Arquivo

Textos com Etiquetas ‘centro técnológico’

Mazak inaugura novo Centro Tecnológico em Vinhedo (SP)

A Mazak Sulamericana, subsidiária brasileira da japonesa Yamazaki Mazak, especializada na produção de máquinas-ferramenta e máquinas de corte a laser, inaugurará na próxima semana o seu novo Centro Tecnológico no Brasil. O empreendimento, que deve gerar cerca de 100 empregos, está localizado à margem da Rodovia Anhanguera (próximo a entrada de Vinhedo), a 20 minutos do Aeroporto de Campinas e a 75km do centro de São Paulo. “Em 2012, crescemos 15% em relação a 2011. A expectativa para 2013, com o novo CT, é, não apenas de aumentar o faturamento em cerca de 20%, mas, de ampliar o market share da companhia no país e ter maior visibilidade no mercado”, conta Martin Vay, general manager da Mazak Sulamericana.

Ainda segundo Martin Vay, os Centros Tecnológicos da Mazak (80 espalhados em 22 países) objetiva criar soluções diferenciadas para a indústria de máquinas-ferramenta e de corte a laser. “Além disso, nosso foco é oferecer todo o suporte aos clientes na utilização de nossas máquinas, desde a pré-venda e treinamento, até complexas integrações e automações, para que possam extrair o máximo em produtividade dos equipamentos”, explica.

O prédio de dois andares, instalado em área de 29.140 metros, com 5 mil m² de área construída, conta com showroom, área de try out, auditório para 99 pessoas, salas de reunião, treinamento, call center, assistência técnica e suporte de peças, restaurante e lounge – no andar térreo. No andar superior foram instaladas as áreas de suporte à operação, como os setores administrativo, vendas e de engenharia de aplicações.

Nos dias 26 e 27 de junho, haverá o Open House de inauguração para clientes, fornecedores e parceiros, que poderão conhecer os processos e técnicas de produção oferecidos pela Mazak. Nestes dois dias, além de mostrar aos visitantes as novas instalações, a empresa oferecerá algumas palestras, como “Automação para otimização dos processos de corte a laser”; “Comando CNC adequado a sua máquina”; “Vários níveis de automação aplicados à máquina CNC” e “A evolução da usinagem multitarefa”.

As máquinas da Mazak são indicadas para a produção de componentes de diversos setores da indústria, desde aplicações médicas, como próteses, a peças para aviões e helicópteros. No Brasil, os principais segmentos de atuação da empresa são energia (petróleo, eólico e biocombustíveis), automotivo, médico, aeronáutico, construção, agrícola e mineração.


Fabricante de sistemas de direção assistida inaugura primeiro centro tecnológico no País

A Jtekt, empresa japonesa especializada na fabricação de sistemas de direção hidráulica e elétrica, após investir R$ 15 milhões, inaugura hoje (9), em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba (PR), seu primeiro centro tecnológico brasileiro. Oitavo no mundo, o novo centro será responsável por validar 100% dos sistemas produzidos anualmente na planta industrial (que fica na mesma área). Hoje, a Jtekt do Brasil fornece 1 milhão de conjuntos por ano em três linhas, atendendo clientes como Toyota, Volkswagen, Peugeot, Fiat, Renault, Nissan e General Motors.

Segundo a empresa, o Inovar-Auto, programa que busca incentivar a fabricação de veículos mais econômicos e seguros no Brasil, foi crucial na decisão de construir um centro tecnológico em território brasileiro. “Inicialmente, o trabalho do centro estará dividido em duas frentes: desenvolver novos projetos de direção elétrica e elaborar equipamentos para os laboratórios da própria Jtekt”, diz Lucio Pinto, diretor comercial e de engenharia da Jtekt do Brasil.

Os desafios
Segundo Lucio Pinto, 75% dos carros vendidos atualmente no Brasil têm direção assistida (hidráulica ou elétrica). Desses, apenas 12% tem direção elétrica. “Com a globalização das linhas de veículos, as montadoras trarão novos sistemas de direção elétrica para os automóveis fabricados aqui. É o caso da Volkswagen, que já nos procurou”, comenta.

