Arquivo

Textos com Etiquetas ‘Benefícios’

TI Maior – R$ 500 milhões serão investidos para fomentar a indústria de softwares e serviços

24, agosto, 2012 Deixar um comentário

Lançado no início da semana, o TI Maior, programa específico que prevê estimular o desenvolvimento do setor de software e Tecnologia da Informação – TI, está estruturado em cinco pilares: desenvolvimento econômico e social; posicionamento internacional; inovação e empreendedorismo; produção científica e tecnológica; e inovação e competitividade.

Dentre as ações previstas no TI Maior, estão: aceleração de empresas com base tecnológica, a consolidação de ecossistemas digitais, a preferência nas compras governamentais por softwares com tecnologia nacional, capacitação de jovens para atuar na área de TI e criação de centros de pesquisa.

“Queremos que a produção de softwares cresça no Brasil a uma taxa muito alta e que esse crescimento represente divisas para o País, geração de renda para as empresas e criação de postos de trabalho qualificado para os brasileiros. O software brasileiro deve fazer frente ao produzido no exterior”, afirma Marco Antonio Raupp, ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação.

A defasagem científica e tecnológica que separa o Brasil dos países mais desenvolvidos é um dos principais desafios do programa. “O setor de TI já tem 73 mil empresas no Brasil e faturou US$ 37 bilhões apenas em 2011, ou seja, nossa indústria é qualificada. O TI Maior chega para fomentar esse campo portador de inovação, acelerando os demais setores econômicos do País”, crê Virgilio Almeida, secretário de política de informática do MCTI.

Os recursos serão subvencionados pela Financiadora de Estudos e Projetos – Finep e pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq.

Startups. Um dos principais motores do Programa TI Maior será o estímulo às startups (empresas nascentes do setor). As startups serão estruturadas por mentores e investidores, todos identificados com consultorias tecnológicas, institutos de pesquisa e incubadoras, parcerias com universidades, articulação com grandes empresas nacionais e internacionais e programas de acesso a compras públicas.

Áreas estratégicas. Doze setores foram definidos para integrar os núcleos de pesquisa nas diversas áreas do conhecimento e desenvolver softwares e soluções de alta complexidade e impacto econômico e social. São eles: educação, defesa e segurança cibernéticas, saúde, petróleo e gás, energia, aeroespacial/aeronáutico, grandes eventos esportivos, agricultura e meio ambiente, finanças, telecomunicações, mineração e tecnologias estratégicas (computação em nuvem, internet, jogos digitais, computação de alto desempenho e software livre).

Em 100% dos casos, o TI Maior visa estimular o desenvolvimento de projetos em institutos de pesquisa públicos e também privados. “O TI Maior vem para elevar o Brasil ao papel de potência mundial no setor. Caberá ao setor privado garantir a excelência no desenvolvimento de softwares e serviços”, destaca Antônio Gil, presidente da Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação – Brasscom.

Qualificação profissional. Em parceria com o Ministério da Educação – MEC e associações empresariais, o MCTI analisou o mercado de profissionais de TI no Brasil. O resultado desse diagnóstico é o “Brasil Mais TI Educação”, que visa construir uma única plataforma de relacionamento digital entre estudantes e profissionais do setor de TI, oferecendo intermediação de vagas, cursos básicos e avançados, geração de informação profissional, oferta de cursos gratuitos para comunidades e estudantes, atualização tecnológica e acompanhamento de programas governamentais de apoio à iniciativa, como por exemplo o Pronatec.

A ideia é capacitar 50 mil novos profissionais até 2014 e, até 2022, formar 900 mil novos profissionais necessários. Atualmente, o Brasil possui cerca de 1,2 milhão de profissionais de TI.