Arquivo

Textos com Etiquetas ‘wireless’

Enfrente a crise controlando melhor os seus processos

Em tempos de vacas magras, a indústria se vê desafiada a encontrar meios para reduzir custos de produção, cortar gastos supérfluos, eliminar desperdícios e aumentar a eficiência produtiva. Resumindo, controlar melhor os processos é uma das saídas para a crise e certamente a mais importante. O controle eficiente dos processos de produção deve ser uma meta permanente, em qualquer tempo, e é o grande diferencial das empresas bem-sucedidas. Felizmente, nunca foi tão grande a presença de produtos e sistemas oferecendo soluções, das mais simples às mais sofisticadas. Mais uma vez, a tecnologia se mostra aliada da indústria.

edição de dezembro da Revista NEI, na seção Instrumentação e Controle, uma variada seleção de sensores, controladores e sistemas supervisórios alinhados à Indústria 4.0 que vão ajudar na busca da melhor solução para indústrias de pequeno, médio ou grande porte. Não importa o tamanho do desafio, haverá sempre uma solução a um custo compensador. A difusão de tecnologias novas, como comunicação wireless, armazenamento de informações na nuvem e aumento de capacidade dos sistemas digitais, tem transformado de tal forma os recursos de instrumentação e controle, que muitos consideram se tratar de uma nova revolução industrial.

Ao contrário do que se possa imaginar, estar alinhado a essas novas tecnologias não é difícil, nem tão dispendioso. Talvez o mais difícil seja dar o primeiro passo. A indústria do futuro será mais produtiva principalmente porque poderá contar com formas mais eficientes de medir e controlar os processos de produção, produzindo mais e a custos menores. Como podemos ver, investir agora nessas tecnologias, além de nos blindar contra crises, também nos deixa mais competitivos e capacitados a enfrentar qualquer concorrência.

Na verdade, muitas empresas já vêm investindo nessa direção, conforme indica a Pesquisa Mensal de Produção Física do IBGE: em relação a 2014 houve aumento de 5,5%  na produção Bens de Capital para Fins Industriais – Seriados (apesar da crise). Isto é uma pista de que, embora os índices de consumo tenham caído, produtos destinados a melhorar a eficiência na indústria estão em alta – provavelmente seu concorrente já está investindo para ser mais competitivo.

Enfim, não adianta parar e esperar a economia entrar nos eixos, é mais garantido tomar a iniciativa e acreditar na própria capacidade de resolver problemas. Investir em tecnologia tem se mostrado a estratégia certa para superar obstáculos e crescer, mesmo em tempos difíceis. É preciso se manter informado sobre o que há de mais novo e moderno no mercado; por isso a Revista NEI traz todos os meses uma seleção do que há de melhor no mercado de máquinas e equipamentos para a indústria.


Informação sempre disponível

A eletrônica e sua filha mais influente, a tecnologia da informação, provocaram na indústria uma revolução, tantas e tão diversas são as transformações introduzidas, tão radicais as suas consequências. Elas estão presentes, visíveis e dramaticamente críticas em todas as indústrias, sejam grandes corporações ou pequenas empresas. Com uma agravante – esta revolução ainda está em curso, com uma velocidade obviamente eletrônica.

Um exemplo bem recente desse estado de “revolução permanente” está na evolução do wireless no chão de fábrica. Aumentou significativamente a confiabilidade do sinal entre máquinas emissoras e receptoras com a transformação de pontos de reflexão e deflexão do sinal em estações repetidoras que reforçam o sinal e o reenviam ao seu destino, onde um software reagrupa todos os fluxos para integrar a mensagem como foi originalmente emitida. Em outras palavras, as mensagens “dobram esquinas” e chegam íntegras ao destino.

Dentro ou fora desse ambiente, ganhou importância a disponibilidade da informação de que os profissionais da indústria precisam para alcançar seus objetivos. NEI Soluções tem acompanhado de perto as mudanças, e a edição em papel do Top Five – Diretório de Fornecedores Qualificados, que circulou em outubro, por exemplo, pode ser acessada no NEI.com.br, com a mesma qualidade da edição em papel e conteúdo ampliado.

As edições de NEI – Noticiário de Equipamentos Industriais e o Top Five também já podem ser acessadas nos tablets, via plataformas IOS se você tem iPad ou Android no caso de outros fabricantes. Não importa onde nem em qual circunstância você precise de informação atualizada e confiável, as mídias de NEI Soluções “dobram esquinas” para chegar a você, íntegras e com a confiabilidade garantida pelos 39 anos de experiência no campo da informação industrial.


