Arquivo

Textos com Etiquetas ‘sustentabilidade’

Inscrições abertas para o Prêmio von Martius de Sustentabilidade 2016

Organizado pela Câmara Brasil-Alemanha, por meio de seu Departamento de Meio Ambiente, Energias Renováveis e Eficiência Energética, o Prêmio von Martius de Sustentabilidade reconhece o mérito de iniciativas de empresas, poder público, indivíduos e sociedade civil para promover o desenvolvimento econômico, social e cultural no contexto da sustentabilidade.

O prêmio terá  no ano de 2016  uma Categoria Edição Especial/Startup – Recursos Hídricos, além das tradicionais Humanidade, Tecnologia e Natureza.

As inscrições podem ser feitas até 12 de setembro de 2016 (data de postagem) pelo site www.premiovonmartius.com.br/. Investimento: gratuito.


Brasil sediará em 2016 a primeira edição latina da Pollutec

A data e o local estão marcados. De 12 a 14 de abril de 2016, no novo espaço de eventos, o São Paulo Expo, antigo Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo-SP, será realizada a primeira edição na América Latina da feira bianual de origem francesa Pollutec. Já promovida também no Marrocos e Argélia, a Feira Internacional de Tecnologias e Soluções Ambientais é dedicada a apresentar as mais recentes inovações para o setor ambiental no mundo.

São esperados 100 expositores e mais de quatro mil visitantes. Palestras farão parte do evento com os temas: Cidade sustentável, Indústria sustentável e competitiva, Desafios do setor de saneamento no Brasil e na América Latina, Economia circular e verde e Melhores práticas internacionais. Visitas técnicas em empreendimentos sustentáveis completarão a programação.

No Brasil, a organização e a promoção são da Reed Exhibitions Alcantara Machado, que conta com apoio da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária – Abes para realizar esse evento. O anúncio da nova feira foi feito nessa quarta-feira em encontro para convidados na cidade de São Paulo. Para mais informações, acesse http://www.pollutec-brasil.com/.


Primeiro voo comercial com biocombustível é feito no Brasil

Avião da Gol Linhas Aéreas realizou neste mês o primeiro voo comercial no Brasil, entre as cidades de São Paulo e Brasília, abastecido com 25% de bioquerosene. O combustível foi desenvolvido sem exigir modificações nas turbinas, sistemas de armazenamento ou distribuição de combustível.

“O biocombustível em geral, e em particular para a aviação, é eficaz para acelerar o desenvolvimento da região, atrair mais investimentos, gerar empregos, aumentar a receita empresarial e trazer tecnologias e desenvolvimento rural de forma sustentável”, disse Arnaldo Vieira de Carvalho, especialista em energia e líder da Iniciativa de Biocombustíveis Sustentáveis para Aviação do Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID, sobre a América Latina e o Caribe.

Segundo Juan Diego Ferrés, presidente do Conselho Superior da União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene – Ubrabio, “o novo mercado de biocombustíveis para aviação permite que o transporte aéreo no Brasil cresça sem aumentar a emissão de gases de efeito estufa”.

O BID apoia o desenvolvimento de biocombustíveis sustentáveis para a aviação no Brasil, México, Argentina, Chile e América Central. A ferramenta gratuita do BID Sustainable Biofuels Scorecard, também disponível em português, ajuda produtores a avaliar questões associadas à produção de biocombustíveis, do campo ao tanque, estimulando níveis mais altos de sustentabilidade nesses projetos.


Sebrae-SP disponibiliza cartilha para incentivar mudanças sustentáveis nas empresas

O material “Os primeiros passos de uma empresa sustentável”, que visa orientar empresários das micros e pequenas empresas a adotar práticas sustentáveis, está disponível no site do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo – Sebrae-SP. A cartilha foi lançada neste mês durante a 12ª Conferência de Produção Mais Limpa e Mudanças Climáticas da Cidade de São Paulo.

Apresenta capítulos especiais sobre três itens: água, resíduos sólidos e energia. O leitor encontra informações sobre a importância de economizar ou reaproveitar tais recursos e as consequências dessa ação para a competitividade do negócio, além de questionário para avaliar o desempenho da sua empresa.

“A ideia é estimular o empresário para que ele adote práticas orientadas ao equilíbrio entre eficiência econômica do negócio, responsabilidade social e proteção ambiental”, explicou Bruno Caetano, diretor-superintendente do Sebrae-SP.

Quem pretende adotar práticas ambientais em seus negócios pode acessar a cartilha pelo http://migre.me/gglWy.


