Arquivo

Textos com Etiquetas ‘centro de usinagem’

Novos robôs trazem maior segurança e elevam desempenho dos processos

Entre as inovações para a indústria mecânica global estão novidades na área de robótica. Um dos exemplos é uma série de robôs redundantes, que contêm mais eixos que o robô comum, e com sentido sensorial para segurança, podendo operar de forma cooperativa em ambientes com humanos, informou Tarcisio Antonio Hess Coelho, coordenador e professor do curso de engenharia mecatrônica da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo – USP, doutor em engenharia mecânica e membro dos comitês técnicos Robotics e Multibody Dynamics da International Federation for the Promotion of Mechanism and Machine Science.

Um modelo recém-lançado, com capacidade de carga de 7 ou 14 kg, é constituído por apenas um braço com sete eixos de movimentação e sofisticado controle de força, tornando eficiente e mais segura a interação com os operários. “Um parâmetro de desempenho desse robô é a relação entre a capacidade de carga e sua massa total que é de aproximadamente 0,5, o que normalmente, nos convencionais, é de 0,07”, comentou o docente. Também já estão disponíveis modelos de dois braços com sete eixos cada, que, além de trabalharem de forma cooperativa, são seguros para interagir com humanos.

Além dos redundantes e de interação intuitiva, o professor destacou que atualmente nota-se aumento da participação dos robôs manipuladores com estrutura mecânica paralela nos diversos setores produtivos, como automotivo, aeroespacial, alimentício e farmacêutico. “Esse tipo de estrutura permite a elevação do desempenho, principalmente em relação à velocidade de movimentação da ferramenta”, contou. Segundo ele, as garras de alguns alcançam 10 m/s, atingindo aceleração de 150 m/s2, sendo, portanto, adequados para operações de montagem, manuseio ou empacotamento.

E ainda há os modelos de cinco eixos, que possuem topologia híbrida combinando duas estruturas mecânicas, a paralela e a serial. “Em relação ao desempenho, têm volume de trabalho signi­ficativo, com repetitividade de 10 micrometros, adequada para operações de fresamento e soldagem por atrito”, disse Hess Coelho, completando que empresas dos setores automotivo e aeronáutico, como GM e Boeing, já utilizam essas máquinas tendo em vista sua capacidade de gerar componentes com geometria complexa.

De acordo com o docente, por enquanto poucas empresas no mundo, localizadas na Alemanha, Suécia, Japão e Estado Unidos, detêm a tecnologia para o desenvolvimento desses equipamentos. “Enquanto isso, nas universidades brasileiras diversas pesquisas são conduzidas para o desenvolvimento de robôs, com propósitos diversos, desde para atuar no setor industrial e exploração de petróleo até para reabilitação motora”, comentou o professor. “No entanto, o tempo para o desenvolvimento experimental normalmente é longo, uma vez que há dificuldades associadas à importação de motores, redutores e outros componentes especiais.”

Além dos robôs, especialistas em mecânica apontam as impressoras 3D de produtos metálicos como tendência no setor. Segundo Anna Carla Araujo, engenheira mecânica, professora do Departamento e Programa de Engenharia Mecânica da Escola Politécnica e Coppe – Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro e pesquisadora de usinagem e processos fabris, até pouco tempo havia muita dificuldade para se realizar prototipagem rápida com metais, mas agora é uma realidade. Porém, de acordo com a docente, essa manufatura aditiva ainda enfrenta os desafios de qualquer novo processo, do desenvolvimento à fabricação das máquinas com custos menores e ao estudo das propriedades das peças acabadas e suas possibilidades. E acrescentou um destaque da impressão 3D: a colaboração com o meio ambiente. “A manufatura aditiva é uma tecnologia net shape, ou seja, produz a peça no formato final com mínimo de resíduo do processo”, disse Anna, alertando: “A sustentabilidade e a preservação ambiental estão em moda há muito tempo, mas não há uma preocupação real, por exemplo, no descarte de fluidos com óleo, reutilização da energia e adaptação de itens que poderiam ser aproveitados. Preferimos descartar e comprar novidades a transformar”.

Compartilha da mesma opinião sobre a tendência da impressora 3D para metal Eraldo Jannone da Silva, professor e pesquisador do Departamento de Engenharia de Produção da Escola de Engenharia de São Carlos da USP e doutor em engenharia mecânica, acrescentando outra novidade: centro de usinagem que combina o fresamento e a manufatura aditiva por deposição a Laser. Para Silva, como ainda há poucas máquinas de manufatura aditiva disponíveis no Brasil, seria conveniente lançar linhas de financiamento para esses produtos.

Para programar suas próximas compras, conheça aqui novidades da indústria mecânica pesquisadas pela Central de Geração de Conteúdo de NEI Soluções no Brasil e no mundo.

O Estudo de Intenção de Compras da Indústria Brasileira 2014/2015, realizado por NEI Soluções com uma parcela de leitores da Revista e usuários do NEI.com.br, revela que nos próximos meses cerca de 1.500 pro­fissionais da indústria pretendem investir mais de US$ 500 milhões na compra de máquinas, equipamentos e componentes industriais. As máquinas operatrizes e as especiais somam 31% dessas intenções de compras; componentes mecânicos representam 9%; equipamentos para fábricas, 7%; e acessórios e ferramental para máquinas, 8%. Em suma, 55% das intenções recaem sobre produtos relacionados ao setor mecânico.

Para acessar a Revista NEI digital, basta fazer seu cadastro neste link: http://www.nei.com.br/revista/cadastro?origem=home 


Feimafe 2013: centro de usinagem e rosqueamento automático e simultâneo é o destaque da Máquinas Dauer

28, maio, 2013 Deixar um comentário
centro de usinagem e rosqueamento para toeneiras (7)

Centro de usinagem e rosqueamento

Em um mesmo equipamento, um total de oito operações simultâneas e contínuas que transformam materiais ferrosos e não ferrosos em torneiras, registros ou conexões usinadas e rosqueadas – já prontas para serem embaladas e distribuídas.

Com 100% de repetitividade, a máquina promete dispensar a dependência de mão de obra e otimizar o processo produtivo. Segundo a empresa, o projeto pode ser adequado a diversos tipos de materiais e dimensões, dependendo da necessidade do cliente. Tem capacidade de latão de até 3/4″ BSP e atende as normas de segurança NR-12.

Por limitação de espaço, o equipamento estará disponível em vídeo entre os dias 3 a 8 de junho, durante a 14ª Feira Internacional de Máquinas-Ferramenta e Sistemas Integrados de Manufatura – Feimafe, que acontece no Anhembi, em São Paulo.


Feimafe 2013: centro de usinagem horizontal MB 5000 é o destaque da Okuma

Na Feimafe – Feira Internacional de Máquinas-Ferramenta e Sistemas Integrados de Manufatura, a Okuma apresentará o centro de usinagem horizontal modelo MB 5000. A máquina conta com spindle de 15.000 rpm, avanço rápido dos eixos X/Y/Z de 60 m/min, troca de ferramentas T-T em 1.3 s e C-C em 3.1 s; e troca de palete em 9 s. A feira será realizada de 3 a 8 de junho no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo – SP.

“Com reduzido tempo de parada para manutenções, a série MB-H é construída com o conceito Thermo-Friendly, que permite prever a deformação térmica, melhorando a precisão”, disse Carlos Eduardo Ibrahim, gerente de vendas da Okuma.

Segundo o fabricante, as máquinas que apresentam Thermo-Friendly – TFC são projetadas para responder ao aquecimento em certas direções (gerenciáveis). “Juntamente com a compensação de deformação térmica de alta precisão, o conceito traz como benefício a precisão estável durante funcionamentos longos e contínuos”, informou Ibrahim. “Não é apenas a temperatura ambiente que pode influenciar o desempenho das máquinas. Existem mais duas fontes de aquecimento que costumam alterar a precisão: o calor produzido pela própria máquina e o calor oriundo do processo de produção.”


Vídeo: DEB’MAQ apresenta novo centro de usinagem

12, junho, 2012 1 comentário

Durante a Mecânica 2012, que aconteceu entre os dias 22 e 26 de maio, a DEB’MAQ apresentou uma nova opção de centro de usinagem, o Diplomat 3001.

Assista ao vídeo abaixo e confira.


Vídeo: Makino destaca centro de usinagem horizontal na Mecânica 2012

11, junho, 2012 Deixar um comentário

A alta precisão do centro de usinagem horizontal a61nx promete eliminar paradas, maximizando a utilização da máquina. A base com três pontos de apoio elimina a fixação no solo, facilitando a relocação para melhor aproveitamento da área disponível. O Centro de Usinagem a61nx é capaz de movimentar simultaneamente os eixos X, Y, Z em conjunto com o movimento de rotação do eixo B.

Confira mais detalhes no vídeo abaixo.


Mecânica 2012 – Bener lança no Brasil Centro de Usinagem Vertical

23, maio, 2012 Deixar um comentário

O estande da Bener Veker, divisão do Grupo Bener, lança no Brasil o centro de usinagem vertical First Veker V-700, que possui guias lineares roletadas superdimensionadas, magazine de ferramentas “Arm Type” com 24 posições, avanço rápido nos eixos X/Y/Z de 48 m/min, eixo-árvore com 12.000 rpm de velocidade de rotação e cooler de refrigeração com acoplamento direto ao motor-spindle de 5,5/75 KW/cv.

Vem equipado com o controle CNC Mitsubishi M-70 2A que agrega precisão e qualidade à produção. Entre as características técnicas estão: mesa de 800 x 400 mm, capacidade para até 250 kg de peso, três ranhuras em T, 500 mm de distância do eixo-árvore à coluna e distância do nariz do eixo-árvore à mesa de 150-700 mm. Nos cursos, os eixos X/Y/Z alcançam, respectivamente, 700, 400 e 550 mm. A velocidade de trabalho é de 1-10.000 mm/min. O magazine troca de ferramentas (seria “magazine de ferramentas”, apenas?) opera pelo sistema bi-direcional, com velocidade de 2 s (ferramenta a ferramenta) e 4,6 s (cavaco a cavaco). A ferramenta tem diâmetro máximo de 80 mm e mede até 250 mm.

Pesa 3.690 kg e possui 2.770 mm de altura, requerendo espaço de 1.900 x 2.284 mm.


Gigantes do Setor Automotivo realizam leilão de Máquinas Operatrizes

26, julho, 2011 1 comentário

No dia 03 de agosto, a Schaeffler Group, dona das marcas LUK, INA e FAG, empresa que desenvolve produtos e soluções para o segmento automotivo e industrial irá leiloar Fresadoras, Centrífuga, Tornos, Filtros, Retíficas, Centro de Usinagem, Transformadores, Empilhadeiras e Carregadeiras.

Os 77 lotes estão localizados em Sorocaba/SP. Entre eles podemos destacar: Torno CNC Ergomat TNA 480, Prensa Ajax Keserlin SA3/4 de 600 T, Bomba de Alta Pressão Lemasa L 120/2 ano 2006, Fresadora Protemanster UF11 ano 1981, Retífica Cilíndrica Vigorelli RUV 250, Empilhadeira Yale R25 GL, Centro de Usinagem Heller BZV07, Compressor de Ar Estacionário Atlas Copco.

Com 50 anos de Brasil o Grupo Schaeffler está sediado na Alemanha e é um dos líderes mundiais em componentes automotivos, industriais e aeroespaciais.

Já a ZF Sistemas de Direção  Joint Venture entre a ZF e a Bosch e líder em tecnologia de sistemas de direção, irá leiloar Tornos, Retíficas, Furadeiras, Lavadora, Placa de Traçagem, e Fresadora. São 24 lotes localizados em Sorocaba e Piedade/SP, entre os quais podemos destacar: Torno Semi-Automático Pittler Pidofat 25R ano 1989, Retífica Interna Bryants Cental C-2 ano 1987, Centro de Usinagem Wotan FZ25 CNC ano 1985, Furadeira Múltipla 12 ZFB Brevet Especial ano 1977 e VW Passat Variant 2.0 TFSI 2006/2007.