Para o diretor comercial, o grande obstáculo será a concorrência com os sistemas importados. “Mais de 90% deles são importados por serem mais baratos”, lamenta. Para enfrentar esse desafio, o Inovar-Auto terá importância redobrada para a empresa japonesa, pois um dos quesitos do programa é obrigar as montadoras a comprar mais de fornecedores brasileiros.

Outro desafio é a falta de qualidade da tecnologia nacional. O próprio equipamento fabricado no Brasil pela Jtekt não é 100% nacional. Segundo Lucio Pinto, a falta de fornecedor local obriga a empresa a importar o Electronic Control Unit – ECU (central eletrônica de controle) e o motor elétrico. “Esperamos localizar o máximo das nossas compras o mais rápido possível”, finaliza.

Fonte: com informações da Automotive Business.


Festo apresenta robôs que recriam movimentos de animais

19, dezembro, 2011 Deixar um comentário

Localizada na Alemanha, a matriz da Festo mantém um centro tecnológico destinado ao desenvolvimento de novas tecnologias inspiradas na natureza. Trata-se do Bionic Learning Network, um núcleo de pesquisas que, em conjunto com universidades e com a Didactic – centro educacional da empresa – recriam a forma, os movimentos e até mesmo os hábitos comportamentais de seres vivos por meio da biotecnologia. São projetos que apontam caminhos tecnológicos para o futuro com o objetivo de estudar movimentos automatizados com o auxílio da biônica.

Conheça abaixo alguns dos protótipos desenvolvidos pela empresa nos últimos anos:

Tripod

O Bionic Tripod é composto de três hastes de fibra de vidro estruturadas na forma de uma pirâmide. Seus elos transversais são montados em intervalos regulares de forma articulada, deixando a construção rígida.

O Tripod pode curvar-se em até 90º em qualquer direção, avançando ou retraindo as hastes. A interface entre o bionic e a peça é realizada por um dispositivo denominado FinGripper, que detém a peça, por exemplo, uma lâmpada, como se fosse pega por uma mão.

AcquaJelly

Imagine uma água-viva artificial autônoma, com acionamento elétrico e um mecanismo inteligente adaptativo que emula o comportamento real do animal, é a AcquaJelly. Este bionic é constituído de um hemisfério translúcido, um corpo central estanque e oito tentáculos para propulsão.

A AcquaJelly se move com o auxílio de um sistema de propulsão peristáltico, que tem como base o princípio da impulsão utilizada pela água-viva real e seus tentáculos utilizam um projeto derivado da anatomia real de uma barbatana de peixe. A AcquaJelly é uma perfeição da biomecânica desenvolvida em prol da ciência.

AcquaPenguin e AirPenguin

São os robôs-pinguins da Festo, respectivamente que fazem manobras na água e no ar. Eles se movimentam de forma independente, nadando ou flutuando e são capazes de desenvolver padrões de comportamento coletivo. Um sistema de sensores 3D, similar ao sonar utilizado por golfinhos e morcegos, permite que o AcquaPenguin e o AirPenguin realizem manobras até mesmo em espaços apertados, inclusive nadando ou flutuando para trás – coisa que os pingüins não são capazes de fazer na natureza.

AirJelly

O AirJelly foi inspirado no movimento das águas-vivas, mas ao invés de nadar como elas, desliza pelo ar com a ajuda de seu atuador elétrico central e de um sistema mecânico inteligente e versátil. Este bionic é controlado remotamente e mantido no ar por um balão cheio de gás hélio. Sua única fonte de energia são duas baterias de polímero de íon-lítio conectadas ao atuador elétrico central. O AirJelly desliza suavemente pelo ar graças ao novo conceito de acionamento baseado no princípio de impulsão por retrocesso.

Smart Bird

Inspirado no movimento das gaivotas, o “pássaro inteligente” foi todo produzido com fibra de carbono, possui uma envergadura de dois metros e seu peso total não passa de 485 gramas.

O SmartBird é capaz de decolar, voar e aterrisar sozinho sem o auxílio de outros dispositivos de elevação. Durante o seu vôo, as informações sobre as posições de suas asas são constantemente registradas, garantindo uma operação segura e um vôo estável.

Toda sua construção foi realizada com o uso mínimo de materiais e as pesquisas que envolveram sua execução irão ajudar a buscar novas soluções para a área de automação e no desenvolvimento de novas tecnologias.