Arquivo

Textos com Etiquetas ‘nova fábrica’

Fábrica de sensores de temperatura é inaugurada em São Caetano do Sul (SP)

9, março, 2013 Deixar um comentário

Após investir cerca de R$ 1 milhão em aquisição de tornos, estufas e fresas, a Contemp, fabricante brasileira especializada em soluções e instrumentos para medição, controle e monitoramento de processos industriais, inaugurou neste mês sua nova fábrica de termopares e termorresistências. Construída em área de 550 m², a nova planta está localizada a poucos metros da matriz, em São Caetano do Sul, na Grande São Paulo.

Com a nova fábrica, a expectativa da empresa é de aumentar 50% seu faturamento no primeiro ano de funcionamento e, ao final do segundo ano, ter triplicado as vendas. “Há muito tempo o mercado de sensores de temperatura no Brasil vive uma carência de opções, seja para pequenos ou grandes consumidores. Além disso, não havia quem fornecesse um serviço de suporte à engenharia voltado às empresas de projetos por meio de uma equipe de consultores técnicos realmente qualificada. Como os sensores de temperatura são muitas vezes utilizados para monitorar temperatura de locais onde  a confiabilidade é crucial, marcas novas ou pouco conhecidas dificilmente têm espaço”, analisa Eduardo Toselli, coordenador da nova fábrica da Contemp.

Empresas do setor químico, petroquímico e de petróleo & gás serão os principais clientes da nova fábrica, segundo a empresa.

Para mais informações sobre termopares, acesse aqui.

 


Rio de Janeiro terá nova fábrica de tintas

6, março, 2013 5 comentários

A Jotun Brasil, empresa norueguesa especializada em tintas para revestimento, financiou R$ 69 milhões para instalar em Itaboraí (RJ) uma unidade industrial para produzir tinta à base de solvente. A previsão de capacidade é de 10 milhões de litros por ano.

A operação, que já está contratada junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, acontece no âmbito do Programa de Apoio ao Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores de Bens e Serviços relacionados ao setor de Petróleo e Gás Natural (BNDES P&G).

O objetivo da Jotun Brasil é atender o aumento da demanda do mercado brasileiro de tintas para revestimentos voltados para o setor de óleo e gás (marítimo e offshore), que atualmente representa 75% das vendas da empresa no Brasil.

No Brasil desde 1998, a Jotun ainda não tem unidade industrial em território nacional, obrigando a empresa a recorrer a instalações de indústrias parceiras para produzir parte de seus produtos no País. Com o novo projeto, além de a empresa tornar-se autossuficiente, ampliam-se as possibilidades de aumento do conteúdo local da marca, não só dos produtos de fabricação própria como também daqueles fabricados pelas indústrias parceiras.


Investimento de € 80 milhões: AkzoNobel terá nova fábrica de celulose

2, março, 2013 Deixar um comentário

O Grupo AkzoNobel, fabricante de especialidades químicas, investirá € 80 milhões (cerca de R$ 176 milhões) na construção de uma nova “ilha química” para fabricar insumos para celulose. O objetivo da nova usina, operada pela Eka Chemicals, unidade de negócios de papel e celulose da AkzoNobel, é suprir uma nova fábrica de celulose da Suzano no Maranhão (MA). “O acordo, válido por 15 anos, reforça a importância de mercados de alto crescimento para a AkzoNobel e ajudará a impulsionar a estratégia de médio prazo no Brasil, que prevê dobrar a receita para 1,5 bilhão de euros” diz Rob Frohn, membro do comitê executivo da AkzoNobel.

O investimento envolve o fornecimento, armazenamento e manipulação de todos os produtos químicos necessários para a nova planta, que está sendo construída em Imperatriz, no Maranhão. A inauguração está prevista para o último trimestre de 2013 e a produção deve chegar a 1,5 milhão de toneladas de celulose por ano. “A Eka Chemicals é um parceiro confiável e de longa data da Suzano. Por meio deste acordo, estamos garantindo que nossa planta irá utilizar os produtos químicos mais recentes e sustentáveis disponíveis no mercado”, comenta Ernesto Pousada, COO da Suzano Papel e Celulose.


Toyoda Gosei investirá R$ 90 milhões em sua primeira fábrica no Brasil

28, fevereiro, 2013 Deixar um comentário

Com investimentos de R$ 90 milhões (cerca de 4 bilhões de ienes), a nova fábrica da Toyoda Gosei, que promete produzir componentes de borracha e plástico, será construída em área de 220.000 m² em Itapetininga, interior de São Paulo. As obras devem se iniciar já no mês de março, e a previsão de produção é para novembro de 2014. A expectativa é de gerar 140 empregos diretos.

Esse é o primeiro empreendimento da Toyoda Gosei no Brasil e na América do Sul. No Brasil, a empresa terá nome diferente: GDBR Indústria e Comércio de Componente Químicos e de Borracha Ltda. A perspectiva dos acionistas é ter a maior produção da América do Sul.

Efeito Toyota
A Toyoda Gosei é mais uma fornecedora de autopeças do Grupo Toyota a se instalar no Brasil. Com a construção da fábrica em Sorocaba, interior paulista, onde desde agosto de 2012 produz o carro Etios, a Toyota já havia atraído 12 parceiros estratégicos para o complexo industrial em torno da sua nova planta.

 


Tigre constrói sua primeira fábrica sustentável

24, outubro, 2012 Deixar um comentário

Após investimentos de aproximadamente R$ 15 milhões, a Tigre, multinacional brasileira anunciou sua primeira fábrica “verde”. A nova fábrica está localizada em Joinville, Santa Catarina, no mesmo complexo industrial da matriz. “Há muitos anos temos investido em processos sustentáveis na empresa, e essa fábrica torna-se um modelo para as demais plantas. Economizamos cerca de R$ 1 milhão com pequenas adequações, como a alteração da voltagem de energia”, conta Rogério Khontopp, diretor de qualidade e inovação da Tigre.

Telhas térmicas que dispensam condicionadores de ar, reaproveitamento de água da chuva para os sistemas internos de produção, torres de resfriamento secas que evitam a evaporação e poupam 15 mil m³/dia de água , alteração de voltagem da fábrica para 380 volts onde os cabeamentos são menores, máquinas injetoras automáticas que reduzem em até 50% o consumo de energia, sistema de controle de luminosidade e sistema para aproveitar o máximo da luz natural são as principais medidas adotadas para aumentar a lucratividade da empresa e ainda beneficiar o meio ambiente.

Instalação de torneiras econômicas, renovação tecnológica de equipamentos para reduzir o nível de consumo de energia elétrica, programas de conscientização e gerenciamento de emissões de veículos da frota terceirizada são outras atitudes “verdes” também praticadas pela empresa.

Entre válvulas de PVC e C-PVC, registros borboleta, registros de chuveiros, registros gaveta, relógios de leitura de consumo de água, chamadas de Unidade de Medição e Controle – UMC, kit cavalete para hidrômetro residencial e outros registros para aplicações especiais, a fábrica produz cerca de 600 mil peças por mês.

 

Novidade
Com a nova fábrica, a Tigre introduz no mercado brasileiro registros com junta soldável. Segundo a empresa, a vantagem em relação ao modelo anterior é que o novo padrão, além de oferecer um melhor ajuste, reduz o risco de vazamento. “Este novo conceito vem para atender a exigência do mercado e, além disso, poderemos operar com estoques menores, reduzindo assim as despesas relativas à produção nas linhas de produtos injetados”, diz Khontopp.


Tuper inicia produção de tubos de aço-carbono para os setores de óleo e gás

Em área de 34.500 m2, foi inaugurada na última sexta-feira,em São Bento do Sul (SC), a Tuper Óleo e Gás, que fabricará tubos de aço-carbono com o selo American Petroleum Institute. Com investimento de R$ 198 milhões, a unidade tem a missão de processar 180 mil toneladas de aço por ano, sendo que cerca de 70% da produção será destinada às áreas de petróleo, gás, mineração, química e petroquímica e 30%, para outros setores, como construção civil, naval, sucroenergético e telecomunicações.

