Arquivo

Textos com Etiquetas ‘contratação’

Empresa multinacional chinesa busca representante de vendas no Brasil

A Xiamen Hongfa, fabricante chinesa de relês, está buscando um gerente de vendas para representar a empresa no Brasil. O interessado deve morar em São Paulo, ter ensino técnico e/ou superior de curta duração, experiência mínima de três anos com vendas de componentes eletrônicos e domínio escrito e falado da língua inglesa. Experiência com vendas de relês será um diferencial. A empresa pretende contratar alguém até o final de 2014.

O candidato deve enviar seu currículo em inglês, contendo salário atual, pretensão salarial e disponibilidade, para intl@honfa.com ou nick-chen@hongfa.com

Sobre a empresa
A Xiamen Hongfa produz uma série de produtos, tais como: reles, dispositivos de baixa voltagem, painéis elétricos, componentes de precisão e linhas de produção automatizadas. É a maior fabricante de relês da China, oferecendo mais de 160 séries em mais de 40.000 tipos de padrões de especificação. Com 28 fábricas em uma área total de 330.000 m², em 2013 faturou US$ 705 milhões.

Mais detalhes em www.hongfa.com


Mercedes-Benz contratará mais de 80 estagiários

As oportunidades são para trabalhar nas fábricas de São Bernardo e Campinas e no escritório regional da Mercedes-Benz do Rio de Janeiro. As inscrições das mais de 80 vagas de estágio vão até 18 de novembro. A previsão é que os contratados iniciem suas atividades em 2014.   

Poderão participar universitários que estejam estar cursando em 2014 o penúltimo ou o último ano de graduação em: engenharia (automobilística, mecânica, elétrica/eletrônica, mecatrônica, de produção, civil, de alimentos ou de materiais), automação, desenho industrial, economia, administração de empresas, comércio exterior, ciências contábeis, direito, marketing, comunicação social, informática/ processamento de dados, secretariado, serviço social, medicina do trabalho, psicologia, enfermagem do trabalho, arquitetura ou física.

O processo seletivo terá sete etapas: triagem de currículo, testes online e presencial, apresentação do programa, dinâmicas em grupo, entrevistas individuais e entrevista com o gestor do estágio. Nível intermediário de inglês, conhecimento de alemão e de espanhol, flexibilidade e paixão pelo universo automobilístico serão diferenciais.

No decorrer do estágio, o estudante receberá bolsa-auxílio, fretado ou auxílio transporte, alimentação, assistência médica e seguro contra acidentes pessoais.

Para mais informações e/ou inscrição, acesse aqui.


Honda confirma segunda fábrica de automóveis no Brasil. Investimento será de R$ 1 bi

planta_hondaA Honda construirá uma nova fábrica de automóveis no Brasil, em Itirapina (SP). A cidade do interior paulista, que possui cerca de 15 mil habitantes, fica a 200 quilômetros da capital do Estado e a 115 quilômetros da outra fábrica de carros da Honda, em Sumaré (SP). A nova planta terá capacidade produtiva de 120 mil veículos por ano, dobrando a capacidade nacional da companhia. A previsão é iniciar as operações em 2015.

Somando terreno de 5,8 milhões de m², aquisição de máquinas e equipamentos e construção das instalações, a Honda prevê investir R$ 1 bilhão. Cerca de 2.000 profissionais serão contratados para contribuir na produção de um veículo compacto (estilo Honda Fit). Com a nova unidade, o investimento acumulado da Honda (automóveis) no Brasil atingirá R$ 3,5 bilhões.

Meio ambiente. A preocupação com os aspectos e impactos ambientais estará presente na nova unidade da Honda. Entre as tecnologias e processos previstos para minimizar as emissões de poluentes, está a pintura a base d’água que promete utilizar menos tinta, reduzindo a emissão de gases.

Centro de Pesquisa. Até o final deste ano a Honda promete inaugurar um Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Automóveis, nas dependências da fábrica de Sumaré. Em nota, a empresa diz que “o objetivo é fortalecer o desenvolvimento de produtos, atender às necessidades dos consumidores brasileiros e aumentar a nacionalização de componentes”.


3M contratará cientistas, engenheiros e técnicos

Devido à ampliação do Centro Técnico para Clientes e do Laboratório de Pesquisa & Desenvolvimento da 3M, localizados na planta de Sumaré (SP), que passaram de 5,6 mil m2 para 10 mil m2, serão feitas novas contratações. “Além da ampliação da estrutura física, adquirimos equipamentos de última geração e estamos ampliando nosso quadro de cientistas, engenheiros e técnicos”, declarou Chris Olson, diretor de P&D da 3M do Brasil. No total, essas estruturas reúnem 175 profissionais e, até 2016, contarão com 280.

O Centro Técnico para Clientes passou de 17 laboratórios de serviços técnicos para 21, e o laboratório de P&D ganhou três novas áreas: pesquisa corporativa, tecnologia de polímeros e prototipagem em 3D. Foram investidos na expansão US$ 13 milhões.

“Atualmente, 32% do faturamento da 3M no Brasil é proveniente de produtos lançados nos últimos cinco anos”, afirmou o executivo. “Para 2017, esse número deve saltar para 40% e a ampliação certamente nos auxiliará a alcançar essa meta.” Somente nos últimos cinco anos, a companhia incrementou o segmento com cerca de US$ 7,3 bilhões, globalmente. Hoje, são mais de 8.200 pesquisadores em todo o mundo (entre cientistas, engenheiros e técnicos) voltados a esse trabalho.

A empresa conta com 35 unidades de Centro Técnico para Clientes globalmente, sendo que o centro do Brasil, inaugurado em 2005, foi o primeiro da América Latina. Já o Laboratório de Pesquisa & Desenvolvimento local foi inaugurado em 2008 e faz parte de um conjunto de 85 laboratórios da organização no mundo.


Engenharia liderará as contratações no País nos próximos anos, diz Firjan

A Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro – Firjan realizou a pesquisa Perspectivas Estruturais do Mercado de Trabalho na Indústria Brasileira – 2020, que aponta haver, entre os profissionais com formação superior, mais oportunidades para os engenheiros de petróleo, de mobilidade e ambientais sanitários.

No nível técnico, as chances serão maiores em mecatrônica e para os desenhistas elétricos, eletrônicos e eletromecânicos. Já para aqueles que contam com ensino fundamental completo, estarão em destaque os supervisores de produção em indústrias de transformação de plástico e os trabalhadores da área de tratamento de superfície de metais e compósitos.

Elaborada junto a 402 empresas que empregam 2,2 milhões de empregados de 26 grupos da Classificação Nacional de Atividades Econômicas/IBGE, a pesquisa representa as indústrias extrativa, de transformação e da construção civil. Foram entrevistados profissionais da área de recursos humanos e/ou da área operacional.


Entre a Lei e a Multa: como preencher as cotas para PNEs nas indústrias estabelecidas pela Lei? II

28, outubro, 2010 Deixar um comentário

Boas Práticas em Programa de Inclusão

– Imprimir maior esforço na etapa inicial do programa de inclusão;

– Treinar e conscientizar colaboradores internos e lideranças para a chegada e o relacionamento saudável entre todos o profissionais da empresa; Fazer palestras e treinamentos contínuos para todos os funcionários.

– Elaborar ações efetivas que contribuíam para o fim da discriminação e o preconceito;

– Garantir estabilidade e crescimento para estes profissionais;

– Eliminar barreiras físicas, programáticas e atitudinais com relação aos PNEs. Eliminar barreiras que possam inviabilizar a produtividade e aumentar a integração dos funcionários.

– Investir e garantir acessibilidade física: mobilidade e usabilidade para qualquer pessoa em todos os espaços;

– Investir e garantir acessibilidade digital: mobilidade e usabilidade de recursos computacionais.

– Estimular empresas para qualificarem essa mão-de-obra, pois as políticas públicas são insuficientes;

– Cuidar para que não ocorra frustração, tanto para PNEs e empresas;

– Enfrentar a dificuldade de identificar, recrutar, reter PNEs qualificados e fazer com que as empresas se envolvam com programas de treinamento para os candidatos, direta ou indiretamente via instituições, ONGs ou convênios.

– Levar e consideração que, uma cultura organizacional baseada em valores éticos e um clima organizacional satisfatório podem ser um grande aliado na captação e retenção de PNEs talentosos.

a) Período de Contratação e Demissão:

Pessoas com Deficiência Visual: Para a assinatura dos documentos e do contrato de trabalho esse candidato utilizará régua ou Guia.

Pessoas Surdas: É necessário um suporte (tradutor de Libras) para colaborar para maior compreensão de questionamentos que possam surgir por ambas as partes.

b) Mobilidade, Permanência e Bem-Estar

Cadeirantes: Providenciar rampas de acesso, banheiros adaptados, vagas exclusivas em estacionamentos, guias rebaixadas, mobiliário adaptado, circulação facilitada.

Pessoas com deficiência Visual: Piso tátil., comunicação em Braile, agenda com voz, calculadora com voz, sinalizadora sonora, lentes de aumento, telefones com dígitos grandes, software de leitura de voz, ampliadores de tela de computadores.

Estas ações podem ser decisivas para garantir a chegada e a permanência saudável dos PNEs nas indústrias. É muito bom quando deparamos com experiências advindas dessa Lei que já traduzem boas práticas para o mercado. Atualmente podemos nos deparar com pessoas portadoras de nanismos (anões) trabalhando nos procedimentos de embarques nos aeroportos, com pessoas portadoras de deficiência mental nos servindo em redes de lanchonetes e parques de diversões, com a alta performance de portadores de deficiência visual trabalhando em laboratórios específicos, ou ter um Professor e Diretor de Faculdade de Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora como exemplo de carreira e de vida.

Confira no próximo Post o exemplo de duas empresas brasileiras que investem em seus programas de inclusão.

Crédito: artigo escrito por Ana Paula Arbache, sócia diretora da Arbache Consultoria e responsável pelas ações de gestão de pessoas, cidadania corporativa, sustentabilidade ética, social e ambiental.