Arquivo

Textos com Etiquetas ‘recorde’

Exportação de agosto é histórica: 64 mil veículos

7, setembro, 2013 Deixar um comentário

O resultado representou um aumento de 28,4% frente a agosto de 2012, segundo dados da Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores – Anfavea. Na comparação com o mês anterior, houve aumento de 22,1%. Entre automóveis, caminhões e ônibus, foram 64.071 unidades exportadas, somando US$ 1,67 bilhão, sendo o melhor agosto da história – em termos de exportações. “O aumento das exportações se deve não por ganho de competitividade, mas pelo crescimento dos mercados para os quais exportamos”, avaliou Luiz Moan, presidente da Anfavea.

Exportação em alta. No acumulado entre janeiro e agosto, as exportações cresceram 28,4% ou 84,7 mil veículos a mais vendidos para fora do Brasil. Automóveis e comerciais leves são responsáveis por 77,8% do volume total. Segundo a Anfavea, a indústria automobilística deve exportar 20% mais em 2013 na comparação com 2012.

Empregos. Ainda de acordo com o presidente da Anfavea, em agosto foram gerados 500 postos de trabalho na comparação com julho, fechando o mês em 154,5 mil profissionais. A previsão é de estabilidade dos empregos no setor.


Recorde: Petrobras produz 2,139 milhões de barris/dia

7, agosto, 2013 Deixar um comentário

O desempenho contribui para a redução das importações de derivados, respeitando integralmente os princípios de Segurança, Meio Ambiente e Saúde – SMS que norteiam as ações da Companhia. Este é o terceiro recorde mensal de processamento de petróleo atingido em 2013.

Segundo a Petrobras, no mês de julho, a carga média processada de petróleo nas suas refinarias no Brasil foi de 2,139 milhões de barris de petróleo por dia (bpd), o que representa um acréscimo de 29 mil bpd frente ao recorde mensal anterior de 2,110 milhões de bpd, obtido em maio de 2013.


Indústria de SC bate recorde de consumo de gás natural

O mês de maio de 2013 teve recorde histórico no volume de distribuição de gás natural às indústrias catarinenses. A Companhia de Gás de Santa Catarina – SCGÁS registrou volume absoluto de 48,610 milhões de m³ distribuídos no mês aos clientes industriais, média diária de 1,568 milhão de m³. O resultado é 1,24% superior ao do mês de abril e ficou 2,66% acima do valor registrado no mesmo período do ano passado.

Os segmentos da indústria que apresentaram maior aumento de consumo em comparação com abril foram: vidros e cristais, com 6,9% de aumento, e cerâmico, com 3,1%.

Segundo Cósme Polêse, presidente da companhia, o resultado das vendas de gás é um termômetro do desempenho da indústria. “Atendemos 224 clientes industriais no Estado, dentre eles as principais plantas, com ênfase em segmentos que demandam alta carga de energia térmica em seus procedimentos, como cerâmico, metal-mecânico, têxtil e de vidros e cristais”, explicou. “É uma carteira que responde por importante fatia do PIB de Santa Catarina e obviamente seu consumo de gás terá relação direta com o resultado operacional da indústria catarinense.”


Alta de 70%: Bens de capital puxam melhor primeiro trimestre da história do BNDES

15, abril, 2013 Deixar um comentário

Os desembolsos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES somaram R$ 37,2 bilhões no primeiro trimestre de 2013, alta de 52% na comparação com o mesmo período de 2012. O volume de desembolsos é o mais alto da história do BNDES para um primeiro trimestre e indica retomada de investimentos, com destaque para as liberações destinadas a máquinas e equipamentos e ao setor industrial. A indústria respondeu por 36% (R$ 13,5 bilhões) dos desembolsos totais, com forte alta de 109%.

Todos os segmentos industriais apresentaram resultado positivo entre janeiro e março deste ano. As liberações automáticas, por meio da Finame, para máquinas e equipamentos atingiram R$ 16,3 bilhões, indicando crescimento de 70% em relação ao mesmo período de 2012.

Desse total, R$ 4,8 bilhões foram destinados a “equipamentos não-transporte”, representando alta de 90% em relação a janeiro/março do ano passado. Nessa categoria estão segmentos fundamentais à expansão industrial, como de maquinário de caldeiraria (596%), máquinas-ferramenta (135%) e máquinas para movimentação de carga (115%).

Para equipamentos de transporte, onde estão classificados ônibus e caminhões, o BNDES liberou R$ 8 bilhões no primeiro trimestre de 2013, alta de 44%. Já os R$ 3,6 bilhões liberados para aquisição de equipamentos agrícolas (tratores, implementos e colheitadeiras, entre outros), representaram aumento de 129%.

Os fortes desembolsos para o setor de bens de capital justificam a importância do Programa de Sustentação do Investimento – PSI, que oferece taxas mais baixas para a aquisição de máquinas e equipamentos. Só os desembolsos do PSI, entre janeiro e março, somaram R$ 20,2 bilhões.

 

bndes_reembolsos

 

Infraestrutura
Total de R$ 9,3 bilhões é o valor liberado pelo BNDES no primeiro trimestre de 2013 para infraestrutura.  O dado representa queda de 7% em relação a 2012, mas, segundo o banco, a tendência para o setor é de expansão, já que as aprovações, de R$ 15 bilhões, cresceram 73% – alta puxada pelo segmento de transporte ferroviário e rodoviário.

