Arquivo

Textos com Etiquetas ‘nuvem’

Enfrente a crise controlando melhor os seus processos

Em tempos de vacas magras, a indústria se vê desafiada a encontrar meios para reduzir custos de produção, cortar gastos supérfluos, eliminar desperdícios e aumentar a eficiência produtiva. Resumindo, controlar melhor os processos é uma das saídas para a crise e certamente a mais importante. O controle eficiente dos processos de produção deve ser uma meta permanente, em qualquer tempo, e é o grande diferencial das empresas bem-sucedidas. Felizmente, nunca foi tão grande a presença de produtos e sistemas oferecendo soluções, das mais simples às mais sofisticadas. Mais uma vez, a tecnologia se mostra aliada da indústria.

edição de dezembro da Revista NEI, na seção Instrumentação e Controle, uma variada seleção de sensores, controladores e sistemas supervisórios alinhados à Indústria 4.0 que vão ajudar na busca da melhor solução para indústrias de pequeno, médio ou grande porte. Não importa o tamanho do desafio, haverá sempre uma solução a um custo compensador. A difusão de tecnologias novas, como comunicação wireless, armazenamento de informações na nuvem e aumento de capacidade dos sistemas digitais, tem transformado de tal forma os recursos de instrumentação e controle, que muitos consideram se tratar de uma nova revolução industrial.

Ao contrário do que se possa imaginar, estar alinhado a essas novas tecnologias não é difícil, nem tão dispendioso. Talvez o mais difícil seja dar o primeiro passo. A indústria do futuro será mais produtiva principalmente porque poderá contar com formas mais eficientes de medir e controlar os processos de produção, produzindo mais e a custos menores. Como podemos ver, investir agora nessas tecnologias, além de nos blindar contra crises, também nos deixa mais competitivos e capacitados a enfrentar qualquer concorrência.

Na verdade, muitas empresas já vêm investindo nessa direção, conforme indica a Pesquisa Mensal de Produção Física do IBGE: em relação a 2014 houve aumento de 5,5%  na produção Bens de Capital para Fins Industriais – Seriados (apesar da crise). Isto é uma pista de que, embora os índices de consumo tenham caído, produtos destinados a melhorar a eficiência na indústria estão em alta – provavelmente seu concorrente já está investindo para ser mais competitivo.

Enfim, não adianta parar e esperar a economia entrar nos eixos, é mais garantido tomar a iniciativa e acreditar na própria capacidade de resolver problemas. Investir em tecnologia tem se mostrado a estratégia certa para superar obstáculos e crescer, mesmo em tempos difíceis. É preciso se manter informado sobre o que há de mais novo e moderno no mercado; por isso a Revista NEI traz todos os meses uma seleção do que há de melhor no mercado de máquinas e equipamentos para a indústria.


Empresa de TI investirá em infraestrutura, equipamentos e contração de pessoas

A Intercamp, de Campinas-SP, tem novo plano de investimentos, que contempla ações de infraestrutura, aquisição de equipamentos, desenvolvimento de novos produtos, treinamento da equipe, capacitação de novos funcionários, contratações temporárias, reforço da equipe de vendas, pesquisa e desenvolvimento e marketing. O plano envolve ainda migração da atual plataforma para arquitetura em nuvem, que poderá reduzir custos e ampliar o mercado potencial da empresa.

Desde 2011, a companhia amplia seu quadro de funcionários. Atualmente, emprega diretamente 65 profissionais e até dezembro de 2014 a meta é abrir 16 vagas. A empresa é desenvolvedora do software Posto Fácil, sistema para gestão de postos de combustíveis e lojas de conveniência de médio e grande porte. Com o novo investimento, esse programa incorporará novas funcionalidades.

Para a efetivação do plano, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES aprovou financiamento de R$ 2,7 milhões. A operação, no âmbito do Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação – BNDES Prosoft, representa 85% do valor total investido no projeto.


Cloud Computing – empresários brasileiros lideram índice de confiança

Quando se fala em investimentos para expandir o uso de aplicativos de tecnologia em nuvem, o Brasil aparece em primeiro lugar entre os mais otimistas do mundo. É o que indica o estudo Índice de Confiança Comercial da Regus, elaborado pela empresa de pesquisas britânica MindMetre a pedido da Regus, companhia especializada no fornecimento de ambientes flexíveis de trabalho. A amostragem envolveu mais de 16 mil entrevistados em 90 países.

O nível de confiança dos executivos brasileiros atingiu 148 pontos, dois a mais em relação à última pesquisa realizada em setembro de 2011.

