Arquivo

Textos com Etiquetas ‘laboratório’

FEI inaugura Laboratório de Manufatura Digital

A FEI inaugura este mês o Laboratório de Manufatura Digital para pesquisas e estudos em engenharia, desenvolvido para fomentar o ensino e a pesquisa de sistemas na área de projetos, planejamento e gestão do ciclo de vida de um produto. Criado em parceria com a Siemens PLM Software, unidade de negócios da Siemens Digital Factory Division, tem como objetivo estreitar o relacionamento entre o meio acadêmico e as empresas do setor.

A manufatura digital está inserida em um conceito mais amplo de digitalização, alinhando-se à Indústria 4.0, onde as máquinas serão mais autônomas e se comunicarão entre si, tornando integrados os recursos desses sistemas e o processo produtivo muito mais eficiente.

Segundo Fabio Lima, um dos coordenadores do projeto e professor do curso de Engenharia de Produção da FEI, o novo laboratório deve colocar a FEI na vanguarda do estudo de sistemas de manufatura. “O projeto tem um caráter multidisciplinar, permitindo o envolvimento de alunos e professores de praticamente todos os cursos da Instituição”, afirma.

O coordenador do curso de Engenharia de Produção da FEI, Prof. Dário Alliprandini, diz ainda que esse novo projeto vai permitir aos alunos da FEI aplicar conhecimentos da engenharia no contexto da manufatura digital durante a sua formação, trabalhando com um dos elementos da indústria 4.0.

 

 


Unicamp e Shell inauguram laboratório de biomassa

Dia 25 de novembro será inaugurado o Laboratório de Caracterização de Biomassa na Unicamp, construído com o apoio da Shell Brasil Petróleo, que investiu R$ 7,9 milhões, sendo R$ 6 milhões em obras físicas e aquisição de equipamentos. A contrapartida da universidade foi a cessão do terreno e as obras de infraestrutura urbana e sistema de comunicação. A unidade, vinculada à Faculdade de Engenharia Química-FEQ, prestará serviços de análises para docentes e pesquisadores da universidade, bem como para clientes externos, mediante agendamento.

O laboratório dará suporte às pesquisas em torno da biomassa, mas pode servir a quaisquer outras áreas que precisem de caracterização de sólidos, como afirmou a professora Maria Aparecida Silva, uma das idealizadoras do projeto. De acordo com a docente, o laboratório é constituído por equipamentos novos e por alguns que já estavam em operação no Laboratório de Recursos Analíticos e de Calibração da FEQ. “Nós dispomos, por exemplo, desde microscópio eletrônico até microbiorreatores de última geração”, informou Maria Aparecida.

Esse laboratório compõe orçamento anual de mais de US$ 1 bilhão investido pela Shell em pesquisa e desenvolvimento no mundo.  Em dezembro, a companhia espera inaugurar o maior tanque estratigráfico (destinado ao estudo das camadas de rochas) da América Latina, em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul.


Etanol 2G é pesquisado em novo laboratório da UFRJ

Tecnologias para etanol de segunda geração – 2G no Brasil são testadas no Laboratório Bioetanol da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, inaugurado ontem. Já está em funcionamento com 20 pesquisadores, que trabalham com projetos de caracterização de diferentes biomassas (cana, milho, trigo e madeira), produção de enzimas para hidrólise e análise econômica do etanol 2G.

A tendência é que o número de pesquisadores aumente até três vezes com a chegada de projetos, pois o laboratório tem parcerias com universidades de outras partes do País e dez instituições no exterior. Os recursos da pesquisa foram liberados pela Finep – Agência Brasileira da Inovação e recebeu R$ 4 milhões em investimentos da Agência de Cooperação Internacional do Japão – Jica.

Produzido a partir da celulose, o etanol 2G ainda está em estágio experimental no País e poderá aproveitar resíduos da cana, como a palha e o bagaço.

