Arquivo

Textos com Etiquetas ‘NEI International Industrial Conference & Show’

2011 – um ano memorável

No balanço de 2011 é fundamental incluir o vigésimo aniversário da edição Top Five, lançada em 1992 como um caderno especial dentro de Noticiário de Equipamentos Industriais-NEI. Ela nasceu para atender as solicitações reiteradas de profissionais da indústria que contribuíam para a Pesquisa de Preferência de Marca e queriam conhecer seus resultados. A pesquisa, parte de nosso compromisso com os anunciantes, mede a preferência que a marca desfruta no mercado como resultado da totalidade dos esforços promocionais das empresas.

A celebração dos vinte anos do Top Five foi também a oportunidade de ampliar a informação gerada pela Pesquisa de Preferência de Marca e pelo Top Five. O banco de dados nos permitiu identificar as empresas que se mantiveram como Top Five, na mesma categoria de produto, durante 20 anos. As vinte e seis empresas selecionadas por esse critério contaram suas histórias e revelaram métodos e estratégias usadas para alcançar e manter o status de empresa Top Five.

As preocupações de todas elas, durante esses 20 anos, foram iguais: qualidade do produto, seriedade da empresa, confiabilidade na entrega, fornecedores bem selecionados, qualificação da mão de obra e monitoramento permanente do mercado. Essas preocupações estão sempre presentes no dia a dia das empresas. O que varia de empresa para empresa é a alocação de recursos e de tempo entre elas, em função das mutações do mercado e dos diferentes projetos de cada uma.

A grande lição que emerge das histórias de todas as empresas Top Five, e em especial, das histórias das 26 empresas que sustentaram a posição de Top Five durante 20 anos é o monitoramento incansável do comportamento dos clientes.

Foi ouvindo os nossos leitores e usuários de nossas mídias eletrônicas que iniciamos em 2011 a reestruturação do departamento editorial – agora Central de Geração de Conteúdo – com a responsabilidade de produzir os conteúdos editoriais para esta publicação e para as outras mídias reunidas sob a denominação NEI Soluções – NEI News, Blog NEI, NEI.com.br, NEI Meetings e NEI Top Five.

O resultado desta evolução você encontra neste link, nas ideias que onze palestrantes apresentaram e discutiram no recém-concluído II NEI International Industrial Conference & Show, sob o título “Ideias e Tecnotendências que estão Modelando a Fábrica do Futuro”. Para quem deseja conhecer mais a respeito dos conteúdos das palestras, existe informação adicional disponível em NEI.com.br.

Esta notícia das evoluções em curso, contudo, também chama sua atenção para os 215 novos produtos de dezembro. Eles revelam enfaticamente que os produtos continuam sendo o conteúdo prioritário da revista e de nossa política editorial.


Qualificação da mão de obra: um gargalo que precisa ser revisto na indústria

A falta de mão de obra qualificada afeta 69% das empresas industriais brasileiras, principalmente na área de produção. Essa escassez impacta diretamente a competitividade da indústria, interferindo na produtividade e na qualidade. Os dados constam da última Sondagem Industrial realizada pela Confederação Nacional da Indústria – CNI.

A incorporação de novas tecnologias no processo produtivo e de novos produtos requer uma força de trabalho apta a assimilar as novas técnicas e inovações tecnológicas que podem impactar sua área. Por isso, é importantíssimo que o profissional da indústria se atualize permanentemente.

No mês passado, muitos profissionais tiveram a oportunidade de participar do II NEI International Industrial Conference & Show, que reuniu as duas fontes do conhecimento – a academia e a indústria -, para mostrar as ideias e as tecnotendências que estão modelando a fábrica do futuro.  A automação industrial foi abordada por vários palestrantes, tamanha sua importância na otimização dos processos industriais.

Se você não teve a oportunidade de comparecer ao evento ou quiser rever os melhores momentos, aguarde pela edição de dezembro da Revista NEI, para a qual, estamos preparando um caderno especial sobre o evento, trazendo uma visão global das tecnologias que vão impactar o futuro da indústria. Aguardem!

Neste mês, o tema automação industrial ganhou uma seção especial e traz para você uma seleção com os 44 melhores produtos de automação pesquisados junto a fabricantes nacionais e internacionais de equipamentos, dispositivos e sistemas. Os produtos pesquisados foram avaliados e selecionados criteriosamente pelos editores e por especialistas em automação industrial. Neste link, você confere essas soluções.


2ª Edição do NEI International Industrial Conference & Show homenageará as empresas Top Five – as preferidas pelo mercado industrial

28, setembro, 2011 Deixar um comentário

“Como monetizar o valor da sua marca” é o tema da palestra do mestre e PhD Eduardo Tomiya, diretor geral da Brand Analytics, que será proferida durante a 2ª edição do NEI International Industrial Conference & Show – evento promovido por NEI Meetings que espera reunir, nos dias 25 e 26 de outubro, em São Paulo, mais de 300 executivos da indústria, entre eles líderes das empresas que serão premiadas em comemoração aos 20 anos da edição NEI Top Five.

Anualmente, a NEI Top Five divulga os cinco fornecedores preferidos da indústria em mais de 400 categorias de produtos, eleitos pelos profissionais que participam do processo de especificação e compras industriais. Como a edição celebra 20 anos de publicação, o evento também será comemorativo, especificamente no dia 26 de outubro, a partir das 15 h.

Durante a programação, será entregue o troféu Top Five às empresas que há 20 anos consecutivos recebem o título de fornecedor Top Five na mesma categoria de produto.

Promovido por NEI Meetings, Divisão de NEI Soluções, a 2ª edição do NEI International Industrial Conference & Show acontecerá no Centro de Convenções Frei Caneca, na Rua Frei Caneca, 569, 4º pavimento, em São Paulo.

Mais informações e inscrições:

(11) 3327-4600 ou www.eventosnei.com.br


Um momento para refletir sobre as tecnotendências que estão mudando a indústria

NEI Meetings é um componente de NEI Soluções que organiza eventos especializados para a área industrial. Sua estreia aconteceu em junho passado, quando cerca de 400 profissionais da indústria assistiram a palestras, participaram dos talk shows e visitaram os expositores e patrocinadores do NEI International Industrial Conference & Show.

As avaliações dos participantes mostraram que o evento cumpriu suas metas. Gerou conteúdos relevantes para os profissionais da indústria, criou um espaço e um tempo favoráveis aos relacionamentos profissionais e aproximou fornecedores de clientes potenciais.

O segundo evento, programado para outubro próximo, terá um conjunto de palestras sob responsabilidade de profissionais altamente qualificados da indústria e na Universidade. Eles vão desdobrar para os participantes o grande tema “Ideias e Tecnotendências que estão modelando a fábrica do futuro”.

O ciclo será aberto por Richard Morley, conferencista internacional, físico pelo Massachusetts Institute of Technology e considerado o “pai” do PLC. Palestrantes e debatedores convidados mostrarão como as tecnologias em franca evolução modificam os processos industriais e o próprio negócio da indústria.

Para o “grand finale”, teremos a celebração dos 20 anos de circulação ininterrupta do Top Five, com distinção especial para as empresas que se mantiveram entre as cinco preferidas, na mesma categoria de produto, ao longo dos 20 anos em que o Top Five registrou o desempenho das marcas no mercado industrial.

A importância dos temas e a qualificação profissional dos palestrantes, somadas à oportunidade de conhecer as experiências bem-sucedidas de fidelização de clientes, como as registradas nos 20 anos de Top Five, nos estimulam a convidá-lo a aderir ao segundo NEI International Industrial Conference & Show.

Por fim, mas igualmente importante, alertamos sua atenção para que publicamos neste mês, especialmente para a seção de Instrumentação & Controle. Este conteúdo e o evento decorrem, afinal, de nossa permanente preocupação com as necessidades dos profissionais da indústria.


Manufatura aditiva: prós e contras na hora de especificar

Conhecida como prototipagem rápida, a manufatura aditiva foi tema da palestra ministrada por Jorge Vicente Lopes da Silva, chefe do Desenvolvimento do Produto do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer e Ministério da Ciência e Tecnologia, durante o NEI International industrial Conference & Show. Segundo o especialista, a tecnologia acelerou o ciclo de desenvolvimento de produtos em todos os segmentos industriais, gerando protótipos fiéis aos modelos 3D computacionais de maneira rápida. É capaz de produzir moldes para injeção de peças plásticas diretamente e também pequenas séries de peças para uso final, embora, afirme Jorge Vicente, neste último caso, exista ainda limitação nas propriedades dos materiais, não atendendo integralmente a aplicação.

Atualmente, existem cerca de 30 processos comercialmente disponíveis e outros em bancadas de pesquisa. São processos baseados em fenômenos químicos, como a polimerização de uma resina líquida, fenômenos físicos, como a sinterização ou fusão de um material em pó sob o efeito do calor ou até mesmo na união de material na forma de folhas coladas. Independente do processo utilizado, o paradigma principal é a produção pela deposição de camadas sequenciais, permitindo a grande liberdade na modelagem computacional de formas geométricas complexas.


Como se preparar para aceitar inovações

“Quando uma empresa decide aceitar e/ou implantar inovações tecnológicas, os investimentos em recursos humanos e materiais são importantíssimos, mas não garantem o sucesso. É preciso que se fomente a cultura de inovação”, afirmou Ronald Martin Dauscha, diretor de tecnologia e inovação da Siemens, durante palestra que ministrou no NEI International Industrial Conference & Show sob o tema “Como preparar o seu departamento para implantar e/ou aceitar inovações tecnológicas”. Segundo Ronald, inovar é transformar ideias novas em resultados sustentáveis. “As empresas inovadoras, apesar de representarem apenas 1,7% da indústria, já são responsáveis por 25,9% do faturamento industrial e por 13,2% do emprego gerado”, informou.

Ronald apresentou os seis principais fatores que devem ser considerados pelas empresas ao adotar uma cultura de inovação:

  • Visão clara: exige o conhecimento da estratégia da empresa e seu desdobramento para os negócios. É importante saber porque e para que se quer um departamento de P&D;
  • Regras: garantem a ordem e o bom uso dos recursos nas organizações, mas não podem barrar o processo de inovação;
  • Ambiente: precisa ser agradável, aberto e inspirar a contínua prática da criatividade e inovação;
  • Comportamento: como as pessoas reagem em relação a novidades ou aos setores novos (principalmente se esse foi criado “para inovar”)?
  • Recursos financeiros: permitem que a área se arrisque e exercite o risco inerente ao processo de criação, afinal apenas uma pequena parcela das ideias transforma-se em produtos. Mas é importante questionar se haverá dinheiro para se implantar o que se idealiza;
  • Procedimentos: são importantes para gerar inovações (captura, seleção, priorização, etc.), mas não são exclusivos e devem ser o último fator a ser considerado.

Confira entrevista com o palestrante:


Os horizontes da Mecatrônica

“Nunca se vendeu tanto robô como nos últimos três anos”. A afirmação de Edouard Mekhalian, diretor da Kuka Roboter do Brasil, em palestra no NEI International Industrial Conference & Show, reafirma que a Mecatrônica, uma das áreas mais novas da engenharia, tem permitido à indústria otimizar seus processos, tornando-os mais produtivos, rápidos e qualificados.

A complexidade dos processos industriais e a exigência por alta qualidade impulsionam o mercado de robótica. Para atender suas exigências, os fornecedores especializam-se cada vez mais, fabricando robôs com novo design, mais leves e sustentáveis. “A tendência é que os robôs sejam mais esguios, compactos e robustos. Além de proporcionar maior produtividade, as máquinas terão alta eficiência energética, garantindo uma dinâmica 20% maior comparada com a dos robôs atuais”, declarou o diretor da Kuka.

Mekhalian disse ainda que a programação em modo Teach-in dos robôs é confusa e primitiva. “A forma atual provoca um trabalho tedioso, ocupando muito tempo do profissional. Em breve, teremos touchscreen com menus contextuais e interação flexível, menos botões e entrada de dados intuitiva, gerando rapidez na programação e na instrução de tarefas para o robô.”, afirmou.

“A interação homem-máquina é difícil e os riscos devem ser bem conhecidos e devidamente cobertos.” Segundo Mekhalian, as empresas devem atender os requisitos de segurança exigidos por lei (NR12); manter estocadas peças de reposição, principalmente as de desgaste e treinar e capacitar melhor seus funcionários, exigindo constante aprimoramento.


“O futuro será do Wireless”, prevê especialista

Jim Pinto, fundador da Action Instruments Techonology Futurist nos EUA, ministrou durante o NEI International Industrial Conference & Show em palestra sobre as perspectivas imediatas para a automação e instrumentação no chão de fábrica. O especialista prevê que o futuro será do Wireless e tudo estará conectado com o chip. As plantas ficarão cada vez menores e a produção mais barata deverá atender as necessidades locais.

Jim Pinto afirmou ainda que os robôs serão mais inteligentes e realizarão atividades muito além das que o ser humano é capaz de realizar. Para ele, a automação não irá gerar desemprego, mas provocará uma mudança no perfil dos operários, e o conhecimento será a peça-chave. “Países de primeiro mundo estão perdendo cada vez mais espaço para os países que investem em conhecimento. Enquanto os americanos capacitam 70 mil engenheiros ao ano, os chineses formam 700 mil e a Índia, mais 500 mil”, exemplifica Jim.

Para o especialista, reduzir trabalho, aumentar agilidade, melhorar a qualidade, otimizar o uso de matéria-prima e economizar energia são os principais benefícios da automação – que torna os processos mais baratos, mais rápidos e melhores.

Confira entrevista com o palestrante:


Conference & Show de NEI Meetings mostra tendências para o futuro imediato

“Processos mais rápidos, melhores e mais baratos. Essas são as vantagens proporcionadas pela automação. No futuro, a fábrica será cada vez menor e a tecnologia wireless será cada vez mais usada”. Esses conceitos foram apresentados por Jim Pinto, fundador da Action Instruments Technology, dos EUA, durante o NEI International Industrial Conference & Show, o primeiro evento sobre gestão e inovação organizado e realizado por NEI Meetings.

A palestra de Markus Röhner, diretor do Departamento de Sistemas de Produção e Tecnologias de Produção da Fraunhofer IPK Berlin, da Alemanha, mostrou os desenvolvimentos recentes na manufatura aditiva, micromanufatura e nanotecnologia. Segundo Röhner, os novos materiais nas ferramentas das máquinas, assim como o desenvolvimento de coberturas especiais para altas taxas de usinagem são algumas das possibilidades de inovação para máquinas e equipamentos no futuro.

O Prof. Jefferson de Oliveira Gomes, diretor do Centro de Competência em Manufatura do Instituto Tecnológico de Aeronáutica – ITA, um dos palestrantes, lembrou que um dos grandes desafios da indústria, hoje, é conhecer as tecnologias atuais e suas possibilidades e não apenas desenvolver novas tecnologias. Segundo o professor, precisamos formar melhor nossos engenheiros. “Hoje, eles estão mais voltados à gestão administrativa do que à parte técnica”.

A inovação foi discutida também por Ronald Martin Dauscha, diretor de Tecnologia e Inovação da Siemens, Segundo o executivo, as empresas inovadoras representam apenas 1,7% da indústria, mas são responsáveis por 25,9% do faturamento industrial e por 13,2% do emprego gerado. “A nanotecnologia é a “pressão alta” da tecnologia”, afirma Dauscha, que define inovar como transformar ideias novas em resultados sustentáveis.

Confira como foi o evento: