Arquivo

Textos com Etiquetas ‘Senai’

I Encontro de Líderes da Indústria debate produtividade e inovação para crescimento do Brasil

Em comemoração aos 40 anos da Revista NEI e 30 edições da Feira Internacional da Mecânica, foi realizada nesta manhã o I Encontro de Líderes da Indústria, no hotel Holiday Inn, ao lado do Anhembi, em São Paulo, onde é realizada a feira, que segue até 24 de maio. Organizado por NEI Soluções e pela Reed Exhibition Alcantara Machado, promotora da Mecânica, o encontro foi composto por duas palestras: “Produtividade e crescimento no Brasil”, com Ildefonso Alvim de Abreu e Silva e Bjorn Hagemann, sócios da McKinsey & Company; e “Inovação tecnológica na indústria – condição para a modernização e a competitividade interna e externa”, com Marcelo Prim, diretor nacional de Inovação do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – Senai.

Na ocasião, os sócios da McKinsey & Company comentaram cinco mudanças que influenciarão as empresas nacionais. São elas: grande equilíbrio entre as balanças dos países; desaceleração do crescimento demográfico populacional compensado por ganho de produtividade; demanda por recursos finitos aumentando e fornecimento se tornando mais volátil; crescente fluxo de dados permitirá novos níveis de controle, colaboração e extração de valor; e avanços econômicos. Para eles, parte dos ganhos sustentáveis de competitividade tem início na modernização das práticas e processos das empresas e, apesar da melhora da competitividade brasileira, o País está longe do patamar ideal. “A iniciativa privada continuará sendo a impulsionadora do desenvolvimento, devido aos desafios relacionados à eficácia do governo”, disseram. “A produtividade será o maior fator do crescimento futuro do PIB brasileiro, em função de nossa pirâmide populacional e nível de emprego.”

Já o diretor do Senai dedicou sua palestra aos problemas vividos no Brasil que atrasam a subida de posições na lista dos países mais  inovadores. Comentou a falta de investimento, laboratórios, centros de pesquisas e inovação, educação, profissionais qualificados e de parcerias entre empresas e universidades, entre outras necessidades. Além do trabalho realizado para melhorar essa posição, como as atividades do Senai, o Brasil tem muito para evoluir. Para Prim, a educação é a base, e citou como exemplo a Suíça, que se tornou a primeira do ranking porque investe arduamente em educação. O diretor afirmou que o trabalho é longo e vai demorar de 20 a 30 anos para o Brasil subir alguns níveis, mas que é possível acelerar se houver criação de muito mais parcerias internacionais e incentivos para que pequenas se tornem médias empresas e médias se transformem em grandes.

A maior feira industrial do Brasil é fundamental na trajetória de NEI

A Feira Internacional da Mecânica é parte importante da história de NEI. A equipe editorial visitou todas as edições desde 1974, a fim de divulgar as tendências mundiais de diversos setores, contribuindo para a modernização do parque industrial do Brasil e de vários países nestas três décadas. Além disso, como de costume, no mês do evento e no anterior, NEI antecipa diversos lançamentos para que os leitores possam fazer os contatos previamente e programar a visita aos expositores dessa megafeira.

Na 30ª edição são expostas mais de 2.100 marcas nacionais e internacionais, com participação de empresas da Itália, Espanha, Áustria, República Checa, Turquia, China, Taiwan, Japão, Argentina e outros países. A organizadora prevê 100 mil visitantes qualificados.


Parceria de BIT 9 e Senai inova na forma de qualificar profissionais da indústria

O Simulador de Soldagem Industrial já está em uso no Senai Alagoas e em breve será realidade no sistema de ensino profissional em todo o Brasil

Com uso de um tablet Cintiq 22HD da Wacom, empresa especializada em tablets para criação digital, o Senai Alagoas e a BIT9 desenvolveram o Simulador de Soldagem Industrial MIG/MAG e TIG para ser utilizado pelos docentes do Senai na capacitação dos futuros profissionais industriais.

O simulador reproduz em escala real todas as operações e posições de soldagem estabelecidas pela norma, com interação por sistema de coordenadas, que incluem parâmetros como: posição, inclinação, pressão e rotação da tocha de soldagem.

Entre os benefícios do projeto destacam-se a redução de custos e do tempo de formação de profissionais, de despesas com energia elétrica e material de consumo, redução da ocupação dos postos de trabalho nos laboratórios de soldagem e, principalmente, a eliminação dos riscos de acidentes na fase mais crítica de preparação de soldadores.