Indústria brasileira é a quarta maior produtora de produtos de limpeza

Segundo o Anuário 2013 da Associação Brasileira das Indústrias de Produtos de Limpeza e Afins – Abipla, o Brasil é o quarto mercado mundial de produtos de limpeza, com produção estimada em R$ 8,1 bilhões por ano, ficando atrás apenas dos EUA, China e Japão. A publicação recém-lançada mostra um panorama e balanço geral do setor de produtos de limpeza, baseando-se em dados e levantamentos realizados pelos institutos de pesquisa Euromonitor, Kantar e Nielsen.

No Brasil, em 2012, o setor cresceu 3,5% em relação a 2011, atingindo R$ 15 bilhões em vendas, tendo a região Centro-Oeste como maior consumidora de produtos de limpeza. Em relação ao gasto médio do brasileiro com esse tipo de produto, o anuário aponta crescimento de 41,5% nos últimos cinco anos e 8,1% na comparação entre 2012 e 2011. O resultado negativo fica por conta da produção de vassouras, que manteve a retração dos últimos anos, apontando queda de 5%.

Segundo Maria Eugênia Proença Saldanha, temas ligados ao meio ambiente estão cada vez mais relacionados a indústria de produtos de limpeza, que promete cada vez mais atender as exigências por produtos e tecnologias “verdes”. “Os detalhes do anuário estão sendo anunciados com o objetivo de ressaltar a dedicação da associação e das indústrias do setor com o tema da sustentabilidade. A Abipla foi a primeira associação do setor de consumo a assinar um pacto setorial nesta linha com o Ministério do Meio Ambiente”, conta.


Vídeo: máquina de serigrafia destaca-se na FIEE 2013

A equipe de NEI Soluções esteve na 27ª Feira Internacional da Indústria Elétrica, Eletrônica, Energia e Automação, que aconteceu de 1 a 5 de abril no pavilhão de exposições do Anhembi, em São Paulo. Um dos destaques do evento foi a máquina de serigrafia VS1520M da empresa italiana Aurel – presente pela primeira vez no evento.

Assista o vídeo abaixo para conferir as principais características técnicas dessa novidade.


Caso de sucesso: Petrobras economizou mais de 23 bilhões de litros de água em 2012

A Petrobras investe em ações para o uso racional e eficiente da água em suas instalações, principalmente em projetos de reúso. No ano passado, a companhia petrolífera reusou mais de 23 bilhões de litros, quantidade suficiente para suprir 11% das atividades da empresa ou abastecer uma cidade de aproximadamente 550 mil habitantes por um ano. Segundo o planejamento da Petrobras, com a contínua implantação de novos projetos de reúso em refinarias, em 2015 o reaproveitamento da água chegará a 35 bilhões de litros por ano.

Entre as medidas adotadas para alcançar os resultados positivos, está a criação do Centro de Pesquisas da Petrobras – Cenpes, que em julho de 2012 iniciou a operação da Estação de Tratamento e Reúso de Água – Etra, responsável pelo tratamento dos esgotos sanitários e industriais de todo o empreendimento. Integrado ao projeto da Etra, a captação da água de chuva contribui também para evitar o descarte anual de 600 milhões de litros de água, o que representa economia de R$ 12 milhões em consumo de água potável.

Já na área de refino, o destaque é a introdução de processos pioneiros para reúso de efluentes. A Refinaria Gabriel Passos – Regap, em Minas Gerais, foi a primeira a fazer o reúso de efluente em seu sistema de resfriamento, empregando o processo de dessalinização por eletrodiálise (EDR). Essa tecnologia permitiu a economia de 420 milhões de litros de água em 2012, equivalente ao consumo de 8 mil habitantes.

Em 2012, a Refinaria Henrique Lage – Revap, em São Paulo, também criou uma nova estação de tratamento de despejos industriais, com capacidade para tratar até 300 litros por hora de efluentes, podendo gerar economia de até 2,6 bilhões de litros de água por ano. Além disso, a unidade paulista implantou a tecnologia de biorreatores a membranas (MBR) para tratamento biológico de efluentes oleosos de refinarias.

Em dezembro de 2012, a Refinaria do Paraná também criou uma nova estação de tratamento de despejos industriais com a tecnologia de MBR. A nova medida possibilitará o reúso de 200 mil litros por hora de efluentes.

Patrocínio. A Petrobras patrocina projetos ambientais e sociais voltados à preservação dos recursos hídricos, incluindo iniciativas para recuperação e preservação de nascentes. No final de 2012, novas seleções públicas do Programa Petrobras Ambiental e Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania definiram que nos próximos dois anos serão destinados R$ 102 milhões para projetos ambientais e R$ 145 milhões para projetos sociais.


Empresa especialista em lubrificantes especiais anuncia área exclusiva de eficiência energética

A subsidiária sul-americana da Klüber Lubrication, especializada em soluções com lubrificantes especiais, anuncia a criação de um departamento específico para atuar no mercado de eficiência energética. “O objetivo é fortalecer a presença da empresa em setores estratégicos e estreitar ainda mais o relacionamento com as indústrias instaladas no continente”, diz Enrique Garcia, diretor-geral da companhia na América do Sul.

O novo departamento de eficiência energética tem a missão de oferecer métricas dos resultados em sustentabilidade das soluções fornecidas pela Klüber. “Isso é possível por meio da adoção de metodologias certificadas internacionalmente que registram a eficiência energética dos nossos lubrificantes e confirmam a redução do consumo de energia, da emissão de CO2 e dos custos operacionais”, conta Irajá Ribeiro Jr., engenheiro líder da nova área e um dos poucos no Brasil que possuem a Certified Measurement & Verification Professional – CMVP, certificação que reconhece a competência do profissional para validar e assinar projetos de medição e verificação do desempenho e consumo de energia.

Segundo Ribeiro Jr., a substituição de mil litros de lubrificantes convencionais pelos da Klüber Lubrication gera:

1) Economia de energia elétrica de mil MWh ao ano:
• Energia bastante para abastecer durante um ano 710 consumidores;
• Redução anual de R$ 250 mil na conta de energia elétrica.

2) Redução de carbono emitido: 650 toneladas/ano:
• Equivale ao plantio de 140 árvores em uma área de 550 m2 de floresta.

3) Economia da água usada para remover resíduos dos lubrificantes.


Começa na segunda o 1º Simpósio de Adequação da Indústria à Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305)

13, março, 2013 1 comentário

Baseado nas visões e experiências de especialistas do setor, o simpósio pretende oferecer análises detalhadas sobre como a indústria deve se posicionar frente às obrigações legais, penalidades e outros pontos questionáveis presentes na Lei 12.305 sobre resíduos sólidos. Os desafios para a adaptação da indústria à logística reversa e a distribuição das responsabilidades a todos da cadeia produtiva também serão debatidos.

Dentre os temas abordados está a importância da logística reversa. Álvaro Goulart, gerente de segurança da Embratel, apresentará o case de sucesso do projeto de logística reversa de 2.500 nobreaks de um dos clientes da empresa. Goulart explicará como o conceito do Programa de Responsabilidade Ambiental Compartilhada – PRAC ajudou seu cliente a manter o equilíbrio entre a viabilidade econômica e as questões ambientais.

A inscrição custa R$ 2.190,00 e inclui acesso ao simpósio, estacionamento, material, apresentações dos palestrantes, coffee break e almoço executivo nos dois dias do evento.

Para conferir a programação completa, acesse aqui.


BNDES financia tecnologia para produção de cimento “verde”

Denominado cimento pozolânico, é obtido a partir da reciclagem da fração fina (grãos menores do que 0,15 mm de diâmetro) de resíduos de obras civis e demolições, como cimento hidratado e cerâmica vermelha. Financiada com R$ 2,5 milhões (50% do valor total do projeto) pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, a tecnologia, inédita no mundo, gera um cimento de baixo custo, com alto potencial de exploração comercial. 

Diferente da fabricação do cimento convencional, o processo para produção do cimento pozolânico não gera gás carbônico (CO2), apenas água – o que consequentemente reduz as emissões de gases de efeito estufa. O novo produto também tende a reduzir a quantidade de resíduos da construção civil enviados para os aterros, auxiliando as empresas do setor no cumprimento da nova Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Os recursos são do Fundo Tecnológico (BNDES Funtec) e serão destinados ao Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo – IPT, empresa criada em 1975 para apoiar projetos experimentais do setor de construção civil da Escola Politécnica da USP. O projeto também contará com a parceria da InterCement Brasil S.A., companhia do grupo Camargo Corrêa, que investirá recursos próprios e disponibilizará profissionais especializados.

Por possuir resistência mecânica inferior à do cimento tradicional, o novo produto é indicado para ser base estabilizada em revestimento de pavimentos rígidos ou reaterros de valas de água, esgoto e telefonia. Além disso, os produtos obtidos pelo processo poderão se diversificar para outras aplicações, como argamassa e pré-fabricados de concreto.

Caso a tecnologia desenvolvida obtenha viabilidade técnica e comercial, a InterCement será a responsável por introduzir o novo produto no mercado.