Arquivo

Textos com Etiquetas ‘gás’

Novo ciclo do Prominp prevê capacitar mais de 17 mil profissionais

11, novembro, 2013 Deixar um comentário

A partir do primeiro trimestre de 2014, o Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural – Prominp vai novamente ofertar cursos de capacitação de mão de obra para atender à crescente demanda do setor. O novo plano, que foi aprovado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP, é responsabilidade do Ministério de Minas e Energia – MME.

Os processos de seleção serão conduzidos pelas próprias empresas fornecedoras de bens e serviços do setor, de acordo com a disponibilidade de vagas, que serão anunciadas no site www.prominp.com.br. Os fornecedores, além de indicar as categorias profissionais que necessitam, destinarão, junto com o Prominp, recursos para qualificação dos trabalhadores.

O Prominp, criado em 2006, já formou quase 100 mil profissionais, em 17 estados. Nesta nova fase, a previsão é capacitar mais 17 mil profissionais até 2017. Inicialmente, já no início de 2014, serão ofertadas vagas solicitadas por fornecedores de grandes empreendimentos da Petrobras, entre eles estaleiros incumbidos da construção de plataformas de produção, sondas de perfuração e embarcações de apoio nas regiões de Pernambuco, Espírito Santo, Bahia, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, além de companhias que constroem o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro – Comperj, em Itaboraí (RJ).

Para os próximos dois anos, as principais funções demandadas pelas empresas são: pedreiro, armador, encanador industrial, soldador de estrutura, caldeireiro, soldador naval, pintor industrial offshore, montador de andaime, auxiliar de movimentação de cargas e plataformista.


Empresa britânica de iluminação LED abre em Jundiaí primeira fábrica da América do Sul

10, setembro, 2013 5 comentários

Em outubro será inaugurada em Jundiaí-SP a primeira unidade da Dialight na América do Sul. Especialista em tecnologia de iluminação LED, a multinacional britânica investe R$ 4 milhões na instalação da nova fábrica.

Na primeira fase, que deve empregar cerca de 20 pessoas, a empresa pretende trabalhar com a venda e a montagem de luminárias a partir de subconjuntos. “Caso o mercado local ofereça condições de competitividade, investiremos mais e implantaremos outras etapas de produção, como eletrônica, inserção de LEDs e fabricação de fontes de alimentação”, disse Laércio Pereira, diretor da Dialight do Brasil.

A unidade terá capacidade para produzir anualmente cerca de 25 mil luminárias industriais para os mercados de óleo e gás, químico, petroquímico, mineração, siderurgia e outros. Serão fabricadas ainda produtos para iluminação pública e equipamentos de controle de gestão remota. A expectativa é de que o faturamento em 2014 seja de R$ 10 milhões e o crescimento anual, acima de 30% nos próximos dez anos.

O grupo britânico tem unidades na Grã Bretanha, Estados Unidos, México, Dinamarca, Alemanha, Emirados Árabes, Japão, Cingapura e Malásia.


Ugas Brazil Forum 2013: mercado está otimista para explorar gás de produção não convencional no Brasil

20, agosto, 2013 Deixar um comentário

Representantes da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP, Ministério de Minas e Energia – MME, Cemig, Secretaria de Desenvolvimento de Estado de Minas Gerais e outras entidades públicas e privadas do setor petroleiro brasileiro participaram do primeiro dia de apresentações de debates do Fórum Nacional de Exploração de Gás Não Convencional – UGas Brazil Forum 2013. Questões essenciais para o setor foram abordadas, como regras, desenvolvimento da cadeia de valor, financiamentos de projetos e inovações tecnológicas para explorar estas novas reservas. Para os especialistas do setor, o gás de xisto (também conhecido como folhelhos) é um dos principais itens que vai impulsionar o desenvolvimento da indústria petroleira.

Dorothea Werneck, secretária de Estado (MG), disse que o gás de produção não convencional será um dos vetores de desenvolvimento regional nos próximos anos e, inclusive, está na lista de prioridades no plano de desenvolvimento industrial de Minas Gerais. Além disso, Symone Christine de Araújo, diretora de gás natural do Ministério de Minas e Energia, afirmou que o governo federal pretende incentivar a exploração deste insumo em âmbito nacional.

Outro importante impulso para o setor será a 12º rodada de leilões a realizar-se em novembro. Segundo Helder Queiroz, diretor da ANP, o foco das novas rodadas será as bacias terrestres. Serão 240 blocos, entre jazidas maduras e novas fronteiras.

Financiamentos específicos para quem deseja investir na exploração de gás não convencional também foi destacado. Entre os bancos apoiadores, estão o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, Caixa Econômica Federal, Agência Brasileira de Inovação (Finep) e Banco Votorantim.