“Como a palha tem poder calorífico menor que o da cana, a produção nacional poderia aumentar entre 30% e 40%, o que já amenizaria bastante o preço na bomba, sem aumentar a área plantada, que tem sido a base do crescimento da produção”, disse Marcos Freitas, coordenador do Instituto Virtual Internacional de Mudanças Globais, do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia, o Coppe. “A palha atualmente é queimada antes da colheita, o que causa danos ambientais e prejudica as condições de trabalho na lavoura. Com o aumento da produção de etanol e menores preços, diminuirá o consumo de gasolina.”

Para Luiz Pinguelli Rosa, diretor da Coppe, o aumento da produção é um caminho para o País reduzir as importações de etanol dos Estados Unidos, que o produzem a partir do milho, emitindo maior quantidade de CO2. “No momento, o Brasil não consegue fabricar quantidade suficiente de etanol para atender o mercado interno.”

Fonte: com informações da Agência Brasil.


Coppe/UFRJ inaugura Laboratório de Tecnologia Sonar

O lançamento do Laboratório de Tecnologia Sonar – LabSonar integra as comemorações dos 50 anos da Coppe – Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia, localizada na Universidade Federal do Rio de Janeiro. A inauguração oficial foi realizada em 30 de julho. 

O laboratório desenvolverá tecnologias para acompanhar, detectar e classificar ruídos produzidos no mar pelos motores e condições operativas de navios e vai colaborar com a Marinha na produção de seus materiais e assessorá-la nas negociações para transferência de tecnologia. Há também possibilidades de projetos com sonares ativos, que emitem sinais, ouvem o eco e detectam os corpos presentes.

Segundo José Seixas, coordenador do LabSonar, o laboratório participará do grande salto tecnológico que virá a partir da compra, pela Marinha brasileira, de um submarino nuclear francês, fruto de acordo firmado em 2009 entre o Brasil e a França.

“Submarino nuclear representa muito para o País e será um grande incentivo para as pesquisas que realizamos na Coppe”, disse Seixas. “No momento, nossos pesquisadores estão envolvidos na construção do sonar do submarino nuclear, mas outras tecnologias ainda terão de ser desenvolvidas no País, como sistemas para retirada de gases dos submarinos e postos nucleares para abastecimento.” Sonares são instrumentos de localização que utilizam sinais acústicos submarinos.


Evonik inaugura primeiro laboratório (linha TEGO®) no Brasil

29, julho, 2013 Deixar um comentário

O objetivo novo laboratório, instalado em Americana (SP), será oferecer suporte técnico aos clientes e parceiros que atuam nos segmentos de tintas decorativas, industriais, para madeira, de impressão e revestimento UV. Segundo a Evonik, a inauguração acontecerá no início de agosto.

O novo laboratório será responsável pela realização de testes, desenvolvimento e melhorias de produtos. Entre os principais serviços oferecidos está a reprodução de formulações, que objetiva indicar aditivos adequados para o mercado de tintas decorativas, industriais, madeira, impressão e revestimento UV. Este é o primeiro laboratório (linha TEGO®) da Evonik em toda a América Latina. Os demais estão nos Estados Unidos, Itália, Alemanha, Singapura, China e Japão.

“O novo laboratório atenderá particularidades técnicas da região e a princípio está focado no mercado brasileiro, mas em breve expandirá sua abrangência para América do Sul e Central”, conta Sérgio Brito, gerente de vendas da área Coatings & Additives – Linha TEGO®.


Unicamp terá laboratório para pesquisa de exploração de petróleo e gás

Estudos no campo da visualização científica devem ganhar novo fôlego com a conclusão das obras de um laboratório na Universidade Estadual de Campinas – Unicamp financiado pela Petrobras, disse José Mario de Martino, professor da Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação – FEEC. O objetivo do projeto é prover infraestrutura para pesquisa e desenvolvimento de soluções voltadas aos problemas relacionados à exploração de petróleo e gás.

Segundo ele, o laboratório será voltado à computação de alto desempenho e ambiente 3D de visualização científica. Participam da iniciativa docentes da engenharia mecânica, civil, elétrica e de computação e arquitetura e urbanismo.


