Arquivo

Textos com Etiquetas ‘conexões’

Flutrol distribuirá com exclusividade no Brasil as válvulas e conexões Superlok

Especializada em soluções de alta pressão, a Flutrol está expandindo sua oferta de produtos, tornando-se distribuidora oficial, no Brasil, da marca internacional Superlok. Com rastreabilidade total de todos os componentes e intercambiabilidade com produtos de outros fabricantes, as válvulas e conexões Superlok são produzidas sob rígido controle de qualidade, desde a inspeção e especificação de matéria-prima, testes químicos, mecânicos, hidráulicos e pneumáticos até a inspeção final na expedição. .

O lançamento exclusivo para o mercado brasileiro das válvulas e conexões Superlok, pela Flutrol, ocorrerá durante a Feira Internacional de Máquinas e Equipamentos – FEIMEC, de 3 a 7 de maio, e a 31ª Feira Internacional da MECÂNICA, de 17 a 21 de maio, ambas em São Paulo.

De atuação globalizada, fornecendo para países da Ásia, Oriente Médio, Europa e Américas, a Superlok  é certificada pela ASTM, ASME (tipo N) e DNV GL (antiga Germanischer Lloyd) e coleciona diversas premiações.

Para informações sobre os produtos Superlok, acesse: www.flutrol.com.br/Superlokbrasil


Tigre constrói sua primeira fábrica sustentável

Após investimentos de aproximadamente R$ 15 milhões, a Tigre, multinacional brasileira anunciou sua primeira fábrica “verde”. A nova fábrica está localizada em Joinville, Santa Catarina, no mesmo complexo industrial da matriz. “Há muitos anos temos investido em processos sustentáveis na empresa, e essa fábrica torna-se um modelo para as demais plantas. Economizamos cerca de R$ 1 milhão com pequenas adequações, como a alteração da voltagem de energia”, conta Rogério Khontopp, diretor de qualidade e inovação da Tigre.

Telhas térmicas que dispensam condicionadores de ar, reaproveitamento de água da chuva para os sistemas internos de produção, torres de resfriamento secas que evitam a evaporação e poupam 15 mil m³/dia de água , alteração de voltagem da fábrica para 380 volts onde os cabeamentos são menores, máquinas injetoras automáticas que reduzem em até 50% o consumo de energia, sistema de controle de luminosidade e sistema para aproveitar o máximo da luz natural são as principais medidas adotadas para aumentar a lucratividade da empresa e ainda beneficiar o meio ambiente.

Instalação de torneiras econômicas, renovação tecnológica de equipamentos para reduzir o nível de consumo de energia elétrica, programas de conscientização e gerenciamento de emissões de veículos da frota terceirizada são outras atitudes “verdes” também praticadas pela empresa.

Entre válvulas de PVC e C-PVC, registros borboleta, registros de chuveiros, registros gaveta, relógios de leitura de consumo de água, chamadas de Unidade de Medição e Controle – UMC, kit cavalete para hidrômetro residencial e outros registros para aplicações especiais, a fábrica produz cerca de 600 mil peças por mês.

 

Novidade
Com a nova fábrica, a Tigre introduz no mercado brasileiro registros com junta soldável. Segundo a empresa, a vantagem em relação ao modelo anterior é que o novo padrão, além de oferecer um melhor ajuste, reduz o risco de vazamento. “Este novo conceito vem para atender a exigência do mercado e, além disso, poderemos operar com estoques menores, reduzindo assim as despesas relativas à produção nas linhas de produtos injetados”, diz Khontopp.


Mecânica 2012 – Tupy apresenta novas conexões de ponta lisa

Um dos destaques da Tupy no evento é a linha Tupypres. São conexões para tubos de aço e de polietileno com os diferenciais: ponta lisa e encaixe que dispensa uso de rosca, proporcionando instalação rápida e simples.

Podem ser usadas em redes de água fria e quente; de ar comprimido e de prevenção e combate a incêndios; e de diesel, gasolina, álcool e gás; além de equipamentos de refrigeração e caldeiras, entre outras aplicações.


Edra do Brasil investe em nova fábrica

18, novembro, 2011 Deixar um comentário

A Edra do Brasil, fornecedora de produtos em fibra de vidro tais como tubos, conexões, reservatórios, estações de tratamento e acessórios industriais está investindo na construção de mais uma fábrica, que ocupará uma área de 4500 m2.

Atualmente a Edra conta com um parque fabril de 25 mil m2 e segundo a empresa, a nova planta terá capacidade produtiva de 200 km de tubos de grande diâmetro (de até 2600mm) por ano destinado especialmente ao setor de saneamento Básico, trará um aumento de 25% a 30% da capacidade produtiva total da empresa. “Para isso utilizaremos uma tecnologia italiana na fabricação de tubos em PRFV (plástico reforçado com fibra de vidro), que permitirá um melhor desempenho no consumo de matérias-primas e redução do custo fixo desses materiais”, afirma Igor Bolorino, engenheiro de aplicação da Edra.

Essa tecnologia refere-se a uma máquina composta de um shaft central horizontal, sobre o qual são fixados discos que delimitam o diâmetro do tubo a ser produzido. No perímetro destes discos são montadas travessas formando uma armadura. Para obter a superfície interna lisa do tubo, é enrolada uma fita metálica que realiza o movimento de translado do tubo por meio de dispositivos acoplados ao sistema, proporcionando a produção contínua. Após isso, o mandril gira e a fita se desloca longitudinalmente e,  todas as matérias-primas são depositadas em quantidade pré definidas sobre o produto. Sensores eletrônicos fornecem feedback dos parâmetros de produção continuamente para que os vários sistemas de alimentação apliquem a quantidade correta de material. “Isso garante que a quantidade de material necessário para construir as diferentes camadas é aplicada durante toda a fase de fabricação”, comenta Ígor.

De acordo com Arnaldo Gatto, gerente de desenvolvimento da empresa, os investimentos para construção e nos equipamentos giram em torno R$ 15 milhões, investimento compensado pela eficiência de produção. “O principal diferencial desta nova fábrica é seu elevado grau de automação, que reduzirá o consumo energético, tornando o processo produtivo muito mais vantajoso econômica e ambientalmente correto”, conta.

Além disso, a fábrica foi planejada para atender as exigências de futuras certificações ambientais. “Todos os resíduos da produção desta nova fábrica serão captados, tratados ou descartados de forma correta em nosso aterro industrial”, finaliza Gatto. As obras estão previstas para serem concluídas em março de 2012.