O UGas Brazil Forum 2013 termina hoje (20). Indústria consumidora de gás natural, operadoras que já atuam na exploração destas novas reservas, líderes do setor de geração termelétrica e especialistas nos desafios ambientais são os representantes do dia. Para mais informações, acesse aqui.


Caixa concede R$ 5,8 bi aos mercados naval, de petróleo e gás no semestre

A Superintendência de Petróleo, Gás e Indústria Naval da Caixa Econômica Federal fecha o primeiro semestre deste ano com R$ 5,8 bilhões em crédito concedido às empresas desses setores. No acumulado de 2010 até julho deste ano, o valor atingiu R$ 23,5 bilhões.

Antonio Gil Silveira, superintendente-executivo do banco, estima que até o final do ano deverá ser aprovada pelo menos a metade dos cerca de 30 projetos em análise, com valor superior a R$ 10 bilhões. “É uma meta ousada, mas vamos tentar conseguir”, disse Silveira.

Segundo ele, não há limite para a concessão de empréstimos a esses setores. Para receberem financiamento, os projetos têm de ter alcance social. “Na análise de toda operação de crédito, nós olhamos a sustentabilidade do projeto, os riscos de crédito e outros riscos inerentes”, comentou Silveira.

Fonte: com informações da Agência Brasil.


Agência Nacional do Petróleo publica anuário com dados de 2003 a 2012

30, julho, 2013 Deixar um comentário

A Agência Nacional do Petróleo – ANP publicou na última segunda-feira (29/07), em seu site, o Anuário Estatístico Brasileiro do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis 2013, com dados estatísticos sobre o desempenho da indústria e do sistema de abastecimento nacionais no período de 2003 a 2012.

De acordo com a ANP, o destaque do anuário é o recorde da produção bruta de gás natural no Brasil, que atingiu em 2012 70,8 milhões de m²/dia – um crescimento de 7,3% frente a 2011. Outros dados expressivos são a redução de queimas e perdas (-17,8%) e do volume de gás reinjetado nos poços (-12,3%), que contribuíram para uma produção líquida 16,5% maior em relação a 2011, somando 46,5 milhões de m²/dia. A produção de petróleo e gás natural a partir do pré-sal também aumentou em 2012, atingindo em dezembro de 2012, respectivamente, 247 mil barris/dia e 7,9 milhões de m²/dia.

Mais inovação. Os investimentos obrigatórios da cláusula de Pesquisa e Desenvolvimento – P&D somaram R$ 1,2 bilhão em 2012 e o Programa de Recursos Humanos da ANP – PRH-ANP disponibilizou R$ 59,8 milhões para a concessão de bolsas de estudos e taxa de bancada nas universidades.

Mais incentivo público. Em 2012, as participações governamentais bateram recordes, atingindo R$ 31,8 bilhões. Deste total, R$ 15,6 bilhões são royalties e R$ 15,9 bilhões são participações especiais.

Para acessar a versão online do Anuário Estatístico 2013, clique aqui.


Unicamp terá laboratório para pesquisa de exploração de petróleo e gás

Estudos no campo da visualização científica devem ganhar novo fôlego com a conclusão das obras de um laboratório na Universidade Estadual de Campinas – Unicamp financiado pela Petrobras, disse José Mario de Martino, professor da Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação – FEEC. O objetivo do projeto é prover infraestrutura para pesquisa e desenvolvimento de soluções voltadas aos problemas relacionados à exploração de petróleo e gás.

Segundo ele, o laboratório será voltado à computação de alto desempenho e ambiente 3D de visualização científica. Participam da iniciativa docentes da engenharia mecânica, civil, elétrica e de computação e arquitetura e urbanismo.


Indústria de SC bate recorde de consumo de gás natural

O mês de maio de 2013 teve recorde histórico no volume de distribuição de gás natural às indústrias catarinenses. A Companhia de Gás de Santa Catarina – SCGÁS registrou volume absoluto de 48,610 milhões de m³ distribuídos no mês aos clientes industriais, média diária de 1,568 milhão de m³. O resultado é 1,24% superior ao do mês de abril e ficou 2,66% acima do valor registrado no mesmo período do ano passado.

Os segmentos da indústria que apresentaram maior aumento de consumo em comparação com abril foram: vidros e cristais, com 6,9% de aumento, e cerâmico, com 3,1%.

Segundo Cósme Polêse, presidente da companhia, o resultado das vendas de gás é um termômetro do desempenho da indústria. “Atendemos 224 clientes industriais no Estado, dentre eles as principais plantas, com ênfase em segmentos que demandam alta carga de energia térmica em seus procedimentos, como cerâmico, metal-mecânico, têxtil e de vidros e cristais”, explicou. “É uma carteira que responde por importante fatia do PIB de Santa Catarina e obviamente seu consumo de gás terá relação direta com o resultado operacional da indústria catarinense.”


Gás não convencional poderá reduzir preço do produto no País

A exploração do gás retirado diretamente da rocha geradora, chamado de shale gas, ainda não começou a ser feita no Brasil, mas poderá ajudar a reduzir o preço do produto nos próximos anos. Conhecido nos Estados Unidos como gás de xisto, por ser retirado dessa rocha, no Brasil, o shale gas será extraído de outra rocha, folhelho betuminoso.

“Se o País conseguir aumentar substancialmente a oferta, isso terá certamente impacto no preço”, disse Marco Antonio Almeida, secretário de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis do Ministério de Minas e Energia. No entanto, não se deve esperar por quedas significativas em curto e médio prazos.

As empresas que vencerem a 12ª rodada de exploração de petróleo, prevista para outubro, deverão cumprir exigências de pesquisas em shale gas, com o objetivo de disponibilizar as informações para que o governo possa mapear o potencial do Brasil. A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis estima que o País tenha 14,6 trilhões de metros cúbicos de reserva de shale gas.

Almeida reconhece que existem riscos ambientais na exploração, principalmente pelo risco de rompimento da rocha, com vazamento de óleo ou gás, mas ressaltou que existem empresas especializadas que fazem esse trabalho com segurança. O governo quer que o licenciamento ambiental seja feito pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – Ibama.

Fonte: com informações da Agência Brasil.


Inscrições até 5 de julho para cursos gratuitos do Senai RJ. Petróleo e gás e automação são duas das opções

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – Senai do Rio de Janeiro está com inscrições abertas para cursos técnicos, com aulas a distância e presenciais. São 492 vagas gratuitas, distribuídas nos cursos: Petróleo e gás, Automação industrial, Redes de computadores e Manutenção e suporte em informática. As inscrições podem ser feitas até 5 de julho, por meio do www.firjan.org.br/educamais. Os cursos estão previstos para iniciar em agosto.

Podem participar pessoas com idade mínima de 17 anos, que estejam cursando ou tenham concluído o 2º ano do ensino médio. O processo seletivo terá prova online de Português, Matemática e raciocínio lógico. O resultado será divulgado no dia 10 de julho, no mesmo site da inscrição.

Conheça os cursos e as unidades disponíveis:

Petróleo e gás (1.200 h) – ensina a planejar, operar e controlar processos na cadeia produtiva de petróleo e gás natural. Aulas presenciais: CTS Automação e Simulação (Benfica).

Automação industrial (1.360 h) – ensina a manter e implementar equipamentos e dispositivos de automação e mecatrônica industrial, além de desenvolver sistemas de controle e automação. Aulas presenciais: CTS Automação e Simulação (Benfica).

Redes de computadores (1.200 h) – ensina a implementar e manter infraestruturas, equipamentos de acesso, sistemas operacionais e serviços de redes. Aulas presenciais: Senai Maracanã.

Manutenção e suporte em informática (1.200 h) – ensina a executar montagem, instalação, configuração, manutenção de computadores e periféricos, realizando suporte técnico ao cliente. Aulas presenciais: Senai Maracanã.

Mais informações podem ser obtidas pelo 0800-0231231 ou www.firjan.org.br/educamais.


Nova fábrica da RuhrPumpen começa operar neste mês

2, junho, 2013 2 comentários
Fachada da RuhRPumpen no Brasil

Fachada da RuhRPumpen no Brasil

Até o momento foram investidos mais de R$ 30 milhões na unidade brasileira, que prevê iniciar a produção já neste mês de junho. A nova fábrica, localizada em Duque de Caxias (RJ), contará com aproximadamente 280 funcionários. Com a chegada da empresa no País, estima-se um aumento de 20% na capacidade brasileira de produção de equipamentos de alta tecnologia para bombeamento de fluidos.

Comprovando a necessidade do mercado, antes mesmo da inauguração da fábrica, a RuhrPumpen já fechou contrato com o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro – Comperj. A unidade brasileira da multinacional alemã vai contribuir na produção de 16 bombas centrífugas para o bombeamento de derivados de petróleo. “Além das bombas, também seremos os responsáveis pelo sistema de combate a incêndio da Comperj. Tudo será feito com bombas 100% nacionais”, comemora Carlos Falconiery, diretor da empresa no Brasil.

A RuhrPumpen é fabricante de bombas centrífugas direcionadas aos mercados de petróleo e gás, geração de energia, indústria química, projetos de água, saneamento e industrial. Atualmente possui fábricas na Alemanha, Argentina, Colômbia, Egito, Estados Unidos (Oklahoma e Califórnia), México e Índia (em construção). No total, emprega mais de dois mil funcionários.