O encerramento do leilão será no dia 03 de agosto a partir das 11hs.

Os interessados devem se cadastrar no site www.superbid.net e participar do leilão ofertando lances via internet. As fotos e descrições completas dos lotes estão disponíveis no site. Para mais informações os interessados devem entrar em contato com a Central de Atendimento da Superbid, através do Telefone: (11) 2163-7800 ou via e-mail: cac@superbid.net.

Além do leilão eletrônico haverá pregão físico Alameda Lorena, 800 – Jardins – São Paulo-SP. Alternativamente os interessados poderão participar do leilão no Hotel Nacional-Inn em Sorocaba.

Clique nas imagens para ampliar:

 

 

 

 

_____________________________________________________________________________


Feimafe 2011 | Representantes dos setores de máquinas-ferramenta e qualidade debatem mercado

25, maio, 2011 Deixar um comentário

Em sua maior edição da história, com 1341 expositores, de 32 países, a 13º FEIMAFE – Feira Internacional de Máquina-Ferramenta e Sistemas Integrados de Manufatura e da 11º QUALIDADE – Feira Internacional do Controle da Qualidade, esperam atrair um público de 70 mil visitantes, configurando-se na principal feira do setor no país. Na coletiva oficial de abertura dos eventos, realizada na segunda-feira (23) estiveram presentes Liliane Bortoluci, diretora das feiras; Alfredo Ferrari, coordenador da Comissão da Feimafe/Qualidade; Hiçao Masawa, também da Comissão Feimafe/Qualidade; Carlos Maciel, presidente da Câmara Setorial de Máquinas, Equipamentos e Instrumentos para Controle da Qualidade (CSQI); André Luis Romi, presidente da Câmara Setorial de Máquinas-Fgerramenta e Sistemas Integrados de Manufatura (CSMF); Milton Rezende, presidente do Sinafer; e Ricardo Figueiredo, diretor do Senai.

As projeções de crescimento do setor de máquinas-ferramenta para este ano foi um dos assuntos abordados. A estimativa é de avanço de 11% em relação ao ano de 2010, mesmo enfrentando alguns problemas como as elevadas taxas de juros altos, a alta carga tributária e o câmbio desfavorável.

De acordo com André Luis Romi, Presidente da CSQI, o Brasil ocupa hoje a 20º posição no ranking de negócios de máquinas-ferramenta, o que correspondeu em 2010 a US$ 1,8 bilhão. Ele destacou ainda que o país tem potencial para crescer ainda mais, podendo chegar a 14º posição, com vendas de US$ 2,8 bilhões ao ano”.

Segundo Alfredo Ferrari, a evolução tecnológica vista nas duas feiras é muito grande, se comparado a edições anteriores, bem como a qualidade dos expositores. “Isso ocorre porque houve aumento na demanda por máquinas-ferramenta e ferramentas, assim como nos investimentos em alta tecnologia e modernização do setor.”

Milton Rezende, presidente do Sindicato das Indústrias de Ferramenta (Sinafer), lembra que o setor vem de um processo de ascensão desde 1990, quando da abertura do mercado para os produtos importados. Entretanto, o desequilíbrio que vemos hoje fica por conta da valorização do real em relação ao dólar. “Na verdade, o ideal é que nossa moeda estivesse 25% abaixo do que está hoje em comparação à norte-americana”, ressalta.

E é neste ponto que inicia a reivindicação do setor para o Governo Federal: “Precisamos de revisão do câmbio, isonomia de impostos e taxas mais baixas nos financiamentos, pois se eu produzo aqui um bem exatamente igual a um da Alemanha ou dos Estados Unidos, é possível que eu pague pelo importado um valor 43% a menos do que o nacional, de acordo com informações da Abimaq”, enfatiza Rezende.