A possibilidade de redução dos gastos da empresa é a principal justificativa pelo aumento dos investimentos em Cloudy Computing. Segundo o estudo, 45% dos entrevistados brasileiros afirmam que o Cloud Computing aumenta as vendas por intermédio de terceiros e 40% acreditam que essa tecnologia oferece locais de trabalho mais flexíveis.

Índice de Confiança Comercial da Regus
Realizado semestralmente, o índice é obtido a partir de um conjunto de declarações e perspectivas positivas que combinam receitas e tendências de rentabilidade acumuladas no ano e as expectativas com relação à retomada da economia para os próximos meses. O indicador varia de zero a 200 pontos, sendo o nível de 100 pontos a linha divisória entre otimismo e pessimismo.

Para acessar a pesquisa completa, clique aqui.


Serviços de nuvem vão crescer quatro vezes mais rápido do que gastos com TI, que chegarão a US$ 3,67 bilhões em 2011

22, julho, 2011 Deixar um comentário

Cloud computing será um dos principais temas da X Conferência Anual de Tecnologias Empresariais.

Os gastos mundiais com TI terão um aumento de 7,1% em 2011, de acordo com análise do Gartner, líder mundial em pesquisa e aconselhamento sobre tecnologia, passando dos US$ 3,43 trilhões, alcançados em 2010, para US$ 3,67 trilhões até o final deste ano. Os analistas já consideram que a estimativa geral dos gastos com TI deve ficar acima da previsão realizada no primeiro trimestre, quando foi calculado um crescimento projetado para o ano de 5,6%.

Os programas voltados ao ambiente empresarial terão grande representatividade nos gastos do ano e devem crescer 9,5% em 2011, chegando a US$ 268 bilhões, acima dos 6,6% de aumento para as despesas com os serviços de TI, que devem encerrar o ano em US$ 846 bilhões (tabela ao lado). Contudo, o segmento de hardware registrará o crescimento mais acentuado no período, com estimativas apontando um aumento de 11,7% em 2011.

Com o objetivo de reunir profissionais de TI, com atuação no mercado brasileiro e latino-americano, para discutir estes e outros temas, o Gartner realiza a X Conferência Anual de Tecnologias Empresariais, nos dias 16 e 17 de agosto, no Sheraton WTC, em São Paulo.

O evento contará com apresentações exclusivas sobre as principais tecnologias e práticas voltadas aos negócios, como integração de aplicativos, plataformas de aplicativos na nuvem, além de outros assuntos que permeiam as discussões de cloud computing, como segurança, modelo e formas de obtenção de melhor desempenho.  A percepção das empresas quanto às diferenças arquitetônicas e financeiras dos modelos de SaaS (Software as a Service) dos fornecedores será outro tema debatido pelos analistas durante a programação.

Segundo o Gartner, a migração para serviços de nuvem pública é, atualmente, um dos assuntos mais discutidos em TI. A última avaliação do instituto apontou que os gastos nesta área devem aumentar quatro vezes mais rápido do que os gerais, com tecnologia. A projeção para os gastos mundiais com serviços de nuvem pública para 2011 é de US$ 89 bilhões, acima dos US$ 74 bilhões atingidos em 2010. Até 2015, este número deve chegar a US$ 177 bilhões. Também de acordo com os analistas, em 2010, os gastos com serviços de nuvem pública representaram 2% dos gastos gerais com TI. Até 2015, esta proporção deve aumentar, aproximando-se de 5%.

O vice-presidente de pesquisa do Gartner, Richard Gordon, considera o surgimento e a adoção da nuvem como tendências importantes e, alguns mercados, fatores bem significativos. “Com cerca de US$ 10 bilhões, o software como serviço (SaaS) já representa 10% dos gastos das empresas com software aplicativo e, até 2015, esta parcela deve aumentar, ficando em torno de 15%, e superar os US$ 20 bilhões em gastos anuais.”

As estimativas do Gartner para os gastos trimestrais com TI oferecem uma perspectiva única nos segmentos de hardware, software corporativo, serviços de TI e telecomunicação. Estes relatórios auxiliam os clientes do Gartner a entenderem as oportunidades e os desafios do mercado. A previsão mais recente está disponível aqui.

Gordon também faz comentários adicionais em seu blog e no canal do Gartner no You Tube.

As inscrições para a X Conferência Anual de Tecnologias Empresariais já estão abertas e podem ser feitas pelo site www.gartner.com/br/ets.