Implantação de sistemas wireless industriais

25, julho, 2011 1 comentário

Introdução

As redes wireless industriais já são uma realidade nas indústrias dos mais diversos segmentos. As possibilidades de aplicação são muito diversificadas e podem envolver o monitoramento de variáveis, controle e comando remoto de dispositivos, interligação de redes entre equipamentos fixos e móveis, dentre outras, suprindo geralmente necessidades dos sistemas de automação.

Dentre as vantagens de aplicação de sistemas wireless industriais, o custo e o tempo de instalação são fatores relevantes e muitas vezes decisivos, se comparados aos custos e ao tempo necessário para a instalação de cabos, principalmente em distâncias maiores ou em equipamentos que possuem mobilidade.

Contudo, existem cuidados que precisam ser tomados antes, durante e após a instalação do sistema que, além de proporcionarem maior segurança durante a implantação, também podem contribuir significativamente para a prevenção e diagnóstico de futuros problemas que porventura venham a ocorrer no sistema implantado.

Testes integrados

É de fundamental importância, dentro do possível, executar teste em bancada ou em um sistema existente com características similares às da aplicação desejada, visando identificar características particulares da aplicação (tais como a quantidade de dados a ser transmitida ou a velocidade de resposta requerida), além das características das interfaces disponíveis de todos os equipamentos envolvidos, objetivando validar a aplicação e certificar-se que não haverá alguma incompatibilidade entre equipamentos ou possibilidade de o sistema wireless não atender os requisitos da aplicação.

Site Survey

O Site Survey é um serviço de levantamento de campo que consiste em efetuar testes e coletar dados no local de aplicação do sistema wireless, com vistas a identificar:

  • Possíveis fontes de interferência na frequência ou faixa de frequências de interesse, tais como outros sistemas wireless existentes.
  • Obstáculos, pontos de sombra e demais barreiras físicas à propagação das ondas eletromagnéticas.
  • Coordenadas geográficas e distância entre os pontos de interesse.
  • Características da alimentação disponível nos pontos onde serão instalados os equipamentos.
  • Intensidade e qualidade de sinal entre os pontos de interesse.

Geralmente, as empresas especializadas nesse tipo de serviço geram um relatório que registra as condições existentes no local onde será instalado o sistema wireless, atestando ou não a viabilidade técnica de implantação do sistema a partir da análise dos dados coletados. Quando houver a viabilidade, esse documento poderá recomendar ainda as características e posicionamento das antenas para cada ponto.

Homologação junto à Anatel

Todos os equipamentos para sistemas wireless, independente da frequência de operação, deverão ter um certificado de homologação emitido pela Agência Nacional de Telecomunicações – Anatel. Esse certificado garante que o equipamento se encontra em conformidade com os requisitos de operação, compatibilidade eletromagnética, resistência a surtos e condições de segurança previstas na legislação vigente. Os certificados são revalidados a cada dois anos ou quando ocorrer uma alteração nas leis pertinentes que modifique alguma característica operacional requerida. Para os equipamentos que operam nas faixas de frequência destinadas ao uso industrial, científico e médico (ISM – Industrial, Scientific and Medical), que compreendem basicamente as faixas de 900 MHz, 2,4 GHz e 5,8 GHz, apenas o certificado de homologação é suficiente para que o equipamento possa ser adquirido e instalado. Caso o equipamento escolhido trabalhe em outras faixas de frequências, será necessário requerer um licenciamento referente a elas junto à Anatel.

Registro de informações no comissionamento

Mesmo tendo sido realizado um Site Survey, é importante registrar as informações das intensidades e qualidade do sinal de rádio e tempos de resposta em cada ponto no momento do comissionamento do sistema, pois pode ter ocorrido alguma mudança no cenário de aplicação desde o momento de execução do Site Survey até o momento da instalação e comissionamento dos equipamentos em campo. Com essas informações devidamente registradas, o pessoal de manutenção poderá fazer inspeções periódicas no sistema, comparando os dados observados ao longo do tempo com os que foram registrados na instalação, sendo possível programar manutenções preventivas e agir antes da ocorrência de problemas devido ao desgaste natural de algumas partes, como a oxidação em antenas ou falhas na vedação de conectores expostos ao tempo.

