Arquivo

Textos com Etiquetas ‘Jim Pinto’

Jim Pinto, em visita ao Brasil, faz palestra no NEI Meetings

11, julho, 2011 Deixar um comentário

Brasil, o “B” de BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China – economias que mais crescem no mundo), tem se tornado uma força econômica e um dos mercados emergentes mais aquecidos do mundo.

Sendo a 8º maior economia mundial, o Brasil é o maior exportador de produtos como: café, açúcar, aves domésticas, bife, suco de laranja, etanol e tabaco. Passando ileso pela crise financeira internacional, o País notavelmente encontra-se em uma melhor posição econômica do que antes da crise.

Em junho de 2011, estive em São Paulo para falar sobre Perspectivas para a Automação e Instrumentação no Chão de Fábrica, no NEI International Industrial Conference & Show – Tecnologias Emergentes, Desafios, Oportunidades e seu Impacto na Manufatura. O evento foi realizado em 2 dias, no Centro de Convenções Frei Caneca, com a participação de líderes, os principais fornecedores e usuários que se reuniram para discutir as novidades e trocar experiências relacionadas a produtos e soluções industriais.

Foi um evento único e o primeiro do tipo realizado no Brasil: foram 2 dias e mais de 25 palestras e apresentações de experts nacionais e internacionais da área tecnológica.

A área de exposição apresentou várias empresas no mercado primário do Brasil, com interativas mesas hands-on, nas quais os expositores apresentaram suas tecnologias, produtos e serviços. A agenda incluiu tempo para os participantes da conferência interagirem com palestrantes e patrocinadores.

Fiquei feliz em ver Nelson Ninin, presidente da Yokogawa Brasil e presidente da ISA em 2010, a primeira das Américas e a segunda pessoa de fora dos EUA a ter essa posição (meu bom amigo de muitos anos, Pino Zani, da Itália, foi presidente da ISA em 2001).

Tivemos um jantar delicioso na casa de velhos amigos, Nelson Freire e família em São Paulo; seu calor e afeto brasileiro fizeram os 20 anos desde que nos conhecemos parecer que tínhamos visto um ao outro ontem. Foi maravilhoso ver a esposa de Nelson, Dirce, uma talentosa pianista, tocar, e Nelson cantar. Eu simplesmente tive que participar! As memórias de todos nós cantando juntos, e os gêmeos Luis Antonio e Nelsinho tocando guitarra e cantando, vão ficar sempre nas nossas memórias.

Na sequência de nossa visita a São Paulo, passamos alguns dias no Rio de Janeiro. Ficamos em um hotel em Copacabana e apreciamos as praias (livres de multidões). Claro que tivemos que ir para os teleféricos que iam para o topo do Pão de Açúcar para vermos o espetacular panorama do Rio e do Corcovado para ficarmos abaixo da gigante estátua do Cristo Redentor, que é visível de quase todos o lugar no Rio. Uau, que viagem!

Texto original publicado em: http://jimpinto.com/enews/23june2011.html#3 por Jim Pinto, fundador da Action Instruments Techonology Futurist nos EUA.


“O futuro será do Wireless”, prevê especialista

Jim Pinto, fundador da Action Instruments Techonology Futurist nos EUA, ministrou durante o NEI International Industrial Conference & Show em palestra sobre as perspectivas imediatas para a automação e instrumentação no chão de fábrica. O especialista prevê que o futuro será do Wireless e tudo estará conectado com o chip. As plantas ficarão cada vez menores e a produção mais barata deverá atender as necessidades locais.

Jim Pinto afirmou ainda que os robôs serão mais inteligentes e realizarão atividades muito além das que o ser humano é capaz de realizar. Para ele, a automação não irá gerar desemprego, mas provocará uma mudança no perfil dos operários, e o conhecimento será a peça-chave. “Países de primeiro mundo estão perdendo cada vez mais espaço para os países que investem em conhecimento. Enquanto os americanos capacitam 70 mil engenheiros ao ano, os chineses formam 700 mil e a Índia, mais 500 mil”, exemplifica Jim.

Para o especialista, reduzir trabalho, aumentar agilidade, melhorar a qualidade, otimizar o uso de matéria-prima e economizar energia são os principais benefícios da automação – que torna os processos mais baratos, mais rápidos e melhores.

Confira entrevista com o palestrante:


Conference & Show de NEI Meetings mostra tendências para o futuro imediato

“Processos mais rápidos, melhores e mais baratos. Essas são as vantagens proporcionadas pela automação. No futuro, a fábrica será cada vez menor e a tecnologia wireless será cada vez mais usada”. Esses conceitos foram apresentados por Jim Pinto, fundador da Action Instruments Technology, dos EUA, durante o NEI International Industrial Conference & Show, o primeiro evento sobre gestão e inovação organizado e realizado por NEI Meetings.

A palestra de Markus Röhner, diretor do Departamento de Sistemas de Produção e Tecnologias de Produção da Fraunhofer IPK Berlin, da Alemanha, mostrou os desenvolvimentos recentes na manufatura aditiva, micromanufatura e nanotecnologia. Segundo Röhner, os novos materiais nas ferramentas das máquinas, assim como o desenvolvimento de coberturas especiais para altas taxas de usinagem são algumas das possibilidades de inovação para máquinas e equipamentos no futuro.

O Prof. Jefferson de Oliveira Gomes, diretor do Centro de Competência em Manufatura do Instituto Tecnológico de Aeronáutica – ITA, um dos palestrantes, lembrou que um dos grandes desafios da indústria, hoje, é conhecer as tecnologias atuais e suas possibilidades e não apenas desenvolver novas tecnologias. Segundo o professor, precisamos formar melhor nossos engenheiros. “Hoje, eles estão mais voltados à gestão administrativa do que à parte técnica”.

A inovação foi discutida também por Ronald Martin Dauscha, diretor de Tecnologia e Inovação da Siemens, Segundo o executivo, as empresas inovadoras representam apenas 1,7% da indústria, mas são responsáveis por 25,9% do faturamento industrial e por 13,2% do emprego gerado. “A nanotecnologia é a “pressão alta” da tecnologia”, afirma Dauscha, que define inovar como transformar ideias novas em resultados sustentáveis.

Confira como foi o evento: