos pelo Twitter: @sistemanei e Facebook.
Assine nosso feed.

Entre os produtos que serão expostos na feira, destacam-se as embalagens de produtos eletrônicos com impressão flexográfica em até cinco cores com verniz; as embalagens-display, que vão direto da linha de produção para a gôndola, denominadas “shelf ready package”; as embalagens tipo bag-in-box para bebidas; e os displays para divulgação e promoção de novos produtos no ponto de venda.

Veja aqui, mais informações sobre a Semana Internacional de Máquinas e Equipamentos para Embalagem e Impressão.

Crédito: Wesley Sarto é graduado em Publicidade e Propaganda pela Universidade Metodista de São Paulo e pós-graduado em Marketing pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Desde de 2004 atua na área de comunicação e marketing e desde de 2007 integra a equipe de NEI Soluções.


Máquinas e equipamentos da indústria do plástico – mercado em crescimento

5, maio, 2011 2 comentários

Principal evento do setor na América Latina, a Brasilplast – Feira Internacional da Indústria do Plástico, em sua 13ª edição, ocorre de 9 a 13 de maio, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo, e deve reunir 1.300 expositores de 63 países.

A Brasilplast vai oferecer aos visitantes toda a cadeia de suprimentos, máquinas e equipamentos da indústria do plástico, com novidades nos segmentos de moldes e ferramentaria, instrumentação e controle, automação, resinas sintéticas, matérias-primas químicas e acessórios.

Os materiais plásticos estão sendo muito utilizados nas diversas áreas da indústria, inclusive substituindo outros materiais, particularmente metal, vidro e madeira. Prevê-se, segundo a Abiplast – Associação Brasileira da Indústria do Plástico, que em 2011 a produção de produtos plásticos, no Brasil, deve crescer 6% em relação a 2010.

A Conferência Brasilplast 2011, que acontece simultaneamente à Feira, vai debater três temáticas relevantes e atuais do setor: Mercado e Negócios, Sustentabilidade na Cadeia do Plástico e Inovações e Tecnologia.

Neste link, você conhecerá 43 novos produtos que serão apresentados na Feira, soluções que irão contribuir para a modernização dos seus processos de produção.

Crédito: Lilian Mary Gabriel Lopes é graduada em língua portuguesa pela USP e pós-graduada em literatura brasileira pela UFRJ.