Arquivo

Textos com Etiquetas ‘Computação em Nuvem’

Entra em vigor norma sobre computação em nuvem

Desde 7 de janeiro vigora a norma ABNT NBR ISO/IEC 17788:2015 – Tecnologia da informação – Computação em nuvem – Visão geral e vocabulário, que traz uma visão geral sobre a computação em nuvem, termos e definições sobre o tema. Criada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), o Serpro e a Anatel, é uma versão em português de um trabalho realizado em cooperação com a International Telecommunication Union (ITU), que coordena padrões internacionais para telecomunicações, e a International Organization for Standardization(ISO), organização internacional para padronização.

Segundo Fernando Gebara Filho, coordenador da Comissão de Estudo de Plataformas e Serviços de Aplicativos Distribuídos (ABNT/CE-21:038.00), essa norma vai permitir que empresas, usuários, associações de indústria, legisladores, reguladores e membros dos setores de TI e Telecom trabalhem com uma base sólida e comum de entendimento sobre o que é a computação em nuvem, o grupo de participantes e que tipo de benefícios dela podem ser obtidos. Além disso, diz Gebara, essa norma permite que todos trabalhem sobre definições válidas internacionalmente, o que habilita empresas brasileiras a exportar seus serviços e a consumidores brasileiros a utilizar adequadamente os serviços oferecidos tanto por empresas nacionais quanto estrangeiras.

A expectativa é de que a norma seja amplamente adotada pelo mercado, facilitando o comércio de serviços baseados em computação em nuvem. Para mais informações acesse o site da ABNT: http://www.abnt.org.br/


Governo federal inicia uso de computação em nuvem

O Serviço Federal de Processamento de Dados – Serpro disponibilizará em setembro computação em nuvem (cloud computing) para uso do governo federal. A tecnologia envolverá as áreas de ouvidoria, saúde, educação, gestão escolar e comunicação para cerca de 200 municípios. Segundo Marcos Mazoni, presidente do Serpro, a computação em nuvem brasileira está preparada para acesso três vezes maior que o previsto.

Entre os desafios a ser enfrentados estão a necessidade de profissionais para a construção de sistemas no novo modelo e a troca de informações entre diferentes nuvens que evite o rompimento entre ambientes.

Fonte: com informações da Agência Brasil.


Cloud Computing como um facilitador de segurança

29, outubro, 2012 Deixar um comentário

Assim como acontece com as tecnologias implantadas em ambientes locais, desde a integração com outras atividades de Tecnologia da Informação – TI até a preocupação com o vazamento de informação, existem riscos a ser considerados antes de se optar pela utilização da Cloud Computing (computação em nuvem). Porém, um aspecto pouco destacado é que operações baseadas em nuvem podem ser facilitadoras para a segurança de TI.

A força massiva dos ambientes de TI, a alta capacidade de armazenamento e uma infraestrutura compartilhada são três possibilidades da computação em nuvem que melhoram e modernizam a segurança da informação. Combinadas, podem aprimorar as práticas tradicionais de segurança e criar benefícios significativos para profissionais e fornecedores de TI, como por exemplo:

• Melhor performance. Computação em nuvem aceita aplicações mais robustas, típicas em soluções de segurança em TI. A transferência do processamento de informação para ambientes em nuvem, além de agilizar os sistemas, facilita o uso de múltiplas ofertas de segurança simultaneamente.

• Informação centralizada. Com capacidade de armazenamento ilimitada, com a nuvem é possível, de forma centralizada, criar, manter e compartilhar um número maior de informações sobre ameaças na rede, malwares, listas de reputação de arquivos, serviços de geolocalização, entre outros dados de segurança.

• Rápida defesa. Combinando a força de processamento e armazenamento dos ambientes em nuvem com a inteligência adquirida das comunidades de usuários, é possível aplicar técnicas de data mining em larga escala para identificar padrões anormais de comportamento do sistema, criando mais rapidamente novas detecções e proteções para a rede. Além disso, a computação em nuvem fornece plataformas para testar proteções utilizando dados reais.

• Proteção flexível e inteligente. A computação em nuvem permite implantar somente as proteções adequadas ao perfil de risco da empresa, protegendo a rede de forma mais rápida e específica.

Tendências
Inicialmente, o benefício da alta capacidade de armazenamento da nuvem é utilizado para voltar no tempo e identificar o “paciente zero” – o primeiro infectado –, sendo o passo inicial para impedir a propagação de um malware. Além disso, a análise retroativa possibilita identificar apenas os dispositivos e os programas infectados, dispensando verificação completa do sistema. Também pode-se esperar que usuários identifiquem, em tempo real, um IP ou arquivo malicioso e se já há vacina disponível para manter seu ambiente protegido.

Aproveitar o potencial da computação em nuvem para melhorar a segurança da rede pode ser o primeiro passo para estar à frente dos invasores nessa guerra cibernética, cada vez mais sofisticada e implacável.

O artigo “Cloud Computing como um facilitador de segurança” foi editado pela Central de Geração de Conteúdo de NEI Soluções com base nas informações de Ricardo Dias, engenheiro de segurança da Sourcefire, empresa especializada em tecnologia e segurança da informação.


45% das PMEs preveem adquirir computação em nuvem nos próximos anos

Nos próximos dois ou três anos, 45% das pequenas e médias empresas – PMEs nacionais devem adquirir a tecnologia em nuvem, segundo a pesquisa “Microsoft SMB Business in the Cloud 2012” (Microsoft Pequenas e Médias Empresas na Nuvem), elaborada pela Edge Strategies e a Microsoft. De acordo com o estudo, das 250 empresas nacionais entrevistadas, 33% já utilizavam a computação em nuvem.

Antes exclusiva das grandes empresas, hoje a tecnologia em nuvem é realidade nas pequenas e médias corporações. Com a rápida ascensão do mercado digital, surgiram diversos fornecedores da nova tecnologia, forçando a queda dos custos. “A computação em nuvem coloca essas empresas em igualdade de condições de estrutura tecnológica. O investimento em TI e o tempo para operacionalizar são reduzidos, focando as PMEs no que é a sua prioridade: “crescer”, analisa Victor Baez, gerente de pequenas e médias empresas e canais da Microsoft Brasil.

Fatos e tendências
As empresas esperam utilizar a computação em nuvem não somente para o uso de serviços como e-mail, mas também para acessar aplicativos e sistemas mais complexos para melhorar a produtividade dos negócios.

A segurança em tecnologia da informação ainda está na lista de prioridades das pequenas e médias empresas, mas não é a principal preocupação. Apenas 23% das empresas brasileiras e 20% da média global acreditam que os seus dados estão menos seguros na nuvem do que se estivessem em seus computadores. Além disso, 37% das PMEs consideram a tecnologia em nuvem tão segura quanto os  sistemas físicos.

A crise econômica aparece como uma das principais preocupações do empresariado. Segundo a pesquisa, 30% das empresas brasileiras consideram a instabilidade econômica como um obstáculo para seu crescimento. O resultado é alto, mas mostra o Brasil 18% mais otimista em comparação aos 13 países participantes da pesquisa, já que a média global apontou 48%.

Apesar das turbulências econômicas, 68% das pequenas e médias empresas nacionais e 53% das PMEs do mundo que utilizam computação em nuvem preveem aumentar suas vendas nos próximos 12 a 18 meses.

A pesquisa “Microsoft SMB Business in the Cloud 2012” foi elaborada em dezembro de 2011. Foram entrevistados decisores e influenciadores de Tecnologia da Informação – TI de 3 mil pequenas e médias empresas que possuem de 2 a 250 funcionários em 13 países: Alemanha, Austrália, Brasil, China, Coreia do Sul, Dinamarca, Estados Unidos, Espanha, França, Japão, Reino Unido, Rússia e Turquia. Acesse aqui a íntegra do estudo.