A escolha da tecnologia Wacom foi estratégica, pois os idealizadores precisavam agregar ao projeto um princípio de realidade na simulação dos processos de soldagem MIG/MAG e TIG, que exigia uma perfeita integração entre a tecnologia disponível na Cintiq 22HD com o software simulador de soldagem.

O simulador está disponível em duas linguagens de programação: Microsoft visual C++, responsável pela leitura dos dispositivos USB, como Hardlock e Tablet, e o Q3D para programação gráfica. “Vale ressaltar também o diferencial da caneta digital, que acompanha o produto, com tecnologia indutiva de precisão, proporcionando elevados níveis de detecção de pressão na ponta e ampla faixa de angulação, requisitos imprescindíveis para o sucesso na utilização do Simulador de Soldagem”, complementa Jean Cavalcante, líder da área de automação industrial e instrumentação do Senai-AL.


Agência japonesa implanta em unidades do Senai centros de treinamento na área naval

A Japan International Cooperation Agency – Jica investe R$ 10 milhões na criação de núcleos de formação de trabalhadores para a indústria naval no Rio de Janeiro, Pernambuco, Bahia e Rio Grande do Sul. Serão instalados nas unidades do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – Senai. O início das atividades está previsto para este ano.

Além da modernização tecnológica das escolas do Senai, a parceria permitirá a capacitação, nos próximos quatro anos, de 100 técnicos especializados em mecânica naval, gestão da produção naval e soldagem de materiais compostos.

A iniciativa surgiu da necessidade de qualificação de mão de obra para duas empresas japonesas: a Ishikawajima-Harima Heavy Industries, que comprou 25% do Estaleiro Atlântico Sul, e a Kawasaky Heavy Industries, que tem interesse em estaleiros em Salvador. Com a capacitação de brasileiros, essa companhias deverão contratar 20 profissionais do Japão e os brasileiros formados pelo projeto da Jica e do Senai.


Senai-SP apresentará projetos e novidades de sistemas de refrigeração e climatização na Febrava 2013

Do setor de construção civil até o automotivo, os sistemas de refrigeração e climatização do ar são fundamentais e, inclusive, para alguns setores, são obrigatórios. Aproveitando a demanda crescente do segmento e a evolução tecnológica do produto, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo – Senai-SP tem desenvolvido um trabalho contínuo na capacitação de profissionais e mostrará grande parte de seus projetos na Ilha Temática da Formação Profissional – Senai, na 18ª Feira Internacional de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação, Aquecimento e Tratamento do Ar – Febrava, que acontece de 17 a 20 de setembro no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo.

Na área de exposição do Senai-SP, que terá 100 m², serão demonstrados os avanços tecnológicos do setor HVAC-R aplicados de forma prática por alunos e docentes. Um dos destaques será o protótipo de um sistema de refrigeração com aproveitamento de energia, desenvolvido por Felipe Benicio, ex – aluno da escola e medalhista na 42º Wordskiils 2013 (competição mundial entre instituições de ensino profissionalizante) e, hoje, funcionário do Senai-SP. Além disso, no estande terão palestras técnicas com empresas parceiras e atividades com alunos da escola (como a instalação de sistemas de refrigeração e climatização).


Fiesp convoca desenvolvedores para criação de software móvel

Organizado pelo Comitê de Jovens Empreendedores – CJE da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo – Fiesp, o Hackathon é uma maratona de 15 horas que reunirá programadores, designers e outros profissionais ligados a Tecnologia da Informação – TI. O objetivo é criar ou adaptar um App inovador e gratuito para móbile, que apoie empreendedores de diferentes áreas.  

Poderão participar da competição cientistas da computação, designers, programadores, profissionais de TI e hackers que já tenham aplicação online (portfólio). Por meio do site www.festemp.com.br, a Fiesp vai selecionar 100 pessoas. As inscrições vão até 15 de setembro de 2013.

A atividade faz parte do 9º Festival de Empreendedorismo, realizado pela Fiesp e pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – Senai, que acontece entre os dias 25 e 26 de setembro no Anhembi, em São Paulo.