Capacitação

Como se trata de uma tecnologia relativamente nova e com aspectos muitas vezes subjetivos e abstratos para a maioria dos profissionais da indústria, é necessário prever treinamentos para os profissionais de manutenção, com o objetivo de capacitá-los tanto na teoria de operação de sistemas wireless, de um modo geral, como nos aspectos específicos de cada equipamento, possibilitando-lhes a execução de testes, configurações e todas as operações necessárias para que ações corretas de prevenção, diagnóstico e solução de problemas possam ser tomadas. Além disso, é interessante que o corpo de engenharia também seja treinado nos conceitos teóricos e características operacionais de sistemas wireless, visando disseminar conceitos, características e particularidades da tecnologia também para aqueles que irão muitas vezes especificar ou lidar com a concepção de tais sistemas para os processos e equipamentos sob sua responsabilidade.

Conclusão

A tecnologia wireless aplicada à indústria é, sem dúvida, um caminho sem volta com um futuro muito promissor, pois existem ainda muitas possibilidades de aplicação inexploradas e muitos aprimoramentos tecnológicos a serem realizados.

Contudo, como qualquer outra tecnologia, possui as suas particularidades, requisitos e limitações, que precisam ser devidamente observados para garantir a implantação de um sistema wireless adequado para cada aplicação.

Acesse aqui, os últimos lançamentos voltados para implantação de sistemas wireless em sua indústria.

Crédito: artigo escrito por Adailton Cunha , graduado em engenharia elétrica pelo Centro Universitário do Leste de Minas Gerais, UnilesteMG e engenheiro de aplicação da TecWise Sistemas de Automação Ltda.


“O futuro será do Wireless”, prevê especialista

Jim Pinto, fundador da Action Instruments Techonology Futurist nos EUA, ministrou durante o NEI International Industrial Conference & Show em palestra sobre as perspectivas imediatas para a automação e instrumentação no chão de fábrica. O especialista prevê que o futuro será do Wireless e tudo estará conectado com o chip. As plantas ficarão cada vez menores e a produção mais barata deverá atender as necessidades locais.

Jim Pinto afirmou ainda que os robôs serão mais inteligentes e realizarão atividades muito além das que o ser humano é capaz de realizar. Para ele, a automação não irá gerar desemprego, mas provocará uma mudança no perfil dos operários, e o conhecimento será a peça-chave. “Países de primeiro mundo estão perdendo cada vez mais espaço para os países que investem em conhecimento. Enquanto os americanos capacitam 70 mil engenheiros ao ano, os chineses formam 700 mil e a Índia, mais 500 mil”, exemplifica Jim.

Para o especialista, reduzir trabalho, aumentar agilidade, melhorar a qualidade, otimizar o uso de matéria-prima e economizar energia são os principais benefícios da automação – que torna os processos mais baratos, mais rápidos e melhores.

Confira entrevista com o palestrante:


Conference & Show de NEI Meetings mostra tendências para o futuro imediato

“Processos mais rápidos, melhores e mais baratos. Essas são as vantagens proporcionadas pela automação. No futuro, a fábrica será cada vez menor e a tecnologia wireless será cada vez mais usada”. Esses conceitos foram apresentados por Jim Pinto, fundador da Action Instruments Technology, dos EUA, durante o NEI International Industrial Conference & Show, o primeiro evento sobre gestão e inovação organizado e realizado por NEI Meetings.

A palestra de Markus Röhner, diretor do Departamento de Sistemas de Produção e Tecnologias de Produção da Fraunhofer IPK Berlin, da Alemanha, mostrou os desenvolvimentos recentes na manufatura aditiva, micromanufatura e nanotecnologia. Segundo Röhner, os novos materiais nas ferramentas das máquinas, assim como o desenvolvimento de coberturas especiais para altas taxas de usinagem são algumas das possibilidades de inovação para máquinas e equipamentos no futuro.

O Prof. Jefferson de Oliveira Gomes, diretor do Centro de Competência em Manufatura do Instituto Tecnológico de Aeronáutica – ITA, um dos palestrantes, lembrou que um dos grandes desafios da indústria, hoje, é conhecer as tecnologias atuais e suas possibilidades e não apenas desenvolver novas tecnologias. Segundo o professor, precisamos formar melhor nossos engenheiros. “Hoje, eles estão mais voltados à gestão administrativa do que à parte técnica”.

A inovação foi discutida também por Ronald Martin Dauscha, diretor de Tecnologia e Inovação da Siemens, Segundo o executivo, as empresas inovadoras representam apenas 1,7% da indústria, mas são responsáveis por 25,9% do faturamento industrial e por 13,2% do emprego gerado. “A nanotecnologia é a “pressão alta” da tecnologia”, afirma Dauscha, que define inovar como transformar ideias novas em resultados sustentáveis.

Confira como foi o evento: