Arquivo

Textos com Etiquetas ‘empregos’

Foxconn inicia obras da nova fábrica em SP, com operações previstas para 2015

A fabricante taiwanesa de produtos eletrônicos Foxconn começa a construção de sua nova unidade, dessa vez na cidade de Itu-SP. A expectativa é de que a fábrica comece a operar até o fim de 2015.

A primeira fase, que irá até 2016, contará com R$ 400 milhões para a construção e a operação de uma unidade de 40 mil m2 e gerará a contratação de cerca de 5 mil trabalhadores. No total, a expectativa é de que a planta de Itu gere cerca de 10 mil empregos diretos, que serão criados ao longo de todas as fases do empreendimento. A empresa contratará funcionários nas áreas de engenharia, tecnologia da informação e administrativa.

A produção nas demais fábricas da Foxconn no Brasil não será alterada com a nova planta. Essa será a sexta unidade fabril da empresa no País. O processo de escolha do local da nova planta durou mais de dois anos. Foram visitados diversos municípios paulistas, além de cidades em outros Estados.


Três parques eólicos serão instalados no RN

No município de Areia Branca-RN serão construídos três parques eólicos e seus respectivos sistemas de transmissão. Os projetos – Usina de Energia Elétrica Carcará I, II e Terral – fazem parte do Complexo Areia Branca, controlado pela Voltalia Energia do Brasil, e terão capacidade instalada de 90 MW. Serão formados por 30 aerogeradores, produzidos pela Acciona Windpower do Brasil. Na etapa de obras, devem ser gerados 660 empregos.

Os novos parques contribuirão para a diversificação da matriz energética brasileira com uma fonte de recursos renovável, sem risco hidrológico, além de permitir a complementação sazonal entre o regime hídrico e o eólico, evitando o despacho das hidrelétricas nos períodos de menores vazões.

As empresas têm contrato de 20 anos para a comercialização de energia com a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE, para início de suprimento no segundo semestre de 2014.

Para esse projeto, a diretoria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES aprovou financiamento de R$ 309,4 milhões. O apoio equivale a 74,6% do investimento total e contribuirá para a criação dos 660 empregos durante a execução das obras. O financiamento inclui subcrédito por meio da linha Investimentos Sociais de Empresas, que prevê programas de educação e capacitação de mão de obra.


Nissan inicia atividades no complexo industrial em Resende

Começam as produções em série no complexo industrial da Nissan em Resende-RJ, com 220 mil m2 de área construída. O investimento de R$ 2,6 bilhões originou planta com ciclo de produção completo, da área de estamparia até as pistas de testes, incluindo chaparia, pintura, injeção de plásticos, montagem e inspeção de qualidade. As atividades iniciam com a fabricação do novo automóvel New March e do motor 1.6, 16 V, flexfuel – equipado com bloco de alumínio. No total, tem capacidade para produzir até 200 mil veículos e 200 mil motores por ano.

Além das fábricas, a empresa montou área ao lado da unidade de Resende para receber fornecedores, que já abriga quatro fabricantes de autopeças. Outros dois operam dentro da fábrica de veículos. A expectativa é incluir mais fornecedores no complexo. Assim, além de reduzir os custos com logística e deixar a produção mais ágil, a Nissan pretende aumentar gradativamente o índice de integração local de peças de seus veículos e motores produzidos no Brasil. O objetivo é chegar a quase 80% até 2016.

Cerca de 1.500 pessoas já trabalham na área e a previsão é somar dois mil empregos diretos. Todos os funcionários da nova unidade passaram por formação no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – Senai de Resende e dentro da Nissan. Além disso, mais de 300 tiveram treinamento de até três meses fora do País, em fábricas da companhia no Japão, México, Estados Unidos e Inglaterra. No último ano, para a realização da capacitação técnica dos funcionários, a empresa investiu R$ 9 milhões.

No total, 88 robôs são usados na linha de produção. Na maioria das áreas, o transporte dos automóveis durante o processo é realizado por Automatic Guided Vehicles – AGVs, pequenos robôs autoguiados que conduzem carrinhos de peças e plataformas.

A estamparia conta com linha de prensas com quatro estágios, sendo o primeiro estágio de 2.400 toneladas e os três restantes com 1.000 toneladas cada. A área dispõe de tecnologia de transferência em V-Transfer, em que as peças são transferidas de uma estação para outra automaticamente.

“Nossa meta é atingir 5% de participação de mercado, ser a primeira entre as marcas japonesas e a líder em qualidade de produtos e serviços no Brasil até 2016”, afirmou Carlos Ghosn, presidente e CEO global da Nissan.


Louveira terá nova fábrica e centro de distribuição da P&G

Começam as obras de expansão da Procter & Gamble em Louveira-SP. O projeto engloba fábrica, centro de distribuição e prédio administrativo, além da construção da interligação com a planta fabril existente, totalizando mais de 140 mil m² de área construída. A previsão é gerar mais 250 postos de trabalho. A multinacional americana prevê investir R$ 1 bilhão até 2015, sendo grande parte destinada às obras.

“Essa unidade do grupo abrigará o maior centro de distribuição da América Latina, e temos a intenção de transformá-la em uma fábrica de resíduo zero”, afirmou Alberto Carvalho, presidente da P&G Brasil.

No quesito ambiental, serão 115 mil m² de área preservada, replantadas dez mil mudas de árvores e conservadas cinco nascentes de rios no terreno. As novas construções seguirão o conceito Leadership in Energy and Environmental Design – LEED, certificação para construções sustentáveis que seguem critérios de racionalização de recursos (energia, água, etc.).


SAG produzirá tanques para caminhões no Brasil

A Salzburger Aluminium Group – SAG instala sua primeira fábrica de tanques de combustível para caminhões no Brasil. A expectativa é alcançar a produção plena em julho. Com investimento de cerca de R$ 17 milhões ao longo dos próximos três anos, a previsão é fabricar até 250 tanques de alumínio por dia, alcançando faturamento de R$ 85 milhões no período. Projeta-se a contratação de 35 funcionários.

A empresa austríaca instalou na unidade de Jaguariúna-SP uma linha de produção automatizada e faz as primeiras amostras para a aprovação dos clientes. Para produzir os tanques, utiliza maquinário da Áustria. A intenção é começar as operações atendendo empresas brasileiras para depois fornecer para fabricantes de automóveis na América Latina.

“Nossa ideia é trazer outros produtos do portfólio que ainda não estão disponíveis no País”, comentou Oliver Jansen, diretor-geral da empresa no Brasil.


Renault aposta mais de R$ 500 mi no Brasil até 2019

O Grupo Renault anuncia novo ciclo de investimentos no valor de R$ 500 milhões para o período 2014-2019, que serão aplicados no desenvolvimento e produção de dois novos veículos no Complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais-PR.

Além disso, informa a implementação do novo Centro Nacional de Distribuição de Peças em Quatro Barras-PR, com 66 mil m2 de área construída e início das operações previsto para o segundo semestre de 2015. Deve gerar cerca de 250 empregos e representa investimento de R$ 240 milhões, compreendidas as operações dos próximos dez anos. O centro deverá movimentar cerca de 200 carretas por mês. Além de atender toda a rede de concessionárias do País, realizará exportações de peças e componentes para México, Argentina, Chile, América Central, Colômbia, Venezuela, Uruguai, Paraguai, Peru, África do Sul e França.

A Renault reforçou sua estratégia de crescimento no País baseada em três pilares: aumento da capacidade (em 2013 a produção saltou de 280 mil para 380 mil unidades por ano); renovação da gama de produtos (foram lançados dois modelos novos em 2013); e ampliação da rede de concessionárias (nos últimos três anos foram inauguradas 100, totalizando 275). No acumulado de janeiro a março deste ano, a companhia registrou 6,7% de participação de mercado. A meta é alcançar 8% até 2016.