Confira o primeiro de uma série de vídeos exclusivos da cobertura de NEI na Feimafe 2011:

Feimafe 2011 – Centro de Usinagem – Clique aqui para mais informações sobre a empresa e o produto.

Crédito: Wesley Sarto é graduado em Publicidade e Propaganda pela Universidade Metodista de São Paulo e pós-graduado em Marketing pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Desde de 2004 atua na área de comunicação e marketing e desde de 2007 integra a equipe de NEI Soluções.


“Máquina do tempo” estará exposta em estande temático na Feimafe/Qualidade 2011

17, maio, 2011 Deixar um comentário

Espaço relembrará a trajetória da indústria de máquinas no País desde 1942.

O visitante da 13ª FEIMAFE (Feira Internacional de Máquinas-Ferramenta e Sistemas Integrados de Manufatura – SP – 23 a 28/05/2011) terá a oportunidade de fazer uma viagem no tempo e ver máquinas que ajudaram a construir o início da industrialização brasileira. Um dos estandes contará, por intermédio de uma exposição com 23 equipamentos antigos e modernos, a evolução da indústria de máquinas-ferramenta no País. Também será possível observar como se deu o aprimoramento da mão de obra que operam essas máquinas ao longo de seis décadas.

A exposição está dividida em três períodos: de 1942 a 1960, com a exibição de plainas limadoras, bancadas com morsas, furadeira de bancada, torno de oleiro e tornos paralelos; de 1961 a 1985, furadeira de coluna, prensa excêntrica, eletroerosão, torno universal, torno automático, fresadora universal, retificadora afiadora e prancheta com tecnigrafo; e o Estado da Arte de 2011, com torno CNC, centro de usinagem, robô manipulador de peças, estação de programação CAD/CAM e mesa de estudos com tablets e lousa interativa.

A análise desses três períodos permitirá ao visitante constatar a evolução tecnológica ocorrida nessas mais de sete décadas, tanto das máquinas/equipamentos, como da metodologia da educação profissional. Ele poderá ver a evolução, por exemplo, a partir do torno paralelo, e depois o torno universal, torno automático, torno de comando numérico NC e, finalmente, o Torno CNC de comando numérico computadorizado, ou então a evolução da utilização a partir da plaina limadora, passando pela fresadora universal e chegando ao Centro de Usinagem.

O projeto do estande, que tem como tema principal “1942 – A Evolução Brasileira das Máquinas-ferramenta e da Educação Profissional – 2011”, é uma parceria da Câmara Setorial de Máquinas-Ferramenta e Sistemas Integrados de Manufatura (CSMF) da ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, com a Reed Exhibitions Alcantara Machado, a promotora da feira, e o SENAI-SP.

Além do cuidado em expor máquinas das mais variadas décadas, o Senai tomou todas as providências para montar um ambiente que coloque o visitante em contato com a realidade de cada uma das épocas retratadas por meio das máquinas. Desta forma, o projeto inclui também a caracterização dos profissionais presentes no estande segundo a forma de se vestir de cada uma das épocas retratadas. Há também uma preocupação em caracterizar o mobiliário usado nas oficinas, o estilo dos telhados, a iluminação.

Outro atrativo para quem visitar o estande temático da Feimafe 2011, que acontece de 23 a 28 de maio de 2011, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo, é a possibilidade de ver as máquinas antigas em pleno funcionamento. Graças ao trabalho abnegado de técnicos e mecânicos da Escola Senai de Lençóis Paulista, todas a máquinas que serão exibidas foram reformadas e seguem operando, o que tornará a mostra ainda mais real e interativa. O trabalho contou também com o apoio e colaboração dos alunos do Senai. Vários deles estarão no estande operando as máquinas.

O propósito dos promotores da feira com a montagem desse estante temático é popularizar a importância das máquinas-ferramenta. Se quer mostrar que elas são uma parte importante para a concretização de todos os produtos que fazem parte do cotidiano das pessoas.