Arquivo

Textos com Etiquetas ‘governo federal’

Governo vai investir R$ 440 milhões em nanotecnologia

22, agosto, 2013 Deixar um comentário

Fortalecer as ações na área de nanotecnologia até 2014 é o principal objetivo da Iniciativa Brasileira de Nanotecnologia – IBN, lançada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação – MCTI. Os investimentos somaram cerca de R$ 440 milhões.

A iniciativa pretende aproximar a infraestrutura acadêmica e as empresas, fortalecendo as relações entre pesquisa, conhecimento e setor privado. Reestruturação do Sistema de Laboratórios em Nanotecnologias – SisNano está entre os principais objetivos da IBN. O SisNano é composto por unidades especializadas e multiusuárias de laboratórios, direcionadas a pesquisa, desenvolvimento e inovação em nanociências e nanotecnologias. O sistema visa a mobilizar as empresas instaladas no Brasil e apoiar suas atividades, além de reforçar a infraestrutura existente e universalizar o acesso à comunidade científica.

O SisNano é formado por duas categorias: os laboratórios estratégicos, ligados ao MCTI e aos órgãos públicos, nos quais 50% do tempo de uso dos equipamentos deverá ser disponibilizado a usuários externos; e os laboratórios associados, localizados em universidades e em institutos de pesquisa, que deverão oferecer 15% do tempo a pesquisadores e empresas de fora da instituição.

“Vai modificar muito o ambiente da nanotecnologia no Brasil. Porque, agora, eles [os laboratórios SisNano] vão estar à disposição para desenvolvimento e vão ter o compromisso de ser laboratórios abertos onde as pessoas poderão entrar, contratar desenvolvimento ou colocar as suas equipes ou os seus pesquisadores lá dentro fazendo o desenvolvimento”, disse Flávio Plentz, coordenador-geral de Micro e Nanotecnologias do MCTI.

A Iniciativa Brasileira de Nanotecnologia – IBN já recebeu 50 propostas de projetos inovadores desenvolvidos por instituições e universidades de todo o país. Dessas, 26 foram selecionadas para integrar o sistema.

Nanociência. É capaz de manipular, sintetizar ou modificar a matéria em uma escala de tamanho de nanômetro, que é 1 bilionésimo do metro. Tudo que se faz em termos de modificação, manipulação ou síntese de materiais nessa escala é considerado nanotecnologia.

Fonte: com informações da Agência Brasil


Governo federal inicia uso de computação em nuvem

O Serviço Federal de Processamento de Dados – Serpro disponibilizará em setembro computação em nuvem (cloud computing) para uso do governo federal. A tecnologia envolverá as áreas de ouvidoria, saúde, educação, gestão escolar e comunicação para cerca de 200 municípios. Segundo Marcos Mazoni, presidente do Serpro, a computação em nuvem brasileira está preparada para acesso três vezes maior que o previsto.

Entre os desafios a ser enfrentados estão a necessidade de profissionais para a construção de sistemas no novo modelo e a troca de informações entre diferentes nuvens que evite o rompimento entre ambientes.

Fonte: com informações da Agência Brasil.


Investimentos de R$ 56,8 bi nos portos brasileiros

Serão aplicados R$ 54,2 bilhões no setor portuário e R$ 2,6 bilhões em acessos hidroviários, ferroviários e rodoviários, além de pátios de regularização de tráfego. Dezoito portos serão beneficiados. O plano prevê o fim da outorga como critério de licitação, para eliminar custos.

Além disso, o governo pretende criar marco regulatório para os portos, a fim de permitir a regulação do serviço de praticagem (manobras de alto custo feitas para posicionar as embarcações nos portos), a eliminação de barreiras, a abertura de chamadas públicas para Terminais de Uso Privativo – TUP e a agilização de processos de arrendamentos e de licenciamentos ambientais.

“Vamos criar a Comissão Nacional para Assuntos de Praticagem, com a Marinha, para saber quanto vale uma manobra e quantas são necessárias [fazer]”, disse Leônidas Cristino, ministro da Secretaria de Portos.

Está previsto o aumento do número de práticos para dar celeridade aos procedimentos nos portos. “Para isso, vamos anunciar, no dia 5 de janeiro, a realização de concursos para 206 vagas”, acrescentou o ministro.

A região Norte receberá, entre 2014 e 2015, R$ 4,37 bilhões em investimentos, e, nos dois anos subsequentes, mais R$ 1,5 bilhão. O Nordeste receberá R$ 11,94 bilhões (dos quais R$ 6,77 bilhões entre 2014 e 2015 e R$ 5,15 bilhões entre 2016 e 2017). No Sudeste, serão investidos R$ 16,50 bilhões no primeiro período (2014-2015); e R$ 12,14 bilhões no segundo (2016-2017). Leônidas Cristino anunciou, ainda, que a região Sul receberá R$ 3,36 bilhões na primeira etapa e R$ 4,25 bilhões na segunda.

Entre as medidas, há também o anúncio do Plano Nacional de Dragagem 2, que prevê o alargamento e o aprofundamento de canais de acesso e a dragagem de bacias de evolução e berço. Serão leiloados blocos de portos para possibilitar ganho de escala nas licitações. “Os contratos serão de dez anos para a empresa que ganhar o bloco. Ela terá, inclusive, que deixar a profundidade sempre igual à acertada”, disse o ministro da secretaria.

Fonte: com informações da Agência Brasil.