“A previsão é de que a empresa alcance faturamento bruto de R$ 1,3 bilhão em2012”, afirmou Frank Bollmann, presidente da companhia. “Hoje nós exportamos 3% e trabalhamos com previsão de alcançarmos 8% ou 9% em um prazo de quatro a cinco anos”, completou.

Além da inauguração da fábrica, foram anunciados novos investimentos, que totalizam cerca de R$ 133 milhões. Na área de energia serão aplicados R$ 130 milhões na construção de sete pequenas centrais hidrelétricas em três rios de Santa Catarina, que deverão gerar 28 MW, destinados ao consumo próprio e fornecimento para terceiros. Outro projeto é a produção de andaimes tubulares para a construção civil, com investimento superior a R$ 3 milhões. Bollmann também revelou que a empresa está finalizando o plano para abrir uma subsidiária da Tuper Comercial em Houston, nos Estados Unidos.


Fábrica da Schneider Electric em Curitiba deve iniciar operações neste ano

15, setembro, 2012 1 comentário

Nesta semana, a Schneider Electric inaugurou sua nova planta fabril no País, dessa vez em Curitiba (PR), em um terreno de 12.000 m2, para a produção anual de mais de 2 mil unidades de religadores para média tensão e de 800 painéis de automação de subestações. “A fábrica atenderá a nova demanda do mercado por redes elétricas inteligentes e sistemas de automação”, disse Claudio Sérgio Dantas, diretor de automação para a América do Sul da empresa. A previsão é de que as operações comecem ainda neste ano.

A companhia informou que a nova unidade empregará mais de 100 profissionais e os capacitará. “Nosso maior investimento será em pessoas e conhecimento para alcançarmos os resultados que desejamos”, completou o Dantas. A intenção também é de exportar para clientes da América do Sul.

No Brasil, a empresa possui 13 filiais comerciais e dez unidades fabris, localizadas em Guararema (SP), Sumaré (SP), São Paulo (SP), Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Blumenau (SC), Caxias do Sul (RS), Porto Alegre (RS) e Manaus (AM).


Novaer Craft construirá fábrica de aviões em Santa Catarina

6, setembro, 2012 Deixar um comentário

A Novaer Craft, empresa de São José dos Campos (SP) dedicada ao mercado da aviação geral, instalará uma nova fábrica em Lages, no Estado de Santa Catarina. O protocolo de intenções foi assinado pelo governador Raimundo Colombo, acompanhado de Marco Antônio Raupp, ministro de Ciência e Tecnologia.

Os R$ 80 milhões previstos para iniciar a produção da primeira aeronave em série do Estado, a T-Xc, também serão utilizados para construir dois centros: um de desenvolvimento de projetos na Grande Florianópolis e outro focado na fabricação e montagem da aeronave em Lages.

A meta da empresa é iniciar a produção em dois anos. A previsão é contratar 400 empregados para produzir 120 aviões por ano. “Indiretamente, serão gerados cerca de 1.500 empregos”, diz Graciliano Campos, presidente da Novaer Craft. “O Estado reúne as condições ideais de estrutura, mão de obra qualificada e iniciativa empreendedora necessárias para o desenvolvimento dos nossos produtos”, completa.

Dentre os parceiros do projeto, estão a SC Participações e Parcerias – SCPar (com investimentos de R$ 15 milhões), Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina – Fapesc e a Universidade do Estado de Santa Catarina – Udesc.

Para o governo catarinense, além de atrair outras companhias do setor, a instalação da Novaer Craft será o estímulo para o desenvolvimento de um pólo tecnológico aeroespacial. “Buscar pioneirismo e modernização é uma política de Estado de Santa Catarina. Esse é o espírito que tanto queremos para o Brasil”, comemora o ministro da Ciência e Tecnologia, antes de também oferecer o apoio da Financiadora de Empresas e Projetos – Finep.

A Agência Nacional de Aviação Civil – Anac e a Aeronáutica (no caso de aviões militares) devem demorar cerca de dois anos para liberar a comercialização dos aviões da unidade de Santa Catarina da Novaer Craft.

A previsão é que cada aeronave custe US$ 700 mil, gerando faturamento anual de aproximadamente US$ 40 milhões. O objetivo da Novaer é conquistar 5% do mercado nacional (120 aeronaves).

Descrição geral da T-Xc:

• Monomotor a pistão, monoplano de asa baixa;
• Estrutura primária e secundária construídas integralmente em fibra de carbono, curada em autoclave;
• Trem de pouso retrátil do tipo triciclo;
• Cabine com compartimento dianteiro para dois ocupantes dispostos lado a lado;
• Compartimento traseiro para transporte de carga;
• Acesso ao compartimento dianteiro da cabine através de portas articuladas para cima do tipo “gaivota”;
• Acesso ao compartimento traseiro por uma porta do lado esquerdo da fuselagem, também tipo “gaivota”.


Com investimento de R$ 1 bi, nova fábrica da Toyota prevê gerar 600 empregos e produzir 200 mil motores por ano

17, agosto, 2012 Deixar um comentário

A inauguração da nova fábrica da Toyota está prevista para o segundo semestre de 2015. A ideia é produzir motores para o novo modelo Etios, que será fabricado em Sorocaba, e também para o Corolla, já produzido em Indaiatuba. “Com fabricação local desse motor, o índice de nacionalização tanto do Etios quanto do Corolla saltará de 65% para 85%”, disse Akio Toyoda, presidente mundial da Toyota, durante a inauguração de outra fábrica em Sorocaba, no início de agosto.

O município de Porto Feliz foi o escolhido para abrigar a futura planta da montadora japonesa. O investimento será de aproximadamente R$ 1 bilhão, com estimativa de gerar cerca de 600 empregos diretos e produzir 200 mil motores por ano. O protocolo de intenções foi assinado entre a Toyota e o Investe São Paulo. “Além de assessorar a empresa na localização da planta de motores, continuaremos dando suporte no licenciamento ambiental e na infraestrutura local”, conta Luciano Almeida, presidente da Investe SP.

Números e consequências da fábrica de Sorocaba
Recém-inaugurada e em terreno de 3,7 milhões de m², a planta de Sorocaba recebeu investimentos de US$ 600 milhões. Inicialmente, produzirá 70 mil veículos por ano, estimando alcançar 150 mil unidades no auge da produção. Cerca de 1.500 funcionários já estão em operação.

Durante a inauguração, Fernando Pimentel, ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, disse que a nova fábrica de automóveis da Toyota “era a celebração da economia brasileira e a resposta concreta àqueles que acham que a crise vai nos afetar com força e cercear o crescimento da renda e do emprego”.

Em consequência da chegada da Toyota, dez empresas fornecedoras de peças e serviços estão construindo unidades ao redor da nova fábrica. Também próximo à fábrica, está localizado o recém-inaugurado Parque Tecnológico de Sorocaba, que conta com institutos de pesquisa e desenvolvimento, incubadoras de empresas, laboratórios, centro empresarial e auditório. Até o momento foram investidos pelo governo do Estado cerca de R$ 13 milhões.


Lenovo seleciona 230 funcionários para nova planta em Itu

Começa neste mês o processo seletivo para a contratação dos primeiros 230 colaboradores para as novas unidades da Lenovo, fábrica e centro de distribuição, em Itu (SP), cujas operações estão previstas para se iniciar ainda este ano. Até 700 funcionários devem ser admitidos em dois anos. Os interessados podem se inscrever pelo www.pagepersonnel.com.br.

As vagas estão abertas para candidatos da área operacional e técnica, nos cargos: operador de produção, operador de materiais/almoxarifado, líder de produção, analista e líder de reparo, técnico de teste, técnico de engenharia de processos/industrial, técnico de manutenção, suporte de produção, técnico de informática/infraestrutura e técnico de qualidade.