Senai-SP anuncia Programa de Apoio à Pesquisa para estreitar relações com universidades

23, julho, 2013 1 comentário

Na manhã desta terça-feira (23), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – Senai de São Paulo lançou o Programa Senai-SP de Apoio à Pesquisa, que pretende estimular a competitividade por meio de convênios e parcerias com universidades públicas. A ideia é que as universidades utilizem a estrutura do Senai-SP para implementar pesquisas em prol da inovação. “Enquanto oferecemos toda nossa infraestrutura para a universidade, os pesquisadores trazem um pouco de criatividade para o Senai-SP”, avalia Walter Vicioni, diretor regional do Senai-SP.

Para Milton Mori, diretor executivo da Agência de Inovação (Inova) da Universidade de Campinas (Unicamp), a ideia da troca de experiências entre universidades e Senai é benéfica, não só para a indústria, mas para o Brasil. “Tudo o que o Senai faz no Brasil faz muito bem. Tendo isso em mente, já adianto que poderemos começar logo o convênio de abertura de todas as áreas de conhecimento da Unicamp para esse projeto. Estamos de braços abertos”, conta.

A parceria universidade-Senai promete qualificar o aprendizado dos alunos tanto do Senai-SP quanto do Serviço Social da Indústria de São Paulo – Sesi-SP. “O sistema de educação do Sesi-Senai, que é integrado, ensina as crianças, desde cedo, a quebrarem barreiras e inovarem”, conta o diretor técnico do Senai-SP, Ricardo Terra.

Para obter mais informação sobre o programa, acesse o site do Senai-SP.


Senai da Bahia terá mais investimentos para ampliação da infraestrutura

Para a finalização das obras do Centro Integrado de Manufatura e Tecnologia – Cimatec 2 e a edificação das unidades Cimatec 3 e 4, em Salvador-BA, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial/Departamento Regional da Bahia – Senai/DR-BA terá financiamento de R$ 14 milhões. A proposta é investir na formação profissional e no apoio tecnológico ao parque manufatureiro baiano, com ênfase nos mercados automotivo, metalmecânico, eletroeletrônico, de plásticos, informática, eletrodomésticos e brinquedos.

O Cimatec, que empregava 516 funcionários em dezembro do ano passado, pretende ter mais 28 postos de trabalho até o fim de 2013.

Somado aos R$ 18 milhões do financiamento original, o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES corresponde a 57,8% do total a ser investido no projeto, que atende demandas do setor industrial para serviços de capacitação e suporte tecnológico à inovação, no âmbito do Programa BNDES de Sustentação do Investimento – PSI.

Educação

Além dos cursos básicos de aprendizagem industrial para mais de quatro mil alunos, o Senai/DR-BA mantém 19 cursos técnicos de nível médio e 30 de qualificação profissional. Cerca da metade das opções é gratuita. No nível superior, o Cimatec oferece graduação em Engenharia Mecânica e Engenharia de Materiais, além de 14 cursos de tecnologia. Até o ano que vem, a oferta de cursos de engenharia deverá ser ampliada para 11 habilitações. São oferecidas ainda pós-graduação lato e stricto sensu.


Padrões internacionais de qualidade de soldagem a favor da indústria brasileira

Aumentar a qualidade do projeto, assegurando que as partes de um equipamento ou peça sejam unidas da forma mais resistente possível é o objetivo das normas internacionais mais utilizadas no Brasil: American Welding Society – AWS e a American Society of Mechanical Engineers – ASME. Outros padrões reconhecidos – e seguidos – são os da norma de soldagem da Petrobras. “A tendência é que mesmo empresas que ainda não são exportadoras adotem padrões internacionais de qualidade”, conta Marcel Heinz, especialista em metalmecânica do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – Senai de Santa Catarina.

Para obter padrão de excelência, a solda precisa resistir a diversos eventos mecânicos, desde tensão, torção e atrito até adversidades químicas, como ação da umidade e corrosão marítima. “A solda de uma caldeira, por exemplo, precisa ser resistente o bastante para aguentar a pressão sem ceder. Uma estrutura de construção precisa aguentar o peso da cobertura e ventos fortes”, explica Heinz. Além dos eventos mecânicos, para serem resistentes as soldas não devem ter deformidades em suas superfícies ou em seu interior.

Nesse cenário, o Senai de Santa Catarina fornece consultoria para as empresas do Estado, visando assegurar a conformidade das soldas utilizadas às normas internacionais. As consultorias do Senai/SC promete trabalhar tanto com a qualificação dos profissionais quanto com os processos de planejamento, controle e verificação da soldagem.

No processo de qualificação, os trabalhadores e o processo são avaliados antes da execução de um projeto de soldagem. A execução é feita em um corpo de prova (material com as mesmas características do produto a ser modificado). Posteriormente, a solda de teste é levada para análise metrológica, utilizando a rede de laboratórios do Senai/SC. No laboratório, o teste pode ser verificado com mais objetividade e precisão, facilitando a identificação de falhas ou desconformidades com as normas. Resistência, tração, impacto, dureza estão entre os aspectos avaliados.

A atuação da consultoria do Senai antes era realizada apenas na região Norte de Santa Catarina. A partir deste ano passou a atender o Vale do Itajaí. Desde então, 12 empresas do Vale e Alto Vale do Itajaí recorreram às consultorias do Senai. As indústrias são do setor metalmecânico, fabricantes de estruturas para móveis, caldeiras, empresas de engenharia civil, montagem e manutenção de equipamentos, elevadores e de projetos especiais.

Além do Vale do Itajaí e Norte do Estado, empresas de outras regiões que tenham interesse na consultoria também podem solicitar atendimento.


Senai de Joinville recebe máquina de microusinagem

Santa Catarina conta com máquina para usinagem de metais com cinco eixos em dimensões micrométricas. Com ela, é possível fazer cortes de até 0,0001 mm de espessura (valor até 100 vezes inferior ao diâmetro de um fio de cabelo) e produzir micromoldes, que são usados na produção de itens importados, como minúsculos componentes de placas eletrônicas. Encontra-se no Instituto Senai de Tecnologia em Metalmecânica, em Joinville-SC, que tem previsão de inauguração em 2014. No local, alguns serviços já são oferecidos.

Segundo o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – Senai, essa é a primeira máquina desse tipo do Brasil. Para trazer a nova tecnologia para o País, o Senai contou com a consultoria do instituto de pesquisa Fraunhofer IPK, da Alemanha.

Segundo o coordenador do instituto, Daniel de Aviz, a intenção é de, no primeiro momento, desenvolver projetos de micromoldes em parceria com as indústrias. O foco será principalmente os segmentos de metalurgia, óleo e gás, polímeros, elastômeros, além de contemplar toda a área de mecânica. No local, também serão capacitados profissionais para trabalhar com os novos processos.

O Instituto Senai de Tecnologia em Metalmecânica atuará de forma articulada com outros 60 institutos de tecnologia e 23 de inovação que o Senai pretende instalar no Brasil. Em Santa Catarina, serão dez institutos, sendo oito de tecnologia – voltados para as áreas de alimentos, eletroeletrônica, automação e tecnologia da informação e da comunicação, design têxtil e do vestuário, ambiental, materiais e logística – e dois de inovação, com foco em Laser e em sistemas embarcados.


Inscrições até 5 de julho para cursos gratuitos do Senai RJ. Petróleo e gás e automação são duas das opções

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – Senai do Rio de Janeiro está com inscrições abertas para cursos técnicos, com aulas a distância e presenciais. São 492 vagas gratuitas, distribuídas nos cursos: Petróleo e gás, Automação industrial, Redes de computadores e Manutenção e suporte em informática. As inscrições podem ser feitas até 5 de julho, por meio do www.firjan.org.br/educamais. Os cursos estão previstos para iniciar em agosto.

Podem participar pessoas com idade mínima de 17 anos, que estejam cursando ou tenham concluído o 2º ano do ensino médio. O processo seletivo terá prova online de Português, Matemática e raciocínio lógico. O resultado será divulgado no dia 10 de julho, no mesmo site da inscrição.

Conheça os cursos e as unidades disponíveis:

Petróleo e gás (1.200 h) – ensina a planejar, operar e controlar processos na cadeia produtiva de petróleo e gás natural. Aulas presenciais: CTS Automação e Simulação (Benfica).

Automação industrial (1.360 h) – ensina a manter e implementar equipamentos e dispositivos de automação e mecatrônica industrial, além de desenvolver sistemas de controle e automação. Aulas presenciais: CTS Automação e Simulação (Benfica).

Redes de computadores (1.200 h) – ensina a implementar e manter infraestruturas, equipamentos de acesso, sistemas operacionais e serviços de redes. Aulas presenciais: Senai Maracanã.

Manutenção e suporte em informática (1.200 h) – ensina a executar montagem, instalação, configuração, manutenção de computadores e periféricos, realizando suporte técnico ao cliente. Aulas presenciais: Senai Maracanã.

Mais informações podem ser obtidas pelo 0800-0231231 ou www.firjan.org.br/educamais.