3M contratará cientistas, engenheiros e técnicos

Devido à ampliação do Centro Técnico para Clientes e do Laboratório de Pesquisa & Desenvolvimento da 3M, localizados na planta de Sumaré (SP), que passaram de 5,6 mil m2 para 10 mil m2, serão feitas novas contratações. “Além da ampliação da estrutura física, adquirimos equipamentos de última geração e estamos ampliando nosso quadro de cientistas, engenheiros e técnicos”, declarou Chris Olson, diretor de P&D da 3M do Brasil. No total, essas estruturas reúnem 175 profissionais e, até 2016, contarão com 280.

O Centro Técnico para Clientes passou de 17 laboratórios de serviços técnicos para 21, e o laboratório de P&D ganhou três novas áreas: pesquisa corporativa, tecnologia de polímeros e prototipagem em 3D. Foram investidos na expansão US$ 13 milhões.

“Atualmente, 32% do faturamento da 3M no Brasil é proveniente de produtos lançados nos últimos cinco anos”, afirmou o executivo. “Para 2017, esse número deve saltar para 40% e a ampliação certamente nos auxiliará a alcançar essa meta.” Somente nos últimos cinco anos, a companhia incrementou o segmento com cerca de US$ 7,3 bilhões, globalmente. Hoje, são mais de 8.200 pesquisadores em todo o mundo (entre cientistas, engenheiros e técnicos) voltados a esse trabalho.

A empresa conta com 35 unidades de Centro Técnico para Clientes globalmente, sendo que o centro do Brasil, inaugurado em 2005, foi o primeiro da América Latina. Já o Laboratório de Pesquisa & Desenvolvimento local foi inaugurado em 2008 e faz parte de um conjunto de 85 laboratórios da organização no mundo.


Senai e Petrobras contratam implantação de laboratório para tecnologias da solda

27, novembro, 2012 2 comentários

O maior contrato de tecnologia do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – Senai no País foi assinado hoje entre a entidade e a Petrobras no valor de R$ 11,5 milhões para a implantação de laboratório para pesquisa e desenvolvimento de tecnologias de solda. Começará a funcionar no primeiro semestre de 2013 e ficará instalado no Centro de Tecnologia Senai Solda, no Maracanã. O termo de cooperação é de 36 meses.

Segundo o Senai, além de profissionais capacitados, o laboratório terá equipamentos de última geração, muitos deles ainda não disponíveis para pesquisa.


Fibria investe R$ 8 milhões e inaugura laboratório em Jacareí

25, outubro, 2012 Deixar um comentário

Em 17 de outubro, a Fibria, empresa brasileira com foco em produtos florestais, inaugurou as novas instalações do Laboratório do Centro de Tecnologia de Jacareí-SP. Com uma infraestrutura de 700 m², o novo laboratório realizará pesquisas para a geração de clones superiores (mudas de eucalipto), identificação de técnicas avançadas de manejo florestal e desenvolvimento de novos produtos.

Cerca de R$ 8 milhões foram investidos para a criação do novo laboratório e, segundo Fernando Bertolucci, gerente-geral da Fibria, a estrutura conta com modernos equipamentos de biotecnologia e biorrefinaria. Este é o segundo laboratório da empresa, que já possuía o Laboratório do Centro de Tecnologia de Aracruz, no Espírito Santo.


Energia renovável: com investimentos de R$ 5,2 mi, complexo de laboratórios é lançado no RJ

15, julho, 2012 Deixar um comentário

Inaugurado no início do mês pela Petrobras e pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, o complexo de laboratórios será espaço para a realização de pesquisas nas áreas de biotecnologia e de engenharia química. Com base em matéria-prima renovável, os estudos serão voltados para o desenvolvimento de processos químicos e bioquímicos para a obtenção de biocombustíveis. Os novos laboratórios também preveem estudos avançados com petróleo e seus derivados.

Com investimentos de R$ 5,2 milhões, o núcleo de pesquisa é composto por 16 laboratórios e três plantas-pilotos em área de 2 mil m² na Cidade Universitária do Rio de Janeiro. “Tenho certeza de que daqui surgirão trabalhos que sustentarão iniciativas e projetos de grande alcance e interesse nacional”, diz Carlos Levi, reitor da UFRJ.

Fonte: com informações da Agência Brasil.