No Brasil, os investimentos de R$ 1,5 bilhão para o ciclo 2010-2015 já foram concluídos. “Desde 2011 o País é segundo maior mercado da marca depois da França e está entre as prioridades estratégicas de crescimento mundial do Grupo”, destacou Carlos Ghosn, presidente mundial do grupo.


Nova fábrica do Grupo Amazonas começa a operar no RS

Acaba de ser inaugurada em Campo Bom-RS a nova unidade do Grupo Amazonas, fornecedor de componentes para calçados, com 7.600 m2. Grande parte das operações de Novo Hamburgo-RS foram transferidas para essa nova unidade, mudança impulsionada pela necessidade de crescimento e aprimoramento logístico, uma vez que o novo endereço facilitará o acesso que permeia toda a rota do Vale dos Sinos.

No local haverá laboratórios, sendo um para criação e desenvolvimento de pinturas e texturas especiais para solados laqueados; área de logística com saídas diárias para diversos destinos, atendimento técnico em adesivos, showroom e outras divisões.

Com matriz em Franca-SP, o grupo conta com unidades no Brasil e no exterior: duas em Franca, duas em João Pessoa-PB, uma em Jequié-BA e uma em Montevideo, no Uruguai; além de unidades de atendimento em Novo Hamburgo, São João Batista-SC, São Paulo-SP, Americana-SP, Nova Serrana-MG e Buenos Aires, na Argentina. A empresa é responsável por mais de dois mil empregos diretos.


Prati-Donaduzzi expandirá fábrica de medicamentos no Paraná

A empresa farmacêutica Prati-Donaduzzi ampliará sua fábrica no município paranaense de Toledo. Contará com nova unidade de 8,2 mil m² e capacidade de 3,6 bilhões de doses terapêuticas por ano. O projeto tem conclusão prevista para o primeiro semestre de 2015 e deve gerar cerca de 350 novos empregos.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES colabora com R$ 50,8 milhões. Os recursos, do Programa BNDES de Apoio ao Desenvolvimento do Complexo Industrial da Saúde (BNDES Profarma), correspondem a 36% dos investimentos necessários para expansão da unidade industrial.


Colatina-ES ganhará duas fábricas moveleiras em 2014

Duas plantas fabris estão em construção em Colatina-ES. São elas: Bertolini Móveis de Aço e Bertolini Sistemas de Armazenagem. A intenção é criar 2.335 postos de trabalho, sendo 435 empregos diretos e 1.900 indiretos. A inauguração das unidades está prevista para o primeiro semestre de 2014.

Cada uma, com 50 mil m2, compreenderá, além das áreas de produção, espaços específicos para embalagem, estoque, distribuição, almoxarifado e devolução. A estrutura contará ainda com prédios administrativos, refeitórios, vestiários, área de recreação, área de conveniência e guaritas.

As fábricas trabalharão com descarte zero de água, por meio da instalação de sistemas coletores nas coberturas das edificações e uma estação de tratamento de efluentes domésticos. Depois de serem tratados, eles serão encaminhados para uma lagoa de captação pluvial, possibilitando a reutilização da água em jardins, hidrantes e na limpeza.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social-BNDES financiará R$ 37,2 milhões, sendo que R$ 20,5 milhões serão destinados à Bertolini Móveis de Aço e R$ 16,7 milhões, à Bertolini Sistemas de Armazenagem.


LG amplia fábrica em AM para aumentar produção de ar-condicionado

A LG Electronics do Brasil expande sua unidade industrial de Manaus-AM para a fabricação e a montagem de ar-condicionado do tipo split e para o aumento da produção de aparelhos dos demais modelos já produzidos pela empresa. O empreendimento envolve a criação de 433 novos empregos diretos. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES financia o projeto com R$ 53,3 milhões, valor que representa 52% do total investido.

No Brasil, a companhia está presente desde 1996 e fabrica localmente a maioria dos produtos que comercializa. Além dos parques industriais, localizados em Manaus-AM e Taubaté-SP, a empresa possui escritórios em São Paulo-SP. Tem cerca de cinco mil empregados no País.