Comércio e Serviços
O Banco liberou R$ 9,7 bilhões – alta de 65%. O destaque foi o setor agropecuário, onde as liberações somaram R$ 4,7 bilhões, representando crescimento de 113%, em relação a janeiro/março de 2012.


Recordes nacionais: processamento de petróleo e gás natural

A Petrobras bateu o recorde diário de processamento de petróleo em suas 12 refinarias brasileiras. A carga refinada no dia 30 de março alcançou 2,137 milhões de barris, elevando em 12 mil a marca de 2,125 milhões de barris registrada no último dia 3 de março. As informações foram divulgadas pela empresa no início desta semana.

Grande parte do resultado é atribuído à maior refinaria da Petrobras, a de Paulínia (SP), cuja capacidade de processamento atingiu 396 mil barris por dia. No exterior, a companhia tem três refinarias, cujo processamento é reduzido.

Além disso, o País bateu recorde em fevereiro na produção de gás natural, atingindo 76,5 milhões de metros cúbicos por dia. O recorde anterior havia sido obtido em dezembro do ano passado, com média de 76,2 milhões de m³/dia. Na comparação com fevereiro de 2012, houve aumento de 14,1%. As informações também foram divulgadas nesta semana pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP.

O campeão em produção é o Campo de Manati, na Bacia de Camamu (BA), que apresentou média de 6,6 milhões de metros cúbicos por dia.

Dos 20 maiores campos de petróleo, 18 são operados pela Petrobras e dois por empresas estrangeiras: Peregrino, pela Statoil, e Ostra, pela Shell. Dos 20 maiores campos de gás, apenas um não é operado pela Petrobras: o de Gavião Real, da OGX Maranhão.

Fonte: com informações da Agência Brasil.


Entrega de gás natural bate recorde no primeiro semestre de 2012

4, agosto, 2012 Deixar um comentário

A Petrobras fechou os primeiros seis meses do ano com recorde na entrega de gás natural nacional, com média de 40,9 milhões de metros cúbicos por dia (m³/d), resultado 10% superior à entrega média de 2011, de 37 milhões de m³/d.

A média de junho foi de 44,1 milhões de m³/d.

Uma série de fatores e investimentos nos últimos anos justifica o crescimento contínuo da oferta de gás nacional. Destaca-se:

• Plano de Antecipação da Produção de Gás – Plangás: diversos novos campos de gás começaram a produzir desde de 2008, como o de Canapu e Camarupim, no Espírito Santo, e o de Mexilhão, Uruguá e Tambaú, na Bacia de Santos;

• O incremento da entrega de gás para geração termoelétrica na Região Norte;

• O aumento da produção do campo de Lula, produzindo gás associado de reservatórios do Pré-sal na Bacia de Santos;

• Programa de Otimização do Aproveitamento de Gás Natual – POAG 2015: criado em 2009, com o objetivo de elevar o aproveitamento de gás da área de Exploração e Produção, o programa permitiu que a Petrobras aproveitasse, nesse primeiro semestre, 91,7% de gás associado, quantidade superior ao último recorde anual de aproveitamento de gás, de 89,2% em 2011.


Recorde – Mineradoras devem investir US$ 75 bi até 2016

13, maio, 2012 Deixar um comentário

No período 2012 – 2016, a indústria privada brasileira de mineração investirá o valor recorde de US$ 75 bilhões, segundo o novo levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Mineração – Ibram. O valor é 9,5% maior em relação aos US$ 68,5 bilhões, indicados na última pesquisa (2011 – 2015). Segundo o Ibram, o maior interesse por projetos minerais reflete o cenário de demanda aquecida e preços elevados, impulsionado pelo crescimento mundial, especialmente dos países emergentes.

Em 2011, a Produção Mineral Brasileira – PMB também foi histórica, atingindo US$ 50 bilhões, representando 3,8% do Produto Interno Bruto – PIB. O saldo comercial da mineração foi de US$ 38,4 bilhões ou cerca de 30% superior ao saldo total da balança comercial brasileira. O minério de ferro representou 81% das exportações de minérios em 2011.

A perspectiva do Ibram é de manutenção da tendência de crescimento. Segundo o instituto, a PMB deve crescer 10% em 2012.


Volkswagen registra recorde de produção e anuncia investimentos de R$ 8,7 bilhões até 2016

9, fevereiro, 2012 Deixar um comentário

Entre automóveis e comerciais leves, a Volkswagen do Brasil produziu 828.444 unidades em 2011, registrando recorde histórico. Foram 2.623 unidades a mais em relação ao índice registrado em 2010. Do total, 178 mil unidades foram exportadas para 10 países. “Estar no posto de maior fabricante de veículos do Brasil é um orgulho para a marca e seus colaboradores e, principalmente, reforça o compromisso com o País e nos motiva cada vez mais a buscar inovações para desenvolver, produzir e vender veículos que atendam as expectativas do nosso público”, comemora Thomas Schmall, presidente da Volkswagen do Brasil.

Evolução de produção da Volkswagen do Brasil (2007-2011)

O recorde histórico consolidou a empresa alemã como a maior fabricante de veículos do Brasil, produzindo 22 modelos entre nacionais e importados. Buscando desenvolver novos produtos e ampliar a capacidade de produção, o presidente mundial do grupo, Martin Winterkorn, anunciou que serão investidos R$ 8,7 